Nesta seção o leitor encontrará os termos técnicos comumente empregados no setor de conectividade e automação industrial.

GLOSSÁRIOS TÉCNICOS INGLÊS-INGLÊS / INGLÊS-PORTUGUÊS/PORTUGUÊS-PORTUGUÊS

publicado em 01/02/2010 - 14:08:02hs

 

 

 

 

 

 

 

 

GLOSSÁRIO1: 

AC- Alternating current. A signal that alternates its polarity between positive and negative with respect to an earth ground. Dynamic signals such as audio, radio waves and utility power are typically AC.

ACK- Abbreviation for the Acknowledge response in data communications.

ADC- Analog to Digital Converter.

ADMINISTRATION - The method of labeling, identification, documentation and usage needed to implement moves, additions and changes of the telecommunications infrastructure.

ACR- Attenuation to Crosstalk Ratio. ACR is a comparison of signal strength to noise interference and is used as a bandwidth indicator.

ATTENUATION- Attenuation is the degradation of signal level along the cable due to losses in the cable. It measured in dB and calculated as follows: Attenuation = 10 log Received Voltage/Transmitted Signal Voltage. See also OPTICAL LOSS.

AUTOTEST - A series of tests performed by a LAN Cable Tester activated by the AUTOTEST key. The content of a test series and the test limits are predefined by the selection of a Standard (e.g. Category 6), or a cable manufacturer’s test suite, or may be constructed by the test unit’s user.

BACK REFLECTION- Light reflected from the cleaved or polished end of a fiber caused by the difference of the refractive indices of air andglass. Back Reflectance is typically 4% of the incident light. It is expressed in dB relative to incident power.

BACKBONE- A facility (e.g. pathway, cable or conductors) between telecommunications rooms, or floor distribution terminals, the entrance facilities, and the equipment rooms within or between buildings.

BACKSCATTERING - The scattering of light in a fiber back toward the source. This backscattered light is used to make Optical Time Domain Reflectometer (OTDR) measurements.

BALANCE- Balance is the ratio of the differential signal output at either end of any pair to a common mode

BALUN - A passive line matching transformer designed to match the impedance of a transmission medium referenced to ground such as coaxial cable to transmission media whose signals are differential, or referenced to each other, such as TV antenna twin lead. Frequently used to connect twisted pair media to coaxial cable.

BANDWIDTH - The range of electrical frequencies that an electronic device or transmission system can effectively handle. For LAN’s, it describes the maximum data rate for a given topology. The best bandwidth indicator of a cabling system is Attenuation Crosstalk Ratio (ACR), and one should strive for 7-10 dB ACR at the highest frequency level of transmission. The higher the ACR, the stronger the signal. (See Attenuation Crosstalk Ratio (ACR)).

BASEBAND - The use of the entire bandwidth of the network cable to transmit a single digital signal. The frames are applied directly to the cable in digital form without modulation or multiplexing. Ethernet and Token Ring are Baseband transmissions because they use only one protocol.

BASEBAND VIDEO- An application that defines transmission characteristics up to 862 MHz.

BASIC LINK - A testing configuration that appeared in older editions of the ANSI/TIA/EIA-568-A Standard. It has been replaced by Permanent Link test configuration in the 568-B Standard that replaced 568-A. See PERMANENT LINK.

BAUD - The most basic unit of data transmission speed, one baud represents one signal state change per second. It is often confused with bits per second (bps) because they were at one time very similar. By using current data compression and modulation techniques, many times the baud rate in bits per second can be achieved.

BENDING RADIUS - The minimum allowed curvature of any piece of cable (fiber or metallic). It is absolutely critical that the bending radius be maintained so that neither the cable’s impedance (metallic) nor refractive index (fiber optic) is affected.

BER - Bit Error Rate. The ratio of received error bits of data to the total number of bits transmitted.

BINARY - Information contained in one of two states, either 0 (zero) or 1 (one). Digital computers are designed to respond to streams or groups of binary information. By combining and manipulating this information, these machines can be instructed to perform useful tasks. All information, whether alpha or numeric, must be converted into a binary equivalent to be processed by these systems. It forms the basis of the Binary digIT or BIT. Eight bits together form a BYTE. (Four bits form a NIBBLE).

BINARY SYNCHRONOUS COMMUNICATIONS- BCS or BISYNC. Developed by IBM as a form of communications between their mainframes and other devices. This protocol depends on synchronization between transmitter and receiver via timing signals.

BIT - Binary Digit. The smallest unit of data (and most basic) for data communications. It can have a value of a one (mark) or a zero (space).

BIT RATE- The number of bits passing a given point in a measured period of time. Usually expressed as bits per second (bps), thousands of bits per second (Kbps), or millions of bits per second (Mbps).

BLOCK - A group of transmitted data, typically framed with control characters and having a fixed size, such as 256, 512, 4096, etc.

BNC- The Bayonet-Neill-Concelman connector. Widely used in 10BASE2 and other thin coaxial applications.

BPS - Bits Per Second. (See also BIT RATE)

BRAID - The stranded shield found on most types of axial metallic media and some types of twisted pair, such as IBM Type 1.

BRIDGE - In the LAN arena, it is a device used to connect two physically separate networks.

BROADCAST - To send a message to two or more receiving devices at the same time.

BROADCAST STORM - In a NETBIOS based network, devices broadcast their addresses when queried. When several or all devices broadcast their addresses, the network slows down with the excess traffic.

BROUTER - A combination bridge and router, performing the functions of both in a single device. See also BRIDGE and ROUTER.

BUNDLED CABLE- An assembly or two or more cables continuously bound together to form a single unit.

BUS - An electrical connection tying two or more points together. A bus can be serial or parallel and can carry both dynamic signals or DC voltage.

BUS NETWORK - A topology based on all communicating devices being attached to a common medium. Various access methods are used including CSMA/CD and Token Passing. Typically bus networks carry data in the millions of bits per second data rate.

BYTE - Eight data bits or two nibbles.

BYTE COUNT - The number of bytes in a given message or block of data.

c- Symbol representing the Speed of Light (See PROPAGATION RATE and NVP).

CABLE - An assembly of one or more conductors within an enveloping sheath, constructed so as to permit use of the conductors singly or in groups.

CABLE RISER - Vertically installed cable connecting floors of a building. Cable tested to UL 1666 is "riser" rated. Typically multi-pair copper and fiber.

CABLE RUN - A length of installed media who may include other components along its path.

CABLE SHEATH- A covering over the optical fiber or conductor assembly that may include one or more metallic members, strength members or jackets.

CABLE SHIELD- A conductive layer of material located just under the cable’s outer sheath which is designed to increase the cable’s immunity to outside electrical noise interference. It may be constructed of metal foil or braided strands.

CABLING- A combination of all cables, jumpers, cords and connecting hardware.

CAMPUS - The buildings and grounds having legal contiguous interconnection.

CAPACITANCE - The measured ability of an electronic component to store an electrical charge. Capacitance is rated in units called FARADS. Common divisions of farads include microfarads (mF = X 10 6 ), nanofarads (nF = X 10 9 ) and picofarads (pF = X 10 12 ).

CARRIER SENSE MULTIPLE ACCESS/COLLISION DETECTION (CSMA/CD) - The most common form of access control found in an Ethernet environment. It is used to avoid data collisions in a logical bus topology, such Ethernet.

CARRIER SIGNAL- A continuous signal, upon which is modulated the data or other signal that is to be transmitted.

CATEGORY 3 (CAT 3)- 4-pair UTP cable and associated connecting hardware whose transmission characteristics are specified up to 16 MHz. (SEE ISO 11801 CLASSES A, B, C)

CATEGORY 4 (Cat 4)- 4-pair UTP cable and associated connecting hardware whose transmission characteristics are specified up to 20 MHz. (SEE ISO 11801 CLASSES A, B, C)

CATEGORY 5 (CAT 5)- 4-pair UTP cable and associated connecting hardware whose transmission characteristics are specified up to 100 MHz.

CATEGORY 5e (CAT 5e)- 4-pair UTP cable and associated connecting hardware whose transmission characteristics are specified up to 100 MHz. It has approximately 3 dB stronger signal strength than standard CAT 5. Category 5e includes additional tests (Headroom, PSACR, PSELFEXT, PSNEXT, and ACR) to ensure that Gigabit Ethernet can run over unshielded Twisted Pair (UTP) cabling. (SEE ISO 11801 CLASS D)

CATEGORY 6 (CAT 6)- a proposed addition, in draft form, to the ANSI/EIA/TIA-568-B.2 and ISO 11801 Standards specifying testing transmission characteristics for 4-pair STP and UTP cabling and connectors up to 250 MHz (See ISO 11801 CLASS E). Additionally, tests for Capacitance, Resistance and Impedance are required in addition to all tests required for Category 5e. Approval is expected in early 2002.

CATEGORY 7(CAT 7) - an anticipated addition to the ANSI/EIA/TIA-568-B.2 Standard specifying testing transmission characteristics for 4-pair STP cabling and connectors up to 600 MHz (See ISO 11801 CLASS F). Approval of the ISO 11801 Standard is possible in late early 2002 with an ANSI/EIA/TIA Standard following at some future date.

CATV- Community Antenna TeleVision or Cable TeleVision. CATV is Broadband transmission effected by multiplexing multiple channels on one medium.

CAU- Controlled Access Unit. A type of semi-intelligent central wiring concentrator for the Token Ring environment. Used in conjunction with LAM’s.

CCITT- International Telephone and Telegraph Consultative Committee. An international standards setting body for the telecommunications industry. In 1985, the CCITT chartered the TIA/EIA with drafting the 568 Standards we use today.

CDDI- Copper Distributed Data Interface. A standard describing 100 Mbps data transmission on metallic cable.

CENTRALIZED CABLING- A cabling configuration from the work area to a centralized cross-connect using pull-through cables, an interconnect or splice in the telecommunications room.

CHANNEL LINK- The Channel Link includes up to 90 m (295 ft) of horizontal cable, a work area patchcord, a telecommunications outlet/connector, an optional transition point or consolidation connector, and two connections in the telecommunications room. When a maximum horizontal length of 90 m is used, then the total length of the patchcords shall not exceed 10 m (33 ft). For other lengths of horizontal cabling, refer to ANSI/EIA/EIA-568-B.2.

CONNECTING HARDWARE- A device providing mechanical cable terminations between two cable ends.

CPU - Central Processing Unit. The portion of a computer which performs all arithmetic and logic manipulation in addition to instruction interpretation and processing.

CGA - Color Graphics Adapter.

CHANNEL SERVICE UNIT- A device that interfaces a digital telephone line to a multiplexer or other digital device for high-speed communications.

CHARACTER - A combination of binary digits representing an alphanumeric value.

CHARACTERISTIC IMPEDANCE - Characteristic Impedance is the measure of a transmission medium’s impedance throughout its length and over a swept frequency spectrum. When terminating transmission media, it is important to match its Characteristic Impedance so as to minimize reflections.

CHARACTER ORIENTED PROTOCOL- A communications protocol that responds to special control characters as opposed to individual bit values for function control.

CHEAPERNET - Slang for 10BASE-2, also Thinnet, Thinwire Ethernet using a 50 ohm coax cable. (also see THIN ETHERNET)

CICS - Customer Interface Control System. An IBM user interface designed for mainframe interaction and job processing.

CLADDING- The low refractive index optical coating surrounding the core of a fiberoptic cable that prevents light from escaping the core. The cladding guides light along the core.

CLASS D- An approved ISO 11801 Standard specifying testing transmission characteristics for 4-pair STP and UTP cabling and connectors up to 150 MHz (also see Category 6). Approval is expected in late 2001.

CLASS E - A proposed addition, in draft form, to the ISO 11801 Standard specifying testing transmission characteristics for 4-pair STP and UTP cabling and connectors up to 250 MHz (also see Category 6). Approval is expected in early 2002.

CLASS F - An anticipated addition to the ISO 11801 Standard specifying testing transmission characteristics for 4-pair STP cabling and connectors up to 600 MHz (Category 7). Approval of the ISO 11801 Standard is expected in early 2002 with an ANSI/TIA/EIA Category 7 Standard following at some future date.

CMIP - Common Management Information Protocol. One of many network management information exchange protocols. The current favorite is SNMP.

COAXIAL CABLE- A cable constructed of an insulated center conductor surrounded by a shield. 10 BASE-5 and 10 BASE-2 require different types of 50-ohm coax cables.

COLLISION - The event that occurs when data from two devices attached to a common bus are placed on the bus at the same time. In Ethernet this typically generates a re-transmission.

COMMUNICATIONS PROTOCOL- The rules that govern the behavior and attributes of both hardware and software as they apply to data communications.

COMMUNICATIONS SERVER- A device which acts as a gateway to communication lines outside normal building boundaries or to a different communicating device. The server may allow access to several lines by any number of users on a network. Sometimes called a modem pool.

CONCENTRATOR- A device used in LAN applications to attach several nodes to one AUI or bus attachment point. Often this term is used mistakenly in place of hub.

CONNECTING BLOCK- An interconnecting device used in telecommunications and LAN applications consisting of multiple points for wire attachment. Some common connecting blocks are the 66 block, 110 block, the BIX block and the Krone block.
(also see Cross-Connect)

CONSOLIDATION POINT- A location for interconnection between horizontal cables extending from a telecommunications room and horizontal cables extending to telecommunications outlet/connectors.

CORE- The central light carrying part of a fiberoptic cable. It has a higher index of refraction than that of the surrounding cladding

COUPLER- An optical device that splits or combines light from more than one fiber.

CPS- Characters Per Second.

CPU - Central Processing Unit

CRC - Cyclic Redundancy Check. A common form of error checking for data communications and other situations where blocks of data are moved from one location to another. All bits in a block are divided by a predetermined binary number and the result is compared with what the actual number should be.

CROSS-CONNECT - A facility enabling the termination of cable elements and their interconnection or cross-connection.

CROSS-CONNECTION - A connection scheme between cabling runs, subsystems and equipment using patch cords or jumpers that attach to connecting hardware on each end.

CROSSTALK - Crosstalk is the measure of noise induced to one pair by another pair of conductors. Crosstalk measured from the near end is "NEXT" and Crosstalk measured from the far end is "FEXT". Crosstalk is expressed in dB and the smaller the number, the greater the inductive noise effect. ANSI/TIA/EIA-568-B.2 requires bidirectional NEXT measurements to verify performance in both directions.

CSMA/CD- Carrier Sense Multiple Access/Collision Detection (an Ethernet Media Access Mechanism).

CSU - See CHANNEL SERVICE UNIT -

CTS - Clear To Send.

D-CHANNEL- A sort of status line in the ISDN arena. A 16 Kbps line carrying control signals and call data in the BRI interface. A 64 Kbps line in the PRI interface.

D TYPE - A description for the 9, 15 and 25 pin connectors widely used for data communications and microcomputer peripherals. It looks very loosely like a "D" when viewed vertically.

DASD - Directly Accessible Storage Device. IBM’s term for local hard disk.

DATA GRADE CIRCUIT- A telephone line capable of carrying high-speed data. The line is specially conditioned to accommodate this.

DATA SERVICE UNIT- DSU. A device for transmitting data on digital transmission facilities. Sometimes incorporated with a CSU.

DATA SET- Another term for modem.

dB - the abbreviation for decibel. A unit of measurement to compare an output signal to an input signal. A relative term. (See also text on ATTENUATION for more information)

DC - Direct Current. A steady state voltage, either positive or negative with respect to ground, but not both. Batteries are a source of DC.

DC RESISTANCE- Provides an effective check on cable and connector integrity. Both cabling and connectors have inherent DC resistance. Loop resistance is the combined resistance of each individual wire in a two-wire pair. It is tested for each pair by placing a known DC voltage on one wire in the pair, shorting the Remote Handset and reading the voltage loss at the Display Handset. DC loop resistance testing is essential to isolating poor connector punch downs, cable damage and shorts.

DEAD ZONE- In OTDR measurements, if a subsequent event occurs at a distance less than the pulse width generated by the OTDR, the subsequent event will not be “seen” by the OTDR because it occurs within a “dead zone.”

DELAY SKEW- Also known as Propagation Delay/Delay Skew. Delay Skew is a measurement of the signaling delay difference from the fastest pair to the slowest. Delay Skew is calculated from Propagation Delay measurements.

DENSE WAVELENGTH DIVISION MULTIPLEXING (DWDM)- A method of increasing the amount of data that can be transmitted over an optical fiber.

DIGITIZE - The conversion of an analog or continuous signal into a data stream of binary digits.

DISOSS - Distributed Office Support System by IBM.

DISTRIBUTED PROCESSING- A system or network whereby the processing is done at each individual workstation and not at a central device. A LAN is an example of distributed processing.

DMA - Direct Memory Access.

DNA - Digital Equipment Corporation’s Network Architecture.

DOMAIN - An area including all peripherals and nodes under control of a single computer or server in a network.

DOWNLINE IMPEDANCE- LAN Cable Testers perform this function using a Time Domain Reflectometer (TDR) that samples and analyzes the impedance of a link. Relative Impedance is measured as a function of length and each cable can be viewed in graphical format along its length to ascertain where the anomalies are located, whereas Characteristic Impedance is usually measured in a laboratory with complex test equipment such as an expensive network analyzer. The TDR measures relative impedance in the field to find crimps, kinks and/or stretched cable that would show up as a blips, peaks or valleys on the otherwise flat line graph of a good link. (also see FAULT FIND)

DRAIN WIRE- In a cable, it is an uninsulated wire included in the sheath with the insulated wires. Typically used for grounding.

DROP CABLE-A cable connecting a workstation or peripheral to the main network cable.

DS-0- Digital Service Level 0, a 64 Kbps digitized voice line.

DS-1- Digital Service Level 1, a 1.544 Mbps line carrying 24 DS-0 lines.

DS-1C- Digital Service Level 1C, a 3.152 Mbps line also called T-1.

DS-2- Digital Service Level 2, a 6.312 Mbps line also called T-2.

DS-3- Digital Service Level 3, a 44.736 Mbps line also called T-3.

DS-4- Digital Service Level 4, a 273 Mbps line also called T-4.

DUAL NEAR END CROSSTALK- Near end Crosstalk (NEXT) is the amount of transmitted signal on one pair that is induced electromagnetically onto adjacent pairs. High levels can cause excessive retransmission rates. An AutoTest generates swept signals for NEXT from 1 to 250 MHz for Category 6/CLASS E and it measures the induced noise on adjacent pairs at precise intervals. The AutoTest performs Dual NEXT tests from both ends.

DWDM - See DENSE WAVELENGTH DIVISION MULTIPLEXING.

EBCDIC- Extended Binary Coded Decimal Interchange Code. An 8-bit code developed by IBM for data transfer between their computers.

EIA - Electronis Industry Association. A trade organization of manufacturers which sets and defines standards for its members. This group works with the TIA on standards pertaining to both industries. The originator of the "RS" series of interfaces (RS232, RS-449, etc.)

EISA - Extended Industry Standard Architecture. An independent alternative to IBM’s Micro-channel for 32 bit computers.

ELFEXT - SeeEQUAL LEVEL FAR-END CROSSTALK.

EMI - Electromagnetic Interference.

EPROM - Erasable Programmable Read Only Memory.

EQUAL LEVEL FAR-END CROSSTALK (ELFEXT) - A measure of the unwanted signal coupling from a transmitter at the near-end into a neighboring pair measured at the far-end relative to the received signal level measured on that same pair.

EQUIPMENT CABLE CORD- A cable or cable assembly used to connect telecommunications equipment to horizontal or backbone cabling.

ESDI - Enhanced Small Device Interface.

ETHERNET - A LAN operating under the guidelines of the IEEE 802.3 document defining physical and data link layer behavior.

ETHERNET 10BASE-, 100BASE-, 1000BASE-TOPOLOGIES

 

10BASE-T

10 Mb/s Ethernet over two pairs of 100-ohm Category 3, or better, UTP copper cable

100BASE-TX

100 Mb/s Ethernet of two pairs of 100-ohm Category 5, or better, UTP copper cable

100BASE-SX

100 Mb/s Ethernet over 62.5 m MM, and 50 m MM fiber using Light Emitting Diodes (LEDs)

1000BASE-T

1000 Mb/s Ethernet of four pairs of 100-ohm Category 5e or better UTP copper cable

1000BASE-LX

1000 Mb/s Ethernet over 62.5 m MM, 50 m MM, and 10 m SM fiber using long wavelength (1300 nm) lasers

1000BASE-SX

1000 Mb/s Ethernet over 62.5 m MM, and 50 m MM fiber using long wavelength (850 nm) lasers

FANOUT - A device similar to a concentrator in that it provides multiple access to a single backbone tap.

FARAD - A unit for measuring capacitance. One farad is a one-coulomb charge with one-volt potential difference between the plates. A 50-volt, one farad capacitor is roughly the size of a quart milk container. (also see CAPACITANCE)

FAR-END CROSSTALK LOSS (FEXT) - A measure of the unwanted signal coupling from a transmitter at the near-end into a neighboring pair measured at the far-end.

FAT - File Allocation Table. The location of all names and addresses of data files stored on a disk.

FAULT FIND- A diagnostics feature on the IDEAL LAN Testers that allows you to determine where in a link a fault is located. (also see DOWNLINE IMPEDANCE)

FCC - Federal Communications Commission.

FC CONNECTOR- A connector type used primarily for Singlemode fiberoptic cable. It offers precise alignment of the cable with respect to the transmitter and detector. Using a threaded receptacle and a locator notch, once installed the position is maintained with absolute accuracy.

FCS - Frame Check Sequence. An error-checking field found in bit oriented protocols.

FDDI - Fiber Distributed Data Interface. A dual counter-rotating ring topology based on fiber optics operating at 100 Mbps.

FDM - Frequency Division Multiplexing. A technique in which several signals are transmitted on the same cable simultaneously at different frequencies. Used in Broadband.

FDX - An abbreviation for Full Duplex transmission. Gigabit Ethernet will use full duplex transmission on all four pairs. This is analogous to being on an 8-lane highway and any car can go any direction, at any time!

FEP - Front End Processor. A preprocessor for devices attached to a larger, faster computer.

FERRULE -The component of a connector that holds a fiberoptic cable in place and maintains its alignment. Cylindrical in shape with a hole in the middle, the ferrule is sometimes described as a sleeve.

FEXT - See FAR END CROSSTALK.

FIBER- A thin filament of glass capable of carrying information in the form of light.

FIBEROPTICS (FO) - Light transmission through flexible fibers for communications or lighting.

FIBEROPTIC TEST PROTOCOLS- A series of test procedures defined by the FO 6.2 committee of TIA. The procedures cover a wide number of situations, for example, verification by manufacturers of cable specifications, cable bend radius, connector manufacturing, fire rating, and field testing of fiber optic installations.

FIBEROPTICS LAN SECTION- Known as FOLS, a group operating within the trade association operation of TIA. FOLS is dedicated to promoting the common interests of TIA members involved in fiberoptic telecommunications.

FILE SERVER- A device found on local area networks which sends requested files and programs to requesting nodes and stores files sent from nodes.

FIRMWARE - Operating instructions for a processor permanently stored in devices such as EPROM’s, and ROM’s which are hardware.

FLASH MEMORY- Flash Erasable Programmable Read-only Memory is a form of computer semiconductor storage. It allows data in electronic format to be held without loss (unlike RAM) for an indefinite period (like ROM), and for the contents to be changed. It is a popular type of removable storage used for transporting data between recording devices and a PC.

FO-2, FO-6- See TIA/IEEE STANDARDS COMMITTEES

FOLS - See FIBEROPTICS LAN SECTION

FOTP - See FIBEROPTIC TEST PROTOCOL

FOUR-WIRE CIRCUIT - A transmission circuit using a transmit pair and a receive pair, or four wires altogether.

FREQUENCY - The rate, at which an electrical current alternates, usually measured in Hertz, or cycles per second, which are the same.

FTP- File Transfer Protocol. A file sharing protocol often used in conjunction with TCP/IP. It operates in layers 5 through 7 of the OSI network model.

FULL DUPLEX- The ability of a circuit to carry signals in two directions simultaneously. (also see FDX and GIGABIT ETHERNET)

FUSION SPLICER- An instrument that splices fiber by fusing or welding the fibers, typically by an electric arc.

GATEWAY- For LAN’s, a connection between two dissimilar network topologies, i.e., Token-Ring and Ethernet.

GIGA - A prefix for one billion.

GIGABIT ETHERNET- Gigabit Ethernet is defined by three standards generated by IEEE 802.3 working groups.

· 1000Base-T supports Gigabit Ethernet over 100 meters of Category 5e balanced copper cabling.
· 1000BASE-SX supports the use of short wavelength Vertical Cavity Side-Emitting Lasers (VCSELs) to transmit data over fiber optic cable. The lasers specified by the Standard operate over Multimode Fiber in the wavelength range of 770 to 860 nanometers.
· 1000BASE-LX supports the use of long wavelength lasers to transmit data over fiber optic cable. The lasers specified by the Standard operate over either Multimode or Singlemode Fiber in the wavelength range of 1270 to 1355 nanometers.


GROUND LOOP - This occurs when a segment is grounded at more than one point. It creates a situation for a potential voltage difference between the grounds, causing the network cable to conduct unwanted electricity. A bad thing.

GUI - Pronounced "gooey", it’s the abbreviation for Graphical User Interface.

HALF DUPLEX- The ability of a circuit to carry signal in one direction at a time. Ethernet and Fast Ethernet use half duplex with one pair transmitting and the other pair receives.

HARDWARE- A generic term describing all computing and peripheral machinery.

HARDWIRE - A permanent connection between two devices, usually not easily disconnected.

HARMONICA - A cable adapter used to change an Amphenol type 50 pin Telco connector into multiple RJ-45’s or RJ-11’s.

HDLC - High Level Data Link Control. A bit oriented protocol developed by the International Standards Organization (ISO).

HEADROOM - Headroom is the sum of the natural margin, or ACR, of the cabling and the additional margin between the worst case NEXT and the limit for NEXT. Headroom is calculated using a power sum ACR on the worst pair after the attenuation for that pair has been normalized to 100 meters (328 ft).

HERTZ (Hz) - An equivalent to cycles per second for defining frequency.

HIT - Slang for an induced electrical impulse. (also see IMPULSE NOISE section)

HOME RUN- A cable run going from a workstation or office directly back to a wiring closet with no other connections. Physical star topologies consist exclusively of home runs.

HORIZONTAL CABLING- The cabling between and including the telecommunications outlet-connector and the horizontal cross-connect.

HOST - Term describing a Host computer. A central computer responsible for the control of time-share terminals and other peripherals. Usually associated with minicomputers and mainframes.

HUB - 1. A central point of connection for several circuits. 2. A device which electrically converts a logical topology to a different physical topology. An ARCNET hub enables physically star-wired nodes to be seen as a logical, token-passing bus. Hubs can be active (powered), or passive (non-powered). Active hubs sometimes are capable of allowing longer cabling lengths than passive units.

HUB ACTIVATION- Hub activation tests transmit a signal to a 10 BASE-T hub to verify it is operational.

HYBRID CABLE- An assembly of two or more cables, of the same or different types or categories, covered by one overall sheath.

Hz- See Hertz.

INFRASTRUCTURE (telecommunications)- A collection of those telecommunications components, excluding equipment that together provide the basic support for the distribution of all information within a building or campus.

I/O- Input/Output.

I/O CHANNEL- A high-speed bus used to interconnect peripherals with the CPU.

I/O CONTROLLER- A device that arbitrates the I/O channel and controls data transfer between devices attached to the channel.

IBM TOKEN RING- A token passing network topology that conforms to the IEEE 802.5 definition and documents. Operating at 4 Mbps or 16 Mbps, it is the chief topology used to interconnect small and mid-size equipment from IBM and other vendors.

IDC- Insulation Displacement Connector. A type of connector in which the insulated wire is pushed down between two sharp blade-like pieces of metal so that the conductor touches the connector and there is no exposed bare wire. Modular telephone plugs (RJ series) are examples of insulation displacement connectors.

IDF- Intermediate Distribution Frame as it was called previous to being changed to "IC" or intermediate cross-connect in TIA/EIA 568-A. Also known as a wiring closet, the IDF is a cross connection point for horizontally attached devices to riser media. Provides the wiring interface between the end-user and the Main Distribution Frame. The MDF was change to "MC", which stands for main cross-connect.

IEEE- Institute of Electrical and Electronic Engineers. A standards setting and publishing body responsible for such guidelines as the 802 series for LAN’s.

IEEE 802.X- Guidelines describing the physical and data link layers of the OSI network model for various topologies.

IMPEDANCE- The complex opposition to current flow dynamically in a transmission medium. Including components of resistance, capacitance and inductance when driven by a voltage source. (also see CHARACTERISTIC IMPEDANCE for more detailed information)

IMPEDANCE MATCHING- An operation to assure maximum transfer of signal power over the operating frequency range by proper selection of all elements of a transmission system. A properly impedance matched system transfers maximum signal power to the load with no signal distortion.

IMPULSE NOISE- Intermittent, short, high frequency, high amplitude pulses that are induced into a transmission line. Can cause data corruption and in some cases hardware damage.

INDUCTANCE- The tendency for an electrical current to build a magnetic field around a conductor and cause a portion of that current to be induced or generated on an adjacent conductor. (also see NEAR-END CROSSTALK).

INSERTION LOSS- The signal loss resulting from the insertion of a component, or link, or channel, between a transmitter and receiver (often referred to as attenuation).

INSULATION- A non-conductive material used to separate conductors to prevent electrical short circuits. Cables are insulated and rated for different applications. Plenum rated cables can be used anywhere inside a building and riser rated cables are only used between floors.

INTELLIGENT TERMINAL- A computer terminal or personal computer/workstation having the ability to process data independently from the host computer.

INTERCONNECTION- A connection scheme that employs connecting hardware for the direct connection of a cable to another cable without a patch cord or jumper.

INTERFACE - The point at which two different items come together. They might be mechanical, electronic or software.

INTERNET PROTOCOL (IP)- Used at OSI Level 3 and above to connect networks through gateways.

INTERNETWORKING - The connection of multiple networks for data interchange. This is normally accomplished with interface devices such as bridges, brouters and gateways.

IPL - Initial Program Load. A fancy term for "booting" a large computer.

IRQ - Interrupt ReQuest. A form of peripheral prioritization for microcomputers.

ISO - International Standards Organization. Based in Paris, this body develops open industry standards for the world. A key standard is the Open Systems Interconnection Network Model (OSI model) which forms a general definition for all LAN’s. ISO 11801 is similar to ANSI/EIA/TIA/568-B but uses different terms and values in some instances.

JABBERING, JABBER- The continuous transmission of meaningless data, usually due to a failure of some sort. The network slows tremendously when burdened with this excess traffic.

JACK - A receptacle for a modular device. Mates with a plug.

JACKET - The outer protective sheath of a cable.

JITTER - The skewing of a transmitted pulse so as to cause its edge to become poorly defined and difficult to correctly detect.

JUMPER- An assembly of twisted pairs without connectors, used to join telecommunications circuits/links at the cross-connect.

K- A short form for the metric "Kilo" or 1000. Often appended to measurements of things like frequency (KHz), storage (KBytes), and bit rate (Kbps).

KEYING- The mechanical feature of a connector system that guarantees correct orientation of a connection or prevents the connection to a jack or to an optical fiber adapter of the same type intended for another purpose.

LAN - Local Area Network. A distributed processing environment usually located within the confines of a single building.

LAUNCH CABLE - A known good fiber optic jumper cable attached to a source and calibrated for output power used for loss testing. This cable must be made of fiber and connectors of a matching type to the cables being tested.

LAY - From cable manufacturing. A term describing the length of one conductor in a twisted pair in making one complete turn.

LAYER - A subdivision of a complete model comprising software and/or hardware elements to complete a specific and related set of tasks.

LCD - Liquid Crystal Display.

LCL- See LONGITUDINAL CONVERSION LOSS.

LCTL - See LONGITUDINAL CONVERSION TRANSMISSION LOSS.

LED -See LIGHT-EMITTING DIODE.

LENGTH - The distance of a communications link measured by a tester with a TDR. For TIA/EIA 568-B.2, the Permanent Link is limited to 90 meters of horizontal cabling embedded in the walls and ceiling plenum. Length is one of the ANSI/EIA/TIA-568-B.2 required tests for a Category 5e UTP cable limited to a total distance of 100 meters including the Permanent Link of 90 meters + 10 meters allowance of line cords, patch cords and up to two cross-connects in a link. (also see NOMINAL VELOCITY OF PROPAGATION)

LIGHT-EMITTING DIODE (LED) -A semiconducting device that emits light when stimulated by an electrical current. Used in transmitters for multimode fiber links.

LINE - A term used loosely to describe a connection between two communicating devices.

LINEMAP - A term referring to the termination pinout pairs of cable. (also see CONTINUITY andWIREMAP)

LINE SPEED- The maximum rate of data transfer for a given line.

LINK- A transmission path between two points, not including terminal equipment, work area cables, and equipment cables.

LLC - Logical Link Control. A protocol developed by the IEEE for end-system addressing and error checking. Operates in Layer 2 of the OSI model.

LISTED- Equipment included in a list published by an organization, acceptable to the authority having jurisdiction, that maintains periodic inspection of production of listed equipment, and whose listing states either that the equipment or material meets appropriate standards or has been tested and found satiable for use in a specified manner.

LOCAL DISTRIBUTION FRAME- LDF. Another name for an Intermediate Distribution Frame or "IC" as the ANSI/EIA/TIA-568-B.2 standard specifies.

LONG WAVELENGTH - A commonly used term for light in the 1300 and 1550 nm ranges.

LONGITUDINAL CONVERSION LOSS - A ratio expressed in dB, of measured differential voltage relative to the common mode voltage on a conductor pair applied at the same end.

LONGITUDINAL CONVERSION TRANSMISSION LOSS - A ratio expressed in dB, of measured differential voltage relative to the common mode voltage on a conductor pair applied at the opposite end.

LOSS BUDGET - Sometimes known as dB LOSS BUDGET, it is the amount of light available to overcome attenuation in a fiberoptic link and maintain performance specifications.

LRC- Longitudinal Redundancy Check. Another term for parity checking.

M - Short form of the metric "Mega" or 1,000,000. Used as a prefix for frequency (MHz), storage (MBytes) and line speed (Mbps).

m - Representation of the metric "milli" or 1/1000th.

MAC - Media Access Control. A control protocol designed for specific media with variations for different media. Works in conjunction with LLC.

MACHINE LANGUAGE- The binary digits that the computer hardware processes without interpretation. Also called machine code.

MAIN DISTRIBUTION FRAME- the MDF has been changed to "MC" (main cross-connect) in ANSI/EIA/TIA-568-B.2. The MC is the point at which outside service lines interface to inside service and then to IC’s or to TC’s.

MAINFRAME- A large computer system.

MAN - Metropolitan Area Network. A Network operating within the confines of a single city or community.

MANCHESTER ENCODING- An encoding method which involves a digital state change (0 to 1 or vice versa) for every bit representation occurring in the middle of the transmitted bit. Useful in local area networks because it is self-clocking. The receiver can develop the data clock from the transmitted data stream. Used in Token Ring and Ethernet systems. Standard Ethernet uses Manchester encoding which results in 10 Mbps throughput at 10 MHz frequency (one-for-one).

MAPPING - The act of associating logical representations with their physical counterparts.

MAU - Media Access Unit. Another name for an Ethernet transceiver. MAU was also the abbreviation for a Token Ring Multi-station Access Unit. This has been changed recently to MSAU to avoid confusion.

MCA - Micro-Channel Architecture. IBM’s 32-bit peripheral bus for microcomputers.

MDF - Main Distribution Frame, which has been changed to "MC" (main cross-connect) by ANSI/EIA/TIA-568-B. The connecting point in a building where outside services interface to internal services. All networking components are "star-wired" back to the MC.

MECHANICAL SPLICE -A semi-permanent connection between two fibers, made with an alignment device and refractive index matching fluid or adhesive.

MEDIA (Telecommunications)- Wire, cable or conductors used for telecommunications.

MEDIUM - Material used for the transmission of signals.

MIB - Management Information Base. An information database used in conjunction with the Simple Network Management Protocol.

MICRO (µ) - Prefix for one millionth. Used as a prefix for capacitance.

MICROFARAD (µf) - One millionth of a farad.

MIPS - Millions of Instructions per Second. A speed rating for computers and workstations.

MJ - Modular Jack. A term describing plug-in IDC connectors used in telephone and data communications. The connectors usually are configured with 4, 6 or 8 pins.

MMJ - Modified Modular Jack. Developed by Digital Equipment Corp. (DEC), it is an RJ-12 (6 pin) modular jack with the bottom-locking tab offset to one side.

MODAL DISPERSION - The temporal spreading of a pulse in an optical waveguide caused by modal effects.

MODEM - MOdulator DEModulator. A device which converts digital data to a modulated form which can be transmitted over telephone lines and reverses the process when receiving.

MODULAR PLUG- A series of connectors designed for ease of use and flexibility. They are characterized by locking plastic tabs on the bottom and typically appear in three configurations: RJ-11 (4-conductor), RJ-12 (6-conductor) and RJ-45 (8-conductor).

MSAU - Multi-Station Access Unit. The new abbreviation for a Token Ring wiring center. The units can be active or passive. They typically have eight ports for device (or lobe) attachment and a RI (ring-in) and RO (ring-out) port for network attachment.

MS-NET- Microsoft NETworks. The predecessor to LAN Manager. First introduced in MS-DOS version 3.1.

MTBF - Mean Time Between Failures. The average operational time of a device.

MULTIMODE FIBER - A fiber with a core diameter (commonly 50 or 62.5 microns) much larger than the wavelength of light transmitted that allows many modes of light to propagate. Commonly used with LED light sources for lower speed, short distance links. More recently used with VCSEL laser light sources for Gigabit Ethernet.

MULTIMODE PROPAGATION- A method of introducing a light pulse with multiple light rays (modes) into an optical fiber. Multimode is typically used for short-haul applications of less than 2 KM using relatively inexpensive light sources usually operating at a 850 or 1300 nanometer wavelength. Gigabit Ethernet uses an 850 VCSEL laser while most other applications use Light Emitting Diode (LED) light sources.

MULTIPROCESSING- The ability of a system to run two or more processors simultaneously.

MULTIPLEXER- A device which causes two or more signals to use the same communications medium. Multiplexing can occur in either the frequency or the time domain.

MUTUAL CAPACITANCE- The capacitance between two conductors with all other conductors shorted to ground.

MUX- A short form slang of multiplex. Also MUXED, MUXING.

NAK - No Acknowledgment. A data communications negative response.

NEAR-END CROSSTALK (NEXT)- The coupling of power from the transmitted signal pair to an adjacent pair at the same transmitting end of the LAN cable.

NETBIOS - Network Basic Input/Output System.

NETVIEW - A network management offering from IBM.

NETWARE - A popular network operating system from Novell Inc.

NETWORK ADDRESS- A number giving a specific identification to a network attached device.

NETWORK INTERFACE CARD- NIC. A circuit card providing the hardware interface between a network device and the transmission medium.

NETWORK OPERATING SYSTEM- NOS. The software component of a network. The NOS contains all instructions pertinent to data transfer, file manipulation and services and interfacing routines.

NETWORK TOPOLOGY- The physical layout and interconnection of a network.

NEXT- See NEAR-END CROSSTALK.

NODE - A connection point into a network. The node may perform several functions (i.e., file server, workstation, print server, bridge, etc.).

NOMINAL VELOCITY OF PROPAGATION- "NVP" is the relative speed a signal travels on a conductor that is proportionate to the speed of light in a vacuum. Length measurements are determined by sending a signal down a line and measuring the reflected signal that comes back and factoring in the amount of time that it took to make the return trip. (also see c and LENGTH)

OCTOPUS - A cable adapter that transforms a 25-pair feeder into individual modular plugs.

ODD PARITY- An error checking method in which binary 1’s or zeroes are added to a character so that the number of 1’s is always odd.

OHMS - A measure of resistance. One ohm allows one ampere of current to flow across a one volt potential.

OPEN CIRCUIT- An incomplete circuit. A cable connected at one end only is an example of an open circuit. The opposite of a short circuit.

OPEN OFFICE- A floor space division provided by furniture, moveable partitions or other means instead of by building walls.

OPERATING SYSTEM- A software program or collection of programs that manage the computer’s hardware and provide an interface to that hardware for the end-user.

OPTICAL LOSS TEST SET - A measurement instrument for optical loss that includes both a meter and a light source.

OPTICAL POWER - The amount of radiant energy per unit time expressed in linear units of Watts or on a logarithmic scale in dBm (where 0 dB equals 1 mWatt) or dB* (where 0 dB = 1 microwatt).

OPTICAL RETURN LOSS (ORL) - Light reflected from the cleaved or polished end of a fiber caused by the difference of refractive indices of air and glass.

OPTICAL TIME DOMAIN REFLECTOMETER (OTDR)- A device that uses an emitted light pulse of known power and width and measuring the light that is scattered back from events along the length of the fiber. Distance to splices, connectors, faults and the end of the cable can then be calculated and displayed.

OS - Abbreviation for Operating System.

OSI - Open Systems Interconnect. A seven layer model defining the different levels of data communications in a network environment. Developed by the International Standards Organization. Cables comprise the Physical Layer of the OSI model.

OTDR - See OPTICAL TIME DOMAIN REFLECTOMETER.

OUTLET BOX (Telecommunications) - A metallic or nonmetalic box mounted within a wall, floor or ceiling and used to hold telecommunications outlets/connectors or transition devices.

OUTLET CABLE - A cable placed in a residential unit extending directly between the telecommunications outlet/connector and the distribution device.

OUTLET/CONNECTOR (Telecommunications) - A connecting device in the work area on which horizontal or outlet cable terminates.

OUTSIDE PLANT - Telecommunications infrastructure designed for installation exterior to buildings.

PACKET - A group of data in an organized form with a distinct header, control information and a destination address.

PACKET SWITCHING- The transmission of packetized data through a network. Each packet has information linking it to the rest of the total message or file as well as the destination address. This form of communication is efficient because each packet can take a different route if necessary to maximize throughput.

PACKET SWITCHING NETWORK- A network constructed to move data packets. An X.25 network is an example of a packet switching network.

PAIR - Two wires, usually twisted around each other.

PAIRED CABLE- Cable in which all conductors are arranged in color-coded pairs usually twisted around each other and then surrounded by a sheath.

PARALLEL DATA - Multiple bits of data transmitted each on its own line simultaneously.

PARITY CHECK- The addition of a bit to a character to aid in error checking.

PATCH CORD- A Length of cable with a plug on one or both ends.

PATCH PANEL - A cross-connect system of mateable connectors that facilitates administration.

PDN - Public Data Network.

PDS - Premise Distribution system.

PEER-TO-PEER NETWORK- A network in which all devices have equal status and abilities for file transfer, printer sharing, etc.

PERMANENT LINK- The Channel Link includes up to 90 m (295 ft) of horizontal cable and one connection at each end and may also include an optional transition/consolidation point connection. The permanent link configuration excludes both the cable portions of the test cord and the connection to the testing device.

PHYSICAL LAYER- The bottom layer of the OSI model, concerning physical interconnect hardware and electrical interface between devices.

PICO - 1 X 10 -12 . Used as a prefix usually for capacitance (pF) values.

PICOFARAD(pF) - One-trillionth (10 -12) of a farad. A common unit used in measuring mutual capacitance in cable.

PLENUM CABLE- Cable that can meet the UL 910 (Steiner Tunnel) test by using fire retardant insulation that inhibits fire propagation and toxic fumes. These cables can be used in horizontal runs in open air ceiling returns and will be clearly indicated with a "P" suffix (such as CMP) as certified by UL, ETL or other third party testing firms. It is typically coated with TEFLON®.

POLL - In LAN applications, it is a query to a node looking for information to be transferred on the network.

POLYVINYL CHLORIDE- PVC. A common insulation material sheathing many types of paired and axial cable. Emits very toxic gases when burned so it may not be used in free-air plenums or risers in premises applications. (also see also PLENUM CABLE)

POTS- Plain Old Telephone Service. Slang term to describe unknown, older, generic telephone wire.

POWER BUDGET - The difference (in dB) between the transmitted optical power (in dBm) and the receiver sensitivity (in dBm).

POWER METER (Fiberoptic)- An instrument that measures optical power emanating from the end of a fiber.

POWER SUM- Pair-to-Pair measurements are used to measure one pair against another. Power Sum measurements select a pair and then measure the disturbances from other pairs within the same sheath. This can be used in a 4-Pair or other high pair count (25, 50, 100 and up) to determine the effects of all the cables (of course testers only test 4-Pair at a time). Power Sum ACR, ELFEXT, and bidirectional NEXT measurements are made with the LT8000 Series. In general, this results in an approximately 3-dB loss limit when compared to pair-to-pair test values.

POWER SUM ATTENUATION TO CROSSTALK RATIO (PSACR) - A ratio expressed in dB, determined by subtracting the insertion loss from the POWER SUM NEAR-END CROSS TALK LOSS.

POWER SUM EQUAL LEVEL FAR-END CROSSTALK (PSELFEXT) - A computation of the unwanted signal coupling from multiple transmitters at the near-end into a pair measured at the far-end relative to the received signal level on that same pair.

POWER SUM NEAR-END CROSSTALK LOSS (PSNEXT) - A computation of the unwanted signal coupling from multiple transmitters at the near-end into a pair measured at the near-end.

PREMISES DISTRIBUTION SYSTEM- A multifunction wiring system designed by AT&T for integration of voice, data, video and graphics. It includes cables, adapters, electronic modules, wall jacks and protective covers. It is scalable from a single floor to a campus environment.

PRIMARY RATE INTERFACE (PRI)- An ISDN service consisting of either 23 B-channels + 1 D-channel (1.544 Mbps) or 30 B-channel + 1 D-channel (2.048 Mbps). (also see B-CHANNEL and D-CHANNEL) .

PROPAGATION DELAY- Propagation Delay is the time it takes for a signal to propagate from one end of a conducting pair in cabling, cables or connecting hardware to the opposite end of that pair. (also see DELAY SKEW).

PROPAGATION RATE - The speed at which electricity travels in a transmission medium. Expressed as a percentage of the speed of light that is represented as a lowercase "c".

PROTOCOL- A set of rules governing all aspects of communicated data.

PROTOCOL ANALYZER- A device capable of capturing, monitoring, decoding and analyzing various communications protocols. A high level troubleshooting and analysis tool.

PSACR- See POWER SUM ATTENUATION TO CROSSTALK RATIO.

PUNCH-DOWN BLOCK- A device used to terminate and cross-connect premises wiring. (also see also CONNECTING BLOCK)

PULL STRENGTH- See PULL TENSION.

PULL TENSION - The pulling force that can be applied to a cable.

PVC - See POLYVINYL CHLORIDE.

RACEWAY - A metal or plastic trough used to guide and carry installed cabling.

RECEIVER- Any device which receives communications. The opposite of a transmitter.

RECEIVER(Optical) - A device containing a photodiode and signal conditioning circuitry that converts light into an electrical signal in fiberoptic links.

RESISTANCE - The blockage or obstruction of current flow. A property of all conductors, it is measured in ohms.

RETURN LOSS- A measure of impedance mismatch indicated by a return echo signal reflection. It is often referred to as "RL" and it measures the ratio between the transmitted signal strength and the signal reflected back to the transmitting end. Like attenuation, excessive return loss indicates reduced signal strength at the receiver end and it can indicate a mismatched impedance at some point along the cable link. Return Loss is reported as a dB value for each pair, from each end. A value of 20 dB or higher for UTP is very good and a value below 10 dB causes a large reflection of signal back to the source and is not good. The IDEAL LT8000 Series provides this measurement.

REVERSED PAIR- See also SPLIT PAIR and TRANSPOSED PAIR. A situation that occurs when the one end of a twisted pair has its connections reversed. This condition is detected by a LAN Cable Tester’s Wiremap test. (also seeSPLIT PAIR and TRANSPOSED PAIR).

RISER - The path between floors of a building carrying cables which interconnect the floors.

ROUTER - A device used to connect LAN’s utilizing different communications protocols. It directs traffic within networks and offers security by restricting access to those that don’t belong. Routers require intensive programming instructions and are used mostly for WAN (wide area network) interface to outside services.

RS232-C- A standard developed by the EIA defining signal levels and pin assignments for serial data communications. Much misused and modified, it no longer represents a standard, but a general guideline to follow when interfacing DTE and DCE.

SAA - Systems Application Architecture. Specifications designed by IBM to insure compatibility at the application (highest) level between all newly developed software packages.

SAG - The downward curvature of a wire or cable due to its weight. The TIA/EIA 569 Pathways and Spaces Standard requires Category 5 cable to be supported at 48" to 60" intervals and the sag cannot exceed 12" between supports.

SC CONNECTOR- The SC (Subscriber Carrier) fiber optic connector is one of three connectors (the other two are ST and SFF) approved by ANSI/TIA/EIA 568-B.3. The SC Connector’s main advantage is polarization since the connectors can be paired and keyed.

SCATTERING - The change of direction of light after striking small particles that causes loss in optical fibers.

SCREEN- An element of a cable formed by a shield

SCSI - Small Computer Systems Interface. A high-speed semi-intelligent peripheral interface for microcomputers.

SDLC - Synchronous Data Link Control. A bit oriented synchronous communications protocol developed by IBM for use within SNA.

SEGMENT - A cable run. Its maximum length is determined by the topology. A 10BASE2 segment may be up to 605 feet long. A 10BASE-T segment may be up to 328 feet long.

SERIAL TRANSMISSION- The sending of multiple data bits down a single line in a stream.

SERVER - A network device which provides a service to other network devices. Services include file, printer, communications or gateway.

SESSION LAYER- The fifth layer of the OSI model dealing with network processing, linking and unlinking users from their chosen service.

SFF CONNECTOR- See SMALL FORM FACTOR CONNECTOR.

SHORT WAVELENGTH -A commonly used term for light in the 665, 790, and 850 nm ranges.

SINGLEMODE FIBER - A fiber with a small diameter (commonly 8-10 microns) core, only a few times the wavelength off light transmitted that only allows one mode of light to propagate. Commonly used with laser sources for high-speed, long-distance links.

SMALL FORM FACTOR CONNECTOR (SFF)- The SFF CONNECTOR is a term used to describe a group (rather than a single) of fiberoptic connectors approved by ANSI/TIA/EIA 568-B.3 (along with ST and ST Connectors). They are not presently used for Singlemode connections. They are designed to reduce the size of patch panels, thereby reducing the number and cost of telecommunication closets to make fiber-to-the-desktop more competitive with copper. Popular SFF connectors include SC/DC, LC, MT-RJ, Volition and Fiber Jack.

SHARED LOGIC- The simultaneous use of resources in a computer by several users.

SHEATH - See cable sheath

SHIELD - A metallic layer placed around a conductor or group of conductors.

SHIELDED PAIR- A pair of wires, twisted together and covered with a conductive material to provide any potentially induced noise a quick path to ground.

SINGLEMODE PROPAGATION- A method of introducing a light pulse into a single light ray (mode) into an optical fiber. Singlemode is typically used for long-haul applications of 2 to 50 kilometers using relatively expensive laser light sources usually operating at a 1310 or 1550 nanometer wavelength.

SHORT CIRCUIT- A condition that exists when two conductors are connected ahead of where they normally should be in a circuit. This causes reduced resistance and sometimes the undesirable side effects.

SIGNAL GROUND- A common point of reference for all other signals in a communications interface.

SIGNAL TO NOISE RATIO- (SNR) The ratio of received signal to existing system noise. In LAN applications it is the attenuation to NEXT ratio. Both are expressed in decibels.

SILVER SATIN- Flat, untwisted cable used typically as a telephone extension cord. It should never be used in a Local Area Network.

SIMPLEX - Transmission in one direction only.

SKEW– See DELAY SKEW.

SNA - Systems Network Architecture. Developed by IBM as a path to interconnect all of its computer products. Very common and very successful.

SNMP - Simple Network Management Protocol. A popular network management protocol that is incorporated into many intelligent hubs and concentrators. Originally designed for TCP/IP, it now functions independently and with most topologies and network operating systems.

SONET - Synchronous Optical NETwork.

SOURCE - A laser diode or LED used to inject an optical signal into a fiber.

SPACE - Another name for a binary "0" in data communications.

SPLICE- A splice describes the connection of two fibers in a permanent joint. A splice may be formed by “fusion splicing,” wherein the two fibers are welded together, usually with an electric arc. Alternatively, a splice may be formed by “mechanical splicing” that uses a mechanical alignment fixture and a matching gel or epoxy to minimize back reflection.

SPLIT PAIR- A situation that occurs when a twisted pair is misconnected so that it becomes ½ of two separate pairs. The noise immunity of the twists is lost and an impedance mismatch is created. This wiring error will not show up as an error on a Wiremap, but will be indicated by very high NEXT. (also see also REVERSED PAIR and TRANSPOSED PAIR).

ST CONNECTOR- The ST (Straight Through or alternatively Straight Terminus) fiber optic connector is one of three connectors (the other two are SC and SFF) approved by ANSI/TIA/EIA 568-B.3. The ST Connector is the most widely used connector for Multimode fiberoptic cable.

STAR TOPOLOGY- A physical layout in which each device is wired back to a central point.

START BIT- In asynchronous communications, a start bit and stop bit delimits each character to indicate to the receiver the character’s location.

START/STOP TRANSMISSION - Another term for Asynchronous Communication.

STOP BIT - The trailing bit in an asynchronous character sequence.

STP - Shielded Twisted Pair. Cable constructed of pairs of insulated wire twisted around each other surrounded by shielding material made of foil or braid or both. The entire group of wires may have a common shield or as found in Category 7 cables, each pair may be shielded individually with another shield around the entire group just under the sheath.

STRANDED CONDUCTOR- A wire or cable constructed of several small strands of conductor instead of one larger solid piece. This configuration provides for more flexibility in certain applications. Patch cords are made out of stranded conductors and the NEXT values are degraded up to 20% to allow for them in a link.

SURFACE EMITTER LED - An LED that emits light perpendicular to the semiconductor chip. Most LEDs used in data communications are surface emitters.

SWITCH- Multi-port device used to connect a quasi-exclusive 10/100/1000 Mbps connection between any two-end systems using the source and destination addresses of the packet via the internal bus. Switches work at the MAC (Media Access Control) Layer and above and use either "store and forward" or "cut-through" technology. Switches are "plug-and-play " devices that can be used to segment a network when it starts to slow down. Each port can function at the rated speed of the switch and some are auto-sensing for 10/100 Mbps. Ethernet switches are offered as standalone systems or as modules for existing hubs.

SYNCHRONOUS TRANSMISSION- Transmission between devices with a common clock. Data can be sent at a much higher speed because there is no need to frame each character.

T CONNECTION- A connector fanning out in three directions and looking like a "T". Commonly used is a BNC T connector for 10BASE2 applications.

TAP - An electrical connection to a bus to enable access. A tap may be invasive (requiring a cable splice), or non-invasive (a "vampire" tap).

TCP/IP- Transmission Control Protocol/Internet Protocol. A suite of protocols designed by the Department of Defense to enable communications between dissimilar computer systems. Now widely used by the commercial and academic sectors.

TDR - Time Domain Reflectometer. A piece of test equipment used to measure metallic cable length and impedance.

TELECOMMUNICATIONS- Any transmission, emission, and reception of signs, signals, writings, images and sounds, that is information of any nature by cable, radio, optical or other electromagnetic systems.

TELECOMMUNICATIONS INDUSTRY ASSOCIATION- Known as TIA, this association is made up of two autonomous parts. The first operates as a traditional trade association structured to promote the common interests of its members. The second operates as the Standards Development organization for the telecommunications industry in North America.

TERMINAL SERVER- A device that allows connection of several terminals and multiplexes them onto a LAN cable.

TERMINATE - To connect a wire or wires to a device or a matching impedance connection.

THICKNET - Another term for IEEE 802.3 10BASE-5 systems.

THIN ETHERNET- Normally describes a 10BASE-2 system. Also called Cheapernet.

TIA - See TELECOMMUNICATIONS INDUSTRY ASSOCIATION.

TIA/IEEE STANDARDS COMMITTEES- The following TIA/IEEE committees and subcommittees draft the standards that are pertinent to LAN Networks:

 

FO-2

Committee on Optical Communications Systems

FO-2.1

Single-mode Systems Subcommittee

FO-2.2

Digital Multimode Systems Subcommittee

FO-2.3

Opto-Electronic Sources, Detectors and Devices Subcommittee

FO-2.4

Optical Terms, Definitions, Document Control Subcommittee

FO-2.5

Outside Fiber Cable Plant Installation Subcommittee

FO-2.6

Reliability of Fiberoptic Systems and Active Optical Components Subcommittees

FO-6.3

Interconnecting Devices Subcommittee

FO-6.6

Fibers and Materials Subcommittee

FO-6.7

Optical Cables Subcommittee

FO-6.9

Polarization-Maintaining Fiber Connectors and Components

TR42

User Premises Telecommunications Infrastructure Committee

TR42.1

Commercial Building Cabling Committee

TR42.2

Residential Telecommunications Infrastructure Committee

TR42.3

Commercial Building Telecommunications Pathways and Spaces Committee

TR42.4

Customer-owned Outside Plant Telecommunications Infrastructure Committee

TR42.5

Telecommunications Infrastructure Terms and Symbols Committee

TR42.6

Telecommunications Infrastructure and Equipment Administration Committee

TR42.7

Copper Cabling Systems Committee

TR42.7.1

Copper Connecting Hardware Subcommittee

TR42.7.2

Copper Cable Subcommittee

TR42.8

Telecommunications Optical Fiber Cabling Systems Committee

TR42.9

Industrial Telecommunications Infrastructure Committee

IEEE 802.3

Working Group develops standards for CSMA/CD (Ethernet) based LANs

TC- See TRANSVERSE CONVERSION LOSS.

TOKEN - A unique combination of bits that passes from station to station in a token passing network. When a station has the token, it may communicate with the network.

TOKEN BUS- A bus topology that uses token passing as its contention method.

TOKEN PASSING- Moving a special combination of bits from station to station in a ring or bus when there is no traffic. When a workstation has the token, it may then use the network channel for communications.

TOKEN RING- A logical ring topology that passes a token in one direction around the ring. A given device must possess the token to communicate with any other device. If it does not gain control of the token as it passes, it must wait until the token goes around the ring.

TOPOLOGY- The geometric form describing a network’s logical and physical layout.

TR42- See TIA/IEEE STANDARDS COMMITTEES.

TRAFFIC - A measure of the activity on a network at a given time. Network analyzers can monitor traffic and when Ethernet segments start to exceed 30% to 40% utilization, they run much slower and need to be segmented with switches.

TRANSCEIVER - A device which can transmit and receive information, typically to a workstation from a network connection.

TRANSFER IMPEDANCE- A measure of shielding performance determined by the ratio of the voltage on the conductors enclosed by a shield to the surface currents on the outside of the shield.

TRANSPORT LAYER- Level 4 of the OSI model, this layer deals with end-to-end control of the transmitted information and provides results to the session layer.

TRANSPOSED PAIR- A transposed pair occurs when the ends of two twisted pairs are interchanged. This condition is detected by a LAN Cable Tester’s Wiremap test. (also see SPLIT PAIR and REVERSED PAIR).

TRANSVERSE CONVERSION LOSS- A ratio expressed in dB, of measured common mode voltage on a pair relative to the differential mode voltage on the same pair applied at the same end.

TSB - 67, TSB - 95- Technical Service Bullets that augmented the ANSI/EIA/TIA-A Standard. TSBs were incorporated into the body of ANSI/EIA/TIA-B, and further updates are issued as updated Standards.

TWINAXIAL CABLE- Cable constructed of two insulated center conductors surrounded by a braided shield. Widely used in midrange IBM systems (AS 400’s).

TWISTED PAIR- Two insulated wires twisted around each other at regular intervals. May be shielded or unshielded. The number of twists per foot directly relates to the relative noise immunity of the pair.

UART- Universal Asynchronous Receiver Transmitter. A common integrated circuit used in many personal computer serial data ports.

UL- See UNDERWRITERS LABORATORIES.

UNDERWRITERS LABORATORIES (UL) - A testing body formed primarily to certify fire safety of electrical equipment dealing with voltages greater than 48 VAC or DC. UL has the most recently assumed the responsibility for certification of data grade unshielded twisted pair media for conformance to EIA/TIA and NEMA specifications. The cable categories III through V from the EIA/TIA TSB 36 document serve as the basis for UL cable LEVELS 2 through 5. Cable certified by the UL to meet these standards would bear a marking indicating.

UNIVERSAL SERVICE ORDERING CODE- USOC. A wiring standard for telephone service to an individual phone. In a modular plug, the two center conductors are the primary pair, and supplementary pairs radiate out concentrically. For example, in an RJ-45 (eight pin) plug, pins 4,5 are the primary pair with pins 3,6 - 2,7 - 1,8 forming the supplementary pairs. Note that this is not compatible with TIA/EIA 568-A’s recommendation of T-568A or T-568B.

UNIVERSAL SYSTEMS BUS (USB)- A bus for transmitting data between computing devices. Rated at 11 Mbits per second, it offers about 100 times the throughput of a Serial bus.

USART- Universal Synchronous/Asynchronous Receiver Transmitter.

USB- See UNIVERSAL SYSTEMS BUS.

UTP - Unshielded Twisted Pair. Cable constructed of typically multiple twisted pairs of wires, unshielded in a PVC- or plenum-rated sheath.

µV- Microvolt. One millionth of a volt.

µm - A "micro-meter" equals one millionth of a meter.

VAMPIRE TAP- A tap system for 10BASE5 systems that does not require cutting and splicing the cable. This system uses a sharp pin that pierces the insulator and contacts the center conductor of the thick 10BASE5 cable.

VCSEL - See VERTICAL CAVITY SIDE-EMITTING LASER

VERTICAL CAVITY SIDE-EMITTING LASER (VCSEL) - A type of light source usually operating at 850 nm and used for Gigabit Ethernet applications.

VOICE GRADE- A designation for a facility capable of carrying signals with a frequency range of 200 - 4000 Hertz.

VOLTAGE - The potential difference in energy between two points.

VTAM - Virtual Telecommunications Access Method. A software suite designed by IBM for their 370 line to manage remote communications for the host and users.

WAN - Wide Area Network. A network typically spanning a continent or the globe and connected by routers.

WATS - Wide Area Telecommunications Service.

WAVELENGTH DIVISION MULTIPLEXING- WDM is a method encoding data for transmission over an optical fiber.

WDM- See WAVELENGTH DIVISION MULTIPLEXING.

WIRING CLOSET- Typically called a telecommunications closet (TC). It is a central point for horizontal floor wiring to connect to vertical riser cable or to backbones running to an IC or MC.

WIREMAP - A test performed in the suite of ANSI/EIA/TIA-B.2 requirements that determines the pinout configuration of the wiring pairs. This is the first test a Category 5 tester runs and it looks for opens, shorts, reversals, split pairs and any other miswiring. TIA/EIA 568-B.2 specifies that all four pairs are terminated for Category 5 UTP. Each respective protocol has different pinouts as shown by the WIREMAP test results. Ethernet uses pins 1,2 and 3,6 and Token Ring uses 3,6 and 4,5. (also see LINEMAP)

WORD - The number of bits transmitted in parallel on a data bus.

WORK AREA (work station) - A building space where the occupants interact with telecommunications terminal equipment.

X-ON/X-OFF- A basic form of information flow control for data communications, the receiving device would issue an X-OFF to the transmitter while it emptied its buffer to disk or performed another operation. When the receiver was ready for more data, it would then issue an X-ON.

XC- Abbreviation for cross-connect.

 

 

 

GLOSSÁRIO2:

 

1 Base5

 

Ethernet de Par Trançado sem blindagem; velocidade de 1 Mbps; a distância máxima entre estações de trabalho e o conector é de 500 metros. Não muito utilizado

10Base2

CheaperNet, ThinNet ou Thin Ethernet; velocidade de 10 Mbps; o segmento máximo de cabo é de 200 metros.

10Base5

Ethernet espesso, o sistema de cabo especificado pela Dec e Xerox; velocidade de 10 Mbps; o segmento máximo de cabo é de 500 metros

10Base-F

Ethernet de Fibra; utilizado entre estações de trabalho e um concentrador; velocidade de 10 Mbps; a distância estimada é de 2,2 quilômetros

10Base-T

Ethernet de par trançado; velocidade de 10 Mbps. Muito popular

ATM

Protocolo de Modo de Transmissão Assíncrona de Dados em blocos de 53 bits, atingindo velocidades a partir de 155 MB/s até 1,7Gb/s. Corresponde à futura tecnologia para redes de dados e permitirá, entre outras coisas, videoconferência em tempo real

BR

Código ISO de identificação do Brasil na Rede, tipo de sufixo de um endereço na Internet. Um endereço brasileiro na Internet, registrado no órgão de gerenciamento da rede por aqui, sempre tem esta sigla.

BROWSER

Programa para visualizar, folhear páginas na Internet. Navegador, software para navegação da Internet. Os mais utilizado são o Netscape Navigator e o Internet Explorer.

CABEAMENTO ESTRUTURADO

Técnica de disposição de cabos em um edifício caracterizada por uma configuração topológica flexível, facilitando a instalação e o remanejamento de redes locais.

CABO UTP

Tipo de cabo mais utilizado nas topologias de redes de computadores atuais. É composto por quatro pares de cabos trançados entre si atingindo a velocidade de 155 milhões de bytes por segundo (155MBp/s). Pode alcançar até 100 metros entre duas conexões dentro da Categoria 5.

CATEGORIA 5

Categoria máxima homologada para redes de dados que estejam dentro das normas-padrão

EIA/TIA ( Associações das Indústrias Elétricas e Telefônicas dos E.U.A). Garantia de uma rede atual e com funcionamento perfeito.

CIBERESPAÇO (OU CYBERSPACE)

Espaço virtual onde a informação circula através de computadores. Espaço cibernético.

CONEXÃO

Ligação entre computadores feita a distância que permite a comunicação de dados entre ambos.

CORREIO ELETRÔNICO

Sistema de troca de mensagens através de redes de computadores. As mensagens podem conter textos e outros tipos de arquivos em anexo (attachment). Ver e-mail.

CPA

Central por programa armazenado. Centrais telefônicas com sistemas digitais controlados por computadores de alta capacidade de processamento, cujos terminais são os telefones.

CROSSTALK

tendência do sinal de um par de fios ser induzido em um par adjacente.

D.G. Sigla para Distribuidor Geral. É um quadro que contém as conexões e organiza adistribuição decabos de telefonia ou dados.

DOMÍNIO

Nome que identifica um site de uma pessoa, empresa ou instituição na Internet. Exemplo:

telesp.com.br .

DOWNLOAD

Ato de "baixar" e carregar um programa, ou seja, fazer a transferência de arquivos de um computador remoto para seu computador através da rede.

EIA/TIA

Sigla para União das Associação das Indústrias de Telefonia e Associação das Indústrias de Elétrica dos Estados Unidos. Criaram as normas que regulam a instalação de redes de dados com o uso de cabos de par trançado (cabos UTP).

E-MAIL

Do inglês, eletronic mail ou correio eletrônico. Endereço eletrônico para envio de mensagens na Internet. Exemplo: webmaster@telesp.com.br

ETHERNET

Padrão de rede local amplamente utilizado na década de 90, quando passaram a ser instalados em cabos UTP. É um sistema flexível, barato e com velocidade de transmissão de dados entre 4 e 10 MBp/s.

FAQ

Frequently Asked Questions, ou Perguntas Mais Freqüentes. Perguntas e respostas das questões e dúvidas mais freqüentes sobre um assunto.

FAST-ETHERNET

padrão de rede local do tipo Ethernet que atinge velocidades maiores (entre 80 e 100Mb/s).

FIBRA ÓPTICA

tipo de cabo feito de cristal de quartzo muito fino que permite o tráfego de grandes pacotes de informações em altíssima velocidade (2 bilhões de bits por segundo-2GBp/s) por meio de de luz de 850 nanometros de cromprimento de onda, (multimodo) e que em geral é utilizado para a troca de pulsos informações entre grandes distâncias (aproximadamente 2.5 Km).

FRAME-RELAY

Protocolo que permite a conexão (com largura de banda ajustável de acordo com a demanda) entre duas redes locais através de uma rede pública utilizando comutação por pacotes.

FREQUÊNCIA

medida pela qual uma corrente elétrica é alternada, em hertz.

FTP

File Transfer Protocol - Protocolo de transferência de arquivos, usado para enviar e receber

arquivos via Internet.

GIF

Graphic Interchange Format - Formato gráfico utilizado em imagens e com grande capacidade de compressão. A maioria das imagens animadas na Internet são feitas nesse formato.

HERTZ

unidade de medida para definir frequência, em ciclos por segundo.

HIPERTEXTO

Destaque de palavras, geralmente sublinhadas, em um texto que remete a outros locais (texto ou imagem ou site) permitindo uma leitura não linear.

HOME PAGE

Primeira página de um site na Internet. Tornou-se sinônimo de endereço web.

HOST

Em português, hospedeiro. Computador que hospeda, guarda as informações para uma rede, no caso, a Internet.

HTML

HyperText Markup Language, linguagem de programação básica da Internet. Permite ao browser exibir textos e outros recursos multimídia de um site.

HTTP

HyperText Transfer Protocol - Protocolo ou padrão de transferência de arquivos html através da Internet.

HUB

dispositivo de conexão eletrônica entre o servidor e os outros micros de uma rede do tipo Estrela. Podem ser passivos, apenas distribuindo o sinal; ativos, que possuem um repetidor que regenera o sinal, inteligentes, que permitem monitoração dos micros, ou chaveados que funcionam fechando conexões não utilizadas e acelerando a velocidade de transmissão.

IMPEDÂNCIA

oposição ao fluxo dinâmico corrente em um meio de transmissão.

INTERNET

A maior rede de computadores do mundo.

INTRANET

Rede particular usada em empresas e instituições. Utiliza a tecnologia do ambiente Web da Internet, porém com acesso restrito aos usuários desta rede privada.

IP

(endereço) - Identificação numérica de um endereço na Internet. Cada domínio tem um endereço IP

JAVA

Linguagem de programação criada pela Sun Microsystems. Permite baixar pequenos programas (Applets) que são ativados na própria máquina do usuário. Foi criada para poder ser utilizada em qualquer tipo de computador.

JPEG

Joint Photographic Experts Group - Formato de arquivo de imagens comprimidas.

LAN

Sigla para Rede de Área Local (Local Area Network), definida por uma rede de computadores restrita à uma mesma área, como por exemplo um edifício comercial ou uma fábrica.

LARGURA DE BANDA (BAND WIDTH)

Capacidade de um determinado canal (fibra ótica, fio de cobre) de transmitir informações. No Brasil as linhas telefônicas convencionais utilizadas para transmissão de dados da Internet normalmente permitem uma largura de banda de 28 Kbps.

LINK

Ligação. Na Internet, uma palavra ou imagem em destaque que faz ligação com outra informação. Os links permitem a leitura não-seqüencial de um documento e são indicados nas páginas WEB pelo símbolo da mãozinha no lugar do cursor do mouse.

L.P.

linha privada de telefonia utilizada por empresas para aumentar a segurança e velocidade de

transmissão de dados.

MAU

sigla para Unidade de Aceso de Mídia (Media Access Unit), dispositivo que serve como transceiver em uma rede do tipo Ethernet.

MBits

taxa na qual os dados podem ser transmitidos, equivalente a um milhão de bits.

MBp/s

velocidade de transmissão de dados, equivalente ao envio de um milhão de bits po segundo.

MHz (milhão de Herts)

medida de frequência por segundo de um sinal de tensão sob a qual a informação de dados é transmitida.

MODEM

sigla para Modulador/Demodulador (MOdulator/DEModulator), dispositivo que converte informação digital em informação para ser transmitida por uma linha telefônica, e vice-versa.

ON LINE

Em linha. Você está on line quando seu computador estiver conectado a outro computador ou a uma rede, permitindo a troca de informações através dessa conexão.

PAB

Perda no Assinante B - Índice de chamadas não completadas (perdidas) no assinante B, aquele que receberia as chamadas.

PARIDADE

método de checagem de erros na transmissão de informação por meio de bits.

PATCH PANEL

dispositivo de conexão manual que permite uma fácil organização, e remanejamento dos pontos de um cabeamento estruturado, alterando a posição do ponto sem modificação física do cabo UTP.

PLUG-IN

Programa adicional instalado em seu browser para ampliar seus recursos. Exemplos: Shockwave Flash, Real Audio, VDO e outros.

PPP

Point to Point Protocol - Protocolo que permite a seu computador utilizar os protocolos da Internet através de uma linha telefônica comum.

PROTOCOLO

Conjunto de regras que permite a transferência de dados entre computadores.

PROVEDOR DE ACESSO

Empresa que oferece conexão à Internet.

RACK

equipamento em forma de armário que armazena os diversos dispositivos de controle de rede (como hubs, lpatch panels e D.I.O.s) que são encaixados como gavetas.

REDE

Conjunto de computadores interligados entre si e a um computador principal, o servidor. No caso da Internet, são vários servidores interligados em todo o mundo.

REPLY

resposta dada a um e-mail recebido.

RJ -11

tipo de conector para telefonia em cabos UTP, de fácil manuseio e instalação.

RJ- 45

tipo de conector para dados em cabos UTP de fácil manuseio e instalação.

ROTEADOR

dispositivo que permite a interligação de vários segmentos de rede. Muito utilizado em redes WAN, pois permite a interligação de duas redes em lugares distantes por meio de telefone, sinal de rádio ou satélite.

SEARCH

Busca, procura. Mecanismo de busca de informações na Internet. Cadê, Altavista, Excite, Lycos e Yahoo são muito populares.

SERVIDOR

Micro designado para gerenciar uma rede, organizando a transmissão de dados entre os microsg de uma empresa e para fora dela, além de armazenar bancos de dados e controlar o acesso de informações confidenciais. Uma rede pode ter mais de um servidor.

SHAREWARE

Software distribuído gratuitamente por determinado período. Depois de um período inicial de testes, espera-se que o usuário envie um pagamento aos autores do programa para continuar a utilizá-lo.

SITE

Espaço ou local de uma empresa ou instituição na Internet. Um site é composto de uma Home Page e várias outras páginas.

SLDD

Serviço por Linha Dedicada para Sinais Digitais, para interligação de dois até cinco equipamentos de comunicação de dados.

SWITCH

dispositivo eletrônico capaz de segmentar uma rede de dados em diferentes velocidades. Muito usado para redes com topologia simultânea ETHERNET e FAST ETHERNET

TCP/IP

Transmission Control Protocol - Internet Protocol - Protocolo que define o processo de comunicação entre os computadores na Internet.

TOPOLOGIA ESTRELA

Tipo de organização de uma rede em que cada micro é ligado ao servidor por um cabo independente, e a organização do envio de informações é feita por Hub ligado ao servidor. Permite o uso de Cabeamento Estruturado, atinge grandes velocidades, tem manutenção fácil e é flexível.

TRANSCEIVER

dispositivo que transmite e recebe informação de um computador para uma conexão de rede.

TRANSCEIVER ÓPTICO

dispositivo eletrônico que transforma sinais digitais provenientes de uma fibra óptica em sinais balanceados de 8 vias (RJ 45) para acoplamento de HUBs.

UPGRADE

Atualização de um software (versão mais recente) ou de um computador (configuração).

UPLOAD

Transferência de arquivos de um computador para outro.

URL

Uniform Resource Locator - Sistema de endereçamento usado em toda a WWW. Exemplo:

http://www.telesp.com.br/default.htm.

VÍRUS

Programa de computador feito para destruir outros programas ou arquivos específicos. Pode causar um prejuízo irreparável. O Anti-vírus é um programa que detecta e elimina os vírus.

WAN

Sigla para Rede de Grande Área(Wide Area Network), definida por uma rede de computadores ligada por meios de comunicação de longa distância, como por exemplo sinais de rádio, L.P.s (linhas privadas) e até mesmo satélites.

WWW

World Wide Web. É a área multimídia da Internet. Por ser a mais popular é confundida com a própria Internet. Além da WWW existem outras áreas da Internet, como: FTP, Gopher, Usenet e Telnet

 

 

 

 

 

GLOSSÁRIO3:

 

1 Base5
Ethernet de Par Trançado sem blindagem; velocidade de 1 Mbps; a distância máxima entre estações de trabalho e o conector é de 500 metros. Não muito utilizado

10 Base2
CheaperNet, ThinNet ou Thin Ethernet; velocidade de 10 Mbps; o segmento máximo de cabo é de 200 metros.

10 Base5
Ethernet espesso, o sistema de cabo especificado pela Dec e Xerox; velocidade de 10 Mbps; o segmento máximo de cabo é de 500 metros

10 Base-T
Ethernet de par trançado; velocidade de 10 Mbps. Muito popular

100 Base-TX
Ethernet de par trançado; velocidade de 100 Mbps.

1000 Base-TX(Giga Bit)
Ethernet de par trançado; velocidade de 1000 Mbps ou 1 Giga Bit dependendo do cabo UTP utilizado, CAT6 ou superior.

10 Base-FL
Ethernet de Fibra; utilizado entre estações de trabalho e um concentrador; velocidade de 10 Mbps; a distância estimada é de 2,2 quilómetros

100 Base-FX
Ethernet de Fibra; utilizado entre estações de trabalho e um concentrador; velocidade de 100 Mbps;a distância estimada é de 2,2 quilómetros

1000 Base-SX
Ethernet de Fibra; utilizado entre estações de trabalho e um concentrador; velocidade de 1000 Mbps;a distância estimada é de 220 à 550 Metrosdependendo da fibra óptica utilizada, Multi Modo ou Mono Modo

1000 Base-LX
Ethernet de Fibra; utilizado entre estações de trabalho e um concentrador; velocidade de 1000 Mbps;a distância estimada é de 550 à 5.000 Metrosdependendo da fibra óptica utilizada, Multi Modo ou Mono Modo ou de diâmetro do núcleo entre 62.5, 50 ou 9 mícron

ATM
Protocolo de Modo de Transmissão Assíncrona de Dados em blocos de 53 bits, atingindo velocidades a partir de 155 MB/s até 1,7Gb/s. Corresponde à futura tecnologia para redes de dados e permitirá, entre outras coisas, videoconferência em tempo real


BR
Código ISO de identificação do Brasil na Rede, tipo de sufixo de um endereço na Internet. Um endereço brasileiro na Internet, registrado no órgão de gerenciamento da rede por aqui, sempre tem esta sigla.

BROWSER
Programa para visualizar, folhear páginas na Internet. Navegador, software para navegação da Internet. Os mais utilizado são o Netscape Navigator e o Internet Explorer.

CABEAMENTO ESTRUTURADO
Técnica de disposição de cabos em um edifício caracterizada por uma configuração tipológica flexível, facilitando a instalação e o remanejamento de redes locais.

CABO UTP
Tipo de cabo mais utilizado nas topologias de redes de computadores atuais. É composto por quatro pares de cabos trançados entre si atingindo a velocidade de 155 milhões de bytes por segundo (155MBp/s). Pode alcançar até 100 metros entre duas conexões dentro da Categoria 5.

CATEGORIA 5
Categoria máxima homologada para redes de dados que estejam dentro das normas-padrãoEIA/TIA ( Associações das Indústrias Elétricas e Telefônicas dos E.U.A). Garantia de uma rede atual e com funcionamento perfeito.

CIBERESPAÇO (OU CYBERSPACE)
Espaço virtual onde a informação circula através de computadores. Espaço cibernético.

CONEXÃO
Ligação entre computadores feita a distância que permite a comunicação de dados entre ambos.

CORREIO ELETRÔNICO
Sistema de troca de mensagens através de redes de computadores. As mensagens podem conter textos e outros tipos de arquivos em anexo (attachment). Ver e-mail.

CPA
Central por programa armazenado. Centrais telefônicas com sistemas digitais controlados por computadores de alta capacidade de processamento, cujos terminais são os telefones.

CROSSTALK
tendência do sinal de um par de fios ser induzido em um par adjacente.

D.G. Sigla para Distribuidor Geral. É um quadro que contém as conexões e organiza a distribuição de cabos de telefonia ou dados.

DOMÍNIO
Nome que identifica um site de uma pessoa, empresa ou instituição na Internet.
Exemplo: telesp.com.br .

DOWNLOAD
Ato de "baixar" e carregar um programa, ou seja, fazer a transferência de arquivos de um computador remoto para seu computador através da rede.


EIA/TIA
Sigla para União das Associação das Indústrias de Telefonia e Associação das Indústrias de Elétrica dos Estados Unidos. Criaram as normas que regulam a instalação de redes de dados com o uso de cabos de par trançado (cabos UTP).

E-MAIL
Do inglês, eletronic mail ou correio eletrônico. Endereço eletrônico para envio de mensagens na Internet. Exemplo:
webmaster@telesp.com.br

ETHERNET
Padrão de rede local amplamente utilizado na década de 90, quando passaram a ser instalados em cabos UTP. É um sistema flexível, barato e com velocidade de transmissão de dados entre 4 e 10 MBp/s.

FAQ
Frequently Asked Questions, ou Perguntas Mais Freqüentes. Perguntas e respostas das questões e dúvidas mais freqüentes sobre um assunto.

FAST-ETHERNET
padrão de rede local do tipo Ethernet que atinge velocidades maiores (entre 80 e 100Mb/s).
FIBRA ÓPTICA
tipo de cabo feito de cristal de quartzo muito fino que permite o tráfego de grandes pacotes de informações em altíssima velocidade (2 bilhões de bits por segundo-2GBp/s) por meio de de luz de 850 nanometros de cromprimento de onda, (multimodo) e que em geral é utilizado para a troca de pulsos informações entre grandes distâncias (aproximadamente 2.5 Km).

FRAME-RELAY
Protocolo que permite a conexão (com largura de banda ajustável de acordo com a demanda) entre duas redes locais através de uma rede pública utilizando comutação por pacotes.

FREQUÊNCIA
medida pela qual uma corrente elétrica é alternada, em hertz.

FTP
File Transfer Protocol - Protocolo de transferência de arquivos, usado para enviar e receber arquivos via Internet.

GIF
Graphic Interchange Format - Formato gráfico utilizado em imagens e com grande capacidade de compressão. A maioria das imagens animadas na Internet são feitas nesse formato.

HERTZ
unidade de medida para definir frequência, em ciclos por segundo.

HIPERTEXTO
Destaque de palavras, geralmente sublinhadas, em um texto que remete a outros locais (texto ou imagem ou site) permitindo uma leitura não linear.

HOME PAGE
Primeira página de um site na Internet. Tornou-se sinônimo de endereço web.

HOST
Em português, hospedeiro. Computador que hospeda, guarda as informações para uma rede, no caso, a Internet.

HTML
HyperText Markup Language, linguagem de programação básica da Internet. Permite ao browser exibir textos e outros recursos multimídia de um site.

HTTP
HyperText Transfer Protocol - Protocolo ou padrão de transferência de arquivos html através da Internet.

HUB
dispositivo de conexão eletrônica entre o servidor e os outros micros de uma rede do tipo Estrela. Podem ser passivos, apenas distribuindo o sinal; ativos, que possuem um repetidor que regenera o sinal, inteligentes, que permitem monitoração dos micros, ou chaveados que funcionam fechando conexões não utilizadas e acelerando a velocidade de transmissão.

IMPEDÂNCIA
oposição ao fluxo dinâmico corrente em um meio de transmissão.

INTERNET
A maior rede de computadores do mundo.

INTRANET
Rede particular usada em empresas e instituições. Utiliza a tecnologia do ambiente Web da Internet, porém com acesso restrito aos usuários desta rede privada.

IP
(endereço) - Identificação numérica de um endereço na Internet. Cada domínio tem um endereço IP

JAVA
Linguagem de programação criada pela Sun Microsystems. Permite baixar pequenos programas (Applets) que são ativados na própria máquina do usuário. Foi criada para poder ser utilizada em qualquer tipo de computador.

JPEG
Joint Photographic Experts Group - Formato de arquivo de imagens comprimidas.

LAN
Sigla para Rede de Área Local (Local Area Network), definida por uma rede de computadores restrita à uma mesma área, como por exemplo um edifício comercial ou uma fábrica.

LARGURA DE BANDA (BAND WIDTH)
Capacidade de um determinado canal (fibra ótica, fio de cobre) de transmitir informações. No Brasil as linhas telefônicas convencionais utilizadas para transmissão de dados da Internet normalmente permitem uma largura de banda de 28 Kbps.

LINK
Ligação. Na Internet, uma palavra ou imagem em destaque que faz ligação com outra informação.
Os links permitem a leitura não-seqüencial de um documento e são indicados nas páginas WEB pelo símbolo da mãozinha no lugar do cursor do mouse.

L.P.
linha privada de telefonia utilizada por empresas para aumentar a segurança e velocidade de transmissão de dados.



MAU
sigla para Unidade de Aceso de Mídia (Media Access Unit), dispositivo que serve como transceiver em uma rede do tipo Ethernet.

MBits
taxa na qual os dados podem ser transmitidos, equivalente a um milhão de bits.

MBp/s
velocidade de transmissão de dados, equivalente ao envio de um milhão de bits po segundo.

MHz(milhão de Herts)
medida de frequência por segundo de um sinal de tensão sob a qual a informação de dados é transmitida.

MODEM
sigla para Modulador/Demodulador (MOdulator/DEModulator), dispositivo que converte informação digital em informação para ser transmitida por uma linha telefônica, e vice-versa.

ON LINE
Em linha. Você está on line quando seu computador estiver conectado a outro computador ou a uma rede, permitindo a troca de informações através dessa conexão.

PAB
Perda no Assinante B - Índice de chamadas não completadas (perdidas) no assinante B, aquele que receberia as chamadas.

PARIDADE
método de checagem de erros na transmissão de informação por meio de bits.

PATCH PANEL
dispositivo de conexão manual que permite uma fácil organização, e remanejamento dos pontos de um cabeamento estruturado, alterando a posição do ponto sem modificação física do cabo UTP.

PLUG-IN
Programa adicional instalado em seu browser para ampliar seus recursos. Exemplos: Shockwave Flash, Real Audio, VDO e outros.

PPP
Point to Point Protocol - Protocolo que permite a seu computador utilizar os protocolos da Internet através de uma linha telefônica comum.

PROTOCOLO
Conjunto de regras que permite a transferência de dados entre computadores.

PROVEDOR DE ACESSO
Empresa que oferece conexão à Internet.

RACK
equipamento em forma de armário que armazena os diversos dispositivos de controle de rede (como hubs, lpatch panels e D.I.O.s) que são encaixados como gavetas.

REDE
Conjunto de computadores interligados entre si e a um computador principal, o servidor. No caso da Internet, são vários servidores interligados em todo o mundo.



REPLY
resposta dada a um e-mail recebido.

RJ -11
tipo de conector para telefonia em cabos UTP, de fácil manuseio e instalação.

RJ- 45
tipo de conector para dados em cabos UTP de fácil manuseio e instalação.

ROTEADOR
dispositivo que permite a interligação de vários segmentos de rede. Muito utilizado em redes WAN, pois permite a interligação de duas redes em lugares distantes por meio de telefone, sinal de rádio ou satélite.

SEARCH
Busca, procura. Mecanismo de busca de informações na Internet. Cadê, Altavista, Excite, Lycos e Yahoo são muito populares.

SERVIDOR
Micro designado para gerenciar uma rede, organizando a transmissão de dados entre os microsg de uma empresa e para fora dela, além de armazenar bancos de dados e controlar o acesso de informações confidenciais. Uma rede pode ter mais de um servidor.

SHAREWARE
Software distribuído gratuitamente por determinado período. Depois de um período inicial de testes, espera-se que o usuário envie um pagamento aos autores do programa para continuar a utilizá-lo.

SITE
Espaço ou local de uma empresa ou instituição na Internet. Um site é composto de uma Home Page e várias outras páginas.

SLDD
Serviço por Linha Dedicada para Sinais Digitais, para interligação de dois até cinco equipamentos de comunicação de dados.

SWITCH
dispositivo eletrônico capaz de segmentar uma rede de dados em diferentes velocidades. Muito usado para redes com topologia simultânea ETHERNET e FAST ETHERNET

TCP/IP
Transmission Control Protocol - Internet Protocol - Protocolo que define o processo de comunicação entre os computadores na Internet.

TOPOLOGIA ESTRELA
Tipo de organização de uma rede em que cada micro é ligado ao servidor por um cabo independente, e a organização do envio de informações é feita por Hub ligado ao servidor. Permite o uso de Cabeamento Estruturado, atinge grandes velocidades, tem manutenção fácil e é flexível.

TRANSCEIVER
dispositivo que transmite e recebe informação de um computador para uma conexão de rede.



TRANSCEIVER ÓPTICO
dispositivo eletrônico que transforma sinais digitais provenientes de uma fibra óptica em sinais balanceados de 8 vias (RJ 45) para acoplamento de HUBs.

UPGRADE
Atualização de um software (versão mais recente) ou de um computador (configuração).

UPLOAD
Transferência de arquivos de um computador para outro.

URL
Uniform Resource Locator - Sistema de endereçamento usado em toda a WWW.
Exemplo: http://www.telesp.com.br/default.htm.

VÍRUS
Programa de computador feito para destruir outros programas ou arquivos específicos. Pode causar um prejuízo irreparável. O Anti-vírus é um programa que detecta e elimina os vírus.

WAN
Sigla para Rede de Grande Área(Wide Area Network), definida por uma rede de computadores ligada por meios de comunicação de longa distância, como por exemplo sinais de rádio, L.P.s (linhas privadas) e até mesmo satélites.

WWW
World Wide Web. É a área multimídia da Internet. Por ser a mais popular é confundida com a própria Internet. Além da WWW existem outras áreas da Internet, como: FTP, Gopher, Usenet e Telnet.

 

 

 

 

 

 GLOSSÁRIO4:  

 

Padrão 568A

EIA/TIA 568A is a standard to create multiproduct, multivendor, standard for connectivity.EIA / TIA 568A é um padrão para criar multiproduto, de vários fornecedores, o padrão de conectividade.The 568A "standard" is not to be confused with 568A or 568B wiring schemes. O padrão "568A" não deve ser confundido com 568A e 568B esquemas de fiação.

568A or 568B Wiring Scheme568A e 568B Fiação Scheme

568A or 568B is a wiring scheme belongining to the "568A standard".568A e 568B é um esquema de fiação belongining ao "568A-padrão". These wiring schemes dictate the pin assignments to the pairs of cat 5 cable. Estes esquemas de fiação ditar as atribuições de pinos para os pares de cabo CAT 5.

10-Base-T10-Base-T

IEEE's specifications for running CSMA/CD networking over unshielded twisted-paid cable (see also IEEE 802.33)Especificações do IEEE para a execução de CSMA / CD em rede sobre trançado não-paga por cabo (ver igualmente IEEE 802,33)

802.3 Standard802,3 Standard

IEEE standard describing CSMA/CD networking.Padrão IEEE descrevendo CSMA / CD em rede. The standard contains many subelements, including 10-Base-T A norma contém subelementos muitos, incluindo o 10-Base-T

ADSLADSL

Asynchronous Digital Subscriber Line is a technology that delivers high date transfer speeds over existing analogue phone lines.Asynchronous Digital Subscriber Line é uma tecnologia que permite velocidades de transferência de data de alta através de linhas telefônicas analógicas existentes.

American Standards Institute (ANSI)American Standards Institute (ANSI)

An organisation that develops and publishes standards for codes, data alphabets, and signalling schemes.Uma organização que desenvolve e publica normas para os códigos, os dados de alfabetos e sistemas de sinalização.

AsynchronousAsynchronous

A method of transmission in which the time intervals between characters are not required to be equal.Um método de transmissão em que os intervalos de tempo entre os caracteres não são obrigados a ser iguais.

AttentuationAttentuation

The decrease in power of a signal as it travels along the cable.A diminuição da potência de um sinal, uma vez que viaja ao longo do cabo. Attenuation is undesirable bexuase it reduces the changes in voiltage that signal a one or a zero in the digital signalling stream. Atenuação é indesejável bexuase reduz as mudanças na voiltage um sinal de que um ou zero no fluxo digital de sinalização.

BandwidthBandwidth

The maximum data sent through a connection.O número máximo de dados enviados através de uma conexão. Usually measured in bits per second. Normalmente medida em bits por segundo.

BNC ConnectorConector BNC

A small coaxial connector with a half-twist locking shell.Um pequeno conector coaxial com uma meia-twist bloqueio shell. BNC is an acronym for Bayone-Neill-Concelman BNC é um acrônimo para Bayone-Neill-Concelman

BroadbandBanda Larga

Transfers data rates from 512,0000 to super-fast 16,000,000 bits per second.Taxas de transferências de dados de 512,0000 a super-rápido 16.000.000 bits por segundo.

Carrier-Sense Multiple Access with Collision Detection (CSMA/CD)Carrier-Sense Multiple Access com Collision Detection (CSMA / CD)

A media sharing scheme in which stations listen listen in to what's happening on the network media; if the cable is not in use, the station is permited to transmit its message.Um esquema de compartilhamento de mídia em que estações de escuta para ouvir o que está acontecendo na mídia de rede, se o cabo não está em uso, a estação é permitido para transmitir sua mensagem.

Category 3 Cable (Cat3)Categoria 3 Cabo (Cat3)

A voice-grade UTP cable used for digital telphone private branc exchanges and for local area networks.Uma voz de grau cabo UTP usado para digital telphone privado intercâmbios Branc e para redes de área local.

Category 5E cable (Cat5)Categoria 5E (cabo Cat5)

Nominally the highest grade of unshielded twisted-pair cable used for LANs.Nominalmente grau mais elevado de blindado cabo de par trançado usado para redes locais. Category 5 Enhanced components and systems are specified up to 100 MHz. Categoria 5 Enhanced componentes e sistemas são especificados até 100 megahertz. They can support very high-speed protocols like Gigabit Ethernet using complex encoding and de-coding techniques Eles podem suportar muito alta velocidade, tais como protocolos de Gigabit Ethernet usando a codificação complexa e técnicas de codificação

Coaxial CableCabo Coaxial

A type of network media.Um tipo de mídia de rede. Coaxial cable contains a copper inner conductor surrounded by plastic insulation and then awoven copper of foil shield. O cabo coaxial contém um condutor de cobre interno cercado por isolamento de plástico e, em seguida awoven cobre de blindagem.

CrosstalkCrosstalk

The spillover of a signal from one channel to another.O transbordamento de um sinal de um canal para outro. In data communications it is very disruptive. Em comunicações de dados é muito perturbador. In cable systems, crosstalk comes from adjacent cable pairs. Nos sistemas de cabo, crosstalk vem de pares de cabos adjacentes.

Crossover CableCrossover Cable

A cable to connect two ethernet units directly.Um cabo para conectar duas unidades ethernet diretamente. The can require a crossover cable that is connected with transmit-to-receive and receive-to-transmit. O pode exigir um cabo cruzado que está conectado com transmiti-a-receber e receber-a-transmitir.

CLICLI

Calling Line Identity (CLI) displays the phone number of the telephone caller on the answering phone's display.Calling Line Identity (CLI) mostra o número de telefone do chamador telefone no visor do telefone de atendimento.

CTICTI

Computer Telephony Integration is the linking of a telephone system with a computer or network.Computer Telephony Integration é a ligação de um sistema de telefone com um computador ou rede.

EthernetEthernet

A common method of networking computers in a LAN.Um método comum de computadores em rede em uma LAN. 10Mbps, 100Mbps, and 1000Mbps standards. 10Mbps, 100Mbps e 1000Mbps normas.

ExtranetExtranet

An Intranet that is accessible to computers that are not physically part of a company's own private network, but that is not accessible to the general publicUma Intranet que está acessível aos computadores que não estão fisicamente parte da rede própria de uma empresa privada, mas que não é acessível ao público em geral

FirewallFirewall

A security system that prevents computers on a network from communicating directly with computers on another network.Um sistema de segurança que impede que os computadores de uma rede de comunicação direta com computadores da outra rede. Instead, all communication is routed through a proxy server, which determines whether a particular message or file may pass to or from the host. Em vez disso, toda a comunicação é encaminhada através de um servidor proxy, que determina se uma determinada mensagem ou arquivo pode passar para ou do anfitrião.

GatewayGateway

A hardware or software set up that translates between two dissimilar protocols, for example AOL has a gateway that translates between its internal, proprietary email format and Internet Email format.Um software ou hardware criados que traduz entre dois protocolos diferentes, por exemplo, a AOL tem um gateway que traduz entre seu interno, formato proprietário de e-mail eo formato de e-mail da Internet.

Internet Service Providers (ISPs)Internet Service Providers (ISPs)

An Internet service provider maintains a server that is directly connected to the Internet.Um provedor de internet mantém um servidor que está diretamente conectado à Internet. You must connect through a service provider unless you are directly connected to the Internet. Você deve se conectar através de um prestador de serviço a menos que esteja conectado diretamente à Internet.

Internet ProtocolInternet Protocol

The signalling standard used to transmit date across the Internet and LANs.O padrão de sinalização utilizado para transmitir data em toda a Internet e redes locais. IP uses packet switching techniques to send data in small chunks (packets) IP utiliza técnicas de comutação de pacotes para enviar dados em pequenos pedaços (pacotes)

IntranetIntranet

A private network inside a company or organisation that uses the same kinds of software that you would find on the public Internet, but which is only for internal use.Uma rede privada dentro de uma empresa ou organização que utiliza os mesmos tipos de software que você iria encontrar na Internet pública, mas que é apenas para uso interno.

IP TelephonyTelefonia IP

A method to send voice traffic across a date network.Um método para enviar o tráfego de voz através de uma rede de data. Voice signals ore broken down into pockets and reassembled at the receiving end. Voz sinais de minério discriminadas nos bolsos e remontadas na extremidade receptora. This eliminates the need for separate voice and data networks by converging all traffic on one network. Isso elimina a necessidade de uma voz distinta e redes de dados, através da convergência de todo o tráfego em uma rede.

ISDNISDN

Integrated Services Digital Network is a dial up digital public network for voice and data communications with charges based on line rental and usage.Integrated Services Digital Network é uma dial up rede pública digital para comunicações de voz e dados com taxas com base no aluguer de linhas e uso. ISDN provides a number of advanced telephony services, such as CLI and DDI, which form the basis of today's advanced telephony applications. RDIS fornece uma série de serviços avançados de telefonia, como CLI e DDI, que formam a base dos atuais aplicativos avançados de telefonia. It is available in two forms: Basic Rote ISDN2e (2 channels) and Primary Rate ISDN30e (30 channels). Ele está disponível em duas formas: Basic Rote ISDN2e (2 canais) e Primary Rate ISDN30e (30 canais).

LANLAN

A Local Area Network is a computer network limited to the immediate area, usually the some building or floor a building.A Local Area Network é uma rede de computadores limitada à área imediata, geralmente a construção de alguns ou a construção de um piso.

LAN TelephonyLAN Telephony

The convergence of voice and data on a LAN, eliminating the need for separate voice and date networks within an organization.A convergência de voz e dados em uma rede local, eliminando a necessidade de separar voz e redes de data dentro de uma organização.

Leased LineLinha dedicada

Lines such as a telephone line or fibre optic cable that is rented for exclusive 24/7 use from your locution to another locution.Linhas como uma linha telefônica ou cabo de fibra óptica que é alugado por 24 exclusiva / 7 de seu uso para outra locução locução. The highest speed data connections require a leased line. As ligações de dados em alta velocidade exigem uma linha alugada.

MbpsMbps

Network speed is quantified in megabits per second.A velocidade da rede é quantificada em megabits por segundo. This is the amount (or speed) in which the data is transferred. Este é o montante (ou velocidade) na qual os dados são transferidos. 10Mbps is the same as 10,000,000 bit per second, 1000Mbps is the same as 1,000,000,0000 bits per second 10Mbps é o tão 10.000.000 mesmo por segundo, 1000Mbps é o mesmo que 1,000,000,0000 bits por segundo

MegahertzMegahertz

Megahertz refers to the analog frequency of the carrier signal that is used to transmit the data.Megahertz refere-se a freqüência analógica do sinal de portadora que é usado para transmitir os dados. One hertz, is completed when the carrier signal goes from zero, to it's positive peak, back to zero, to it's negative peak, and back to zero again Um hertz, é concluída quando o sinal de portadora vai de zero, a ele é pico positivo, de volta a zero, o que é pico negativo, e volta novamente a zero

ModemModem

A modem, or modulator-demodulator, converts signals between the digital format used by computers and the analog format used by ordinary telephone lines.Um modem, ou modulador-demodulador, converte sinais entre o formato digital usada por computadores e com o formato analógico utilizado por linhas telefônicas comuns. Transfers data rates upto 57,000 bits per second. Taxas de transferências de dados de até 57.000 bits por segundo.

NetworkRede

Any time you connect two or more computers together so that they con share resources, you have a computer network.Toda vez que você conectar dois ou mais computadores para que os recursos con partes, você tem uma rede de computadores.

Packet SwitchingPacket Switching

The method used to move data and voice around a network.O método utilizado para mover dados e voz em torno de uma rede. In packet switching, all the data is broken up into chunks - each chunk has the address of where it come from and where it is going Na comutação de pacotes, todos os dados são quebrados em pedaços - cada pedaço tem o endereço de onde vêm e para onde vai

QoS -Quality of ServiceQoS-Quality of Service

Used to provide acceptable voice quality across IP networksUsado para proporcionar qualidade de voz aceitável através de redes IP

RouterRouter

A special purpose computer or software package that handles the connection between two or more packet switched networks.Um computador para fins especiais ou pacote de software que realiza a conexão entre duas ou mais redes de comutação de pacotes. Routers spend all their time looking at the source and destination addresses of the packets passing through them and deciding which route to send them on. Routers passam todo o tempo olhando os endereços de origem e de destino dos pacotes que passam através deles e decidir qual o caminho para enviá-los.

ServerServidor

A computer, or software package, that provides a specific kind of service to client software running on other computers.Um computador, ou pacote de software, que fornece um tipo específico de serviço ao software cliente executando em outros computadores. The term can refer to a particular piece of software or to the machine on which the software is running O termo pode se referir a uma determinada peça de software ou a máquina na qual o software está em execução

Structured CablingCabeamento Estruturado

A structured cabling system comprises standards-compliant, such as wall outlets and connections, and the cable itself, which is likely to be Category 5e UTP (Unshielded Twisted Pair) copper cabling along the floor, often leading to multimode fibre-optic cable in the backbone or vertical riser of the building.Um sistema de cabeamento estruturado compreende standards-compliant, como tomadas de parede e conexões, eo cabo em si, que é susceptível de ser categoria 5e UTP (Unshielded Twisted Pair) de cabeamento de cobre ao longo do chão, muitas vezes levando a cabo multimodo de fibra óptica no espinha dorsal ou riser vertical do edifício.

SwitchesSwitches

Used to enhance performance by segmenting the network into similar subnets.Utilizado para melhorar o desempenho por segmentar a rede em sub-redes semelhantes.

VPNVPN

Virtual Private Network usually refers to a network in which some of the ports are connected using the public Internet, but the voice and data sent across the Internet is encrypted, so the entire network is "virtually" private.Virtual Private Network geralmente se refere a uma rede em que alguns dos portos são ligados por meio da Internet, mas a voz e os dados enviados através da Internet é criptografado, assim toda a rede é "virtualmente" privado.

VoIPVoIP

Voice Ovr IP is the transmission of voice traffic over a wide area network or the Internet using the IP signalling standard (See IP Gateway)Voz Ovr IP é a transmissão de tráfego de voz através de uma rede WAN ou da Internet utilizando o IP padrão de sinalização (ver IP Gateway)

WANWAN

Wide Area Network is any network that covers an area larger than a single building or site.Wide Area Network é uma rede que cobre uma área maior do que um único edifício ou local

 

 

 

 

 

 

   GLOSSÁRIO5:   

 

 

 

Ar insuflado Fibra (ABF):Small, microduto tubo plástico flexível instalado antes da instalação de um ou vários fibras ópticas que são fundidos em microduto através do uso de ar comprimido.

Asynchronous Transfer Mode (ATM):  Technology selected by the International Telecommunications Union (ITU, formerly CCITT) for broadband ISDN.Asynchronous Transfer Mode (ATM): Tecnologia selecionados pela União Internacional das Telecomunicações (UIT, ex-CCITT) para a RDIS de banda larga. This communications protocol is also specified by the ATM Forum (Foster City, CA) for 155 Mb/s transmission over twisted-pair cable and various bit rate optical fiber cabling applications. Este protocolo de comunicação é também especificado pelo ATM Forum (Foster City, CA) para 155 Mb / s de transmissão por cabo de par trançado e taxa de bits diferentes aplicações de cabeamento de fibra óptica.

Attenuation:  A reduction in power or amplitude of the transmitted signal.Atenuação: A redução da potência ou amplitude do sinal transmitido. In cables, it is generally expressed in decibels per unit length. Nos cabos, é geralmente expresso em decibéis por unidade de comprimento.

Attenuation to Crosstalk Ratio (ACR):  The difference between attenuation and crosstalk measured in decibels.Atenuação de Crosstalk Ratio (ACR): A diferença entre atenuação e diafonia medido em decibéis.

Auxiliary Disconnect Outlet (ADO):  A device usually located within the tenant or living unit used to terminate the ADO cable or backbone cable.Auxiliar Desligue Outlet (ADO): Um dispositivo normalmente localizado dentro do inquilino ou vivendo unidade usada para encerrar o ADO cabo ou cabo de backbone.

Auxiliary Disconnect Outlet (ADO) Cable:  In residential applications, the cable from the auxiliary telecommunications disconnect outlet/connector or the distribution device in a customer's premises to the backbone facility or the point of demarcation.Auxiliar Desligue Outlet (ADO) Cabo: Em aplicações residenciais, o cabo da tomada de telecomunicações, auxiliar de desconexão / conexão ou o dispositivo de distribuição em instalações de um cliente para a instalação de backbone ou o ponto de demarcação.

Backbone Cabling:  Cable and connecting hardware that comprise the main and intermediate cross-connects, as well as cable runs that extend between telecommunications rooms, equipment rooms and entrance facilities.Cabeamento Backbone: Cabo e conexão de hardware que compõem a cruz principal e intermediário-liga, bem como de cabos que se estendem entre as salas de telecomunicações, salas de equipamentos e instalações de entrada.

Balance:  An indication of signal voltage equality and phase polarity on a conductor pair.Saldo: uma indicação da igualdade sinal de tensão e polaridade de fase em um par de condutores. Perfect balance occurs when the signals across a twisted-pair are equal in magnitude and opposite in phase with respect to ground. Perfeito equilíbrio ocorre quando os sinais através de um par trançado são iguais em magnitude e opostas em fase com relação ao terra.

Balanced Signal Transmission:  Two voltages, equal and opposite in phase with respect to each other, across the conductors of a twisted-pair (commonly referred to as tip and ring).Balanced Signal Transmission: duas tensões, iguais e opostas em fase com relação ao outro, através dos condutores de um par trançado (comumente referido como ponta e anel).

Balun:  An impedance matching transformer used to convert unbalanced coaxial signals to balanced signals.Balun: Um transformador de impedância utilizado para converter sinais de desequilíbrio coaxial para sinais balanceados.

Bandwidth:  A range of frequencies, usually the difference between the upper and lower limits of the range, typically expressed in megahertz (MHz).Largura de banda: uma gama de frequências, geralmente a diferença entre os limites superior e inferior do intervalo, geralmente expressa em megahertz (MHz). It is used to describe the information-carrying capacity of a medium. Ele é usado para descrever a capacidade de transporte de informações de um meio. In copper and optical fibers, the bandwidth decreases with increasing length. Em cobre e fibra óptica, a largura de banda diminui com o aumento de comprimento. Optical fiber bandwidth is specified in megahertz kilometers (MHz-km). Largura de banda da fibra óptica é especificado no km megahertz (MHz-km).

Bonding:  The permanent joining of metallic parts to form an electrically conductive path that will assure electrical continuity and the capacity to conduct safely any current likely to be imposed on it.Bonding: A montagem definitiva das peças metálicas para formar um caminho eletricamente condutor que irá garantir a continuidade elétrica ea capacidade de conduzir com segurança qualquer provável atual a ser imposta.

Break Test Access:  Method of disconnecting a circuit that has been electrically bridged to allow testing on either side of the circuit without disturbing cable terminations.Ruptura de Teste de Acesso: Método de desligar um circuito que tem sido eletricamente em ponte para permitir testes em ambos os lados do circuito sem terminações de cabos. Devices that provide break test access include: disconnect blocks, bridge clips, plug-on protection modules, and plug-on patching devices. Dispositivos que fornecem acesso à quebra de teste incluem: disconnect blocos, clipes de ponte, ligue-nos módulos de protecção e plug-on patches dispositivos.

Bridged Tap:  The multiple appearances of the same cable pair or fiber at several distribution points.Bridged Tap: As aparências múltiplas do mesmo par de cabos ou fibra em vários pontos de distribuição. Also known as parallel connections. Também conhecido como conexões paralelas.

Bridging:  A means of providing through connections between conductors or pairs that are terminated on connecting blocks.Bridging: um meio de proporcionar através de conexões entre condutores ou pares que são encerrados em blocos de conexão. These through connections are commonly provided by means of individual metallic bridging clips or multiple bridging clips that are housed in a plastic insulator. Estes, através de ligações são geralmente fornecidos por meio de grampos metálicos individuais ou múltiplos clipes de ponte de transição que estão alojados em um isolador de plástico.

Building Distributor (BD):  The international term for intermediate cross-connect.Construindo Distribuidor (BD): O termo internacional para cross-connect intermediário. A distributor in which the building backbone cable(s) terminates and at which connections to the campus backbone cable(s) may be made. Um distribuidor em que o cabo de backbone edifício (s) e termina no qual as conexões com o cabo de backbone campus (s) pode ser feita.

Bundled Cable:  An assembly of two or more cables continuously bound together to form a single unit prior to installation (sometimes referred to as loomed, speed-wrap or whip cable constructions).Cable Bundled: Um conjunto de duas ou mais cabos continuamente ligados entre si para formar uma única unidade antes da instalação (por vezes referido como apareceu, a velocidade-wrap chicote construções ou cabo).

Bus Topology:  A linear configuration where all network devices are placed on a single length of cable.Bus Topology: A configuração linear, onde todos os dispositivos de rede são colocadas em um único comprimento de cabo. It requires one backbone cable to which all network devices are connected. Ele requer um cabo de backbone de que todos os dispositivos de rede estão conectados.

Cabling:  A combination of cables, wire, cords and connecting hardware used in the telecommunications infrastructure.Cabeamento de hardware: uma combinação de cabos, fios, cabos e conexão utilizados na infra-estrutura de telecomunicações.

Campus Backbone:  Cabling between buildings that share telecommunications facilities.Backbone Campus: Cabeamento entre edifícios que as telecomunicações instalações partes.

Campus Distributor (CD):  The international term for main cross-connect.Campus Distribuidor (CD): O termo internacional para a conexão cruzada principal. The distributor from which the campus backbone cable emanates. O distribuidor do qual emana o campus cabo backbone.

Category (1):  ANSI/TIA/EIA-568-B series of documents, the North American standards for cabling describes mechanical properties and transmission characteristics of unshielded twisted-pair (UTP) cables and screened twisted-pair (ScTP) cables and assigns a unique number classification (category 3, category 5e, and category 6).Categoria (1): ANSI/TIA/EIA-568-B série de documentos, as normas norte-americanas para cabeamento descreve as propriedades mecânicas e características de transmissão de par trançado não-blindado (UTP) e cabos de par trançado blindado (SCTP) cabos e atribui um número único de classificação (categoria 3, categoria 5e e categoria 6).

Category (2):  ISO/IEC IS 11801 2nd edition, the international standard for cabling and local standardization documents define cabling component categories based on transmission performance parameters such as attenuation and NEXT loss, over a specified frequency range.Categoria (2): ISO / IEC IS 11801 2 ª edição, o padrão internacional para documentos de padronização de cabeamento e local define cabeamento categorias de componente com base em parâmetros de desempenho tais como atenuação de transmissão e perda NEXT, mais uma faixa de freqüência especificada. Component categories category 5, category 6 and category 7. Componente categorias categoria 5, categoria 6 e categoria 7.

Channel:  The end-to-end transmission path connecting any two points at which application specific equipment is connected.Canal: The end-to-end via de transmissão conectando dois pontos em que os equipamentos de aplicação específica é ligado. Equipment and work area cables are included in the channel. Equipamentos e cabos de área de trabalho estão incluídos no canal.

Classification:  Application classes for cabling have been identified for the purpose of the ISO/IEC 11801 standard;Classificação: classes Pedido de cabos foram identificados para a finalidade da norma ISO / IEC 11801;

  • Class A: cabling is characterized up to 100 kHzClasse A: cabeamento é caracterizada até 100 kHz
  • Class B: cabling is characterized up to 1 MHzClasse B: de cabeamento é caracterizada até 1 MHz
  • Class C: cabling is characterized up to 16 MHzClasse C: o cabeamento é caracterizada até 16 MHz
  • Class D: cabling is characterized up to 100 MHzClasse D: de cabeamento é caracterizada até 100 MHz
  • Class E: cabling is characterized up to 250 MHzClasse E: cabeamento é caracterizada até 250 MHz
  • Class F: cabling is characterized up to 600 MHzClasse F: cabeamento é caracterizada até 600 MHz
  • Optical Class: optical fiber links are characterized from 10 MHz and above.Optical Classe: links de fibra óptica são caracterizadas a partir de 10 MHz e acima.

Collapsed Backbone:  A centralized network contained in one device.Collapsed Backbone: uma rede centralizada contida em um dispositivo. The network is said to be collapsed and made to fit into a box. A rede está a ser dito em colapso e feito para caber em uma caixa. Individual networks are connected to this central device and can then communicate with one another. Redes individuais estão ligadas a este dispositivo central e podem então se comunicar com o outro.

Common Mode Transmission:  A transmission scheme where voltages appear equal in magnitude and phase across a conductor pair with respect to ground.Modo comum de transmissão: Um sistema de transmissão em tensões parecem iguais em magnitude e fase através de um par de condutores com relação ao terra. May also be referred to as longitudinal mode. Também pode ser chamado de modo longitudinal.

Consolidation Point (CP):  A location for interconnection between horizontal cables that extend from building pathways and horizontal cables that extend into work area pathways.Consolidation Point (CP): um local para a interligação entre os cabos horizontais que se estendem em vias de construção e cabos horizontais que se estendem em vias de área de trabalho.

Cross-connect:  A facility enabling the termination of cables as well as their interconnection or cross-connection with other cabling or equipment.Cross-Connect: uma instalação que permite a rescisão de cabos, bem como a sua interligação ou inter-conexão com cabos ou outros equipamentos. Also known as a distributor. Também conhecido como um distribuidor.

Cross-connection:  A connection scheme between cabling runs, subsystems and equipment using patch cords or jumpers that attach to connecting hardware on each end.Cross-conexão: Um esquema de ligação entre as execuções de cabeamento, subsistemas e equipamentos que utilizam patch cords ou jumpers que atribuem ao ligar o hardware em cada extremidade.

Crosstalk:  Noise or interference caused by electromagnetic coupling from one signal path to another.Crosstalk: Ruído ou interferência causada por acoplamento eletromagnético de um caminho de sinal para o outro. Crosstalk performance is generally expressed in decibels. Crosstalk desempenho é geralmente expresso em decibéis.

Decibel (dB):  A standard unit for expressing transmission gain or loss as derived from a ratio of signal voltages or power.Decibéis (dB): A unidade padrão para expressar o ganho ou perda de transmissão como derivado de uma relação de tensão do sinal ou de energia.

Delay Skew:  The difference in propagation delay between the fastest and slowest pair in a cable or cabling system.Delay Skew: A diferença de atraso de propagação entre o par mais lento e em um cabo ou um sistema de cabeamento.

Demarcation Point (DP):  A point at which two services may interface and identify the division of responsibility.Ponto de Demarcação (DP): Um ponto em que dois serviços podem interface e identificar a divisão de responsabilidade.

Differential Mode Transmission:  A transmission scheme where voltages appear equal in magnitude and opposite in phase across a twisted-pair with respect to ground.Diferencial modo de transmissão: um esquema de transmissão em tensões parecem iguais em magnitude e opostas em fase através de um par trançado com relação ao terra. May also be referred to as balanced mode. Também pode ser chamado de modo equilibrado.

Distributor:  The term used for the functions of a collection of components (eg patch panels, patch-cords) used to interconnect cables.Distribuidor: O termo utilizado para as funções de um conjunto de componentes (por exemplo, patch panels, patch cords) utilizado para interligar os cabos.

Ducting:  See Pathway.Condutas: Ver Pathway.

Electromagnetic Compatibility (EMC):  The ability of a system to minimize radiated emissions and maximize immunity from external noise sources.Compatibilidade Electromagnética (CEM): A capacidade de um sistema para minimizar as emissões de radiação e maximizar a imunidade de fontes de ruído externo.

Electromagnetic Interference (EMI):  The interference in signal transmission or reception caused by the radiation of electrical and magnetic fields.Interferência Eletromagnética (EMI): A interferência na transmissão ou recepção de sinal causada pela radiação dos campos elétricos e magnéticos.

Electronic Industries Alliance (EIA):  An organization that sets standards for interfaces to ensure compatibility between data communications equipment and data terminal equipment.Electronic Industries Alliance (EIA): Uma organização que estabelece padrões para interfaces para garantir a compatibilidade entre os equipamentos de comunicações de dados e equipamentos terminais de dados.

Electronic Industries Association:  A standards organization that specializes in the electrical and functional characteristics of interface equipment.Electronic Industries Association: uma organização de padrões que se especializa nas características elétricas e funcionais do equipamento de interface. The organization sets standards for interfaces to ensure compatibility between data communications equipment and data terminal equipment. A organização estabelece padrões para interfaces para garantir a compatibilidade entre os equipamentos de comunicações de dados e equipamentos terminais de dados.

Entrance Facility (EF):  An entrance to a building for both public and private network service cables (including antennae), including the entrance point at the building wall and continuing to the entrance room or space.Entrance Facility (EF): Uma entrada de um edifício para os dois cabos da rede pública e privada de serviços (incluindo as antenas), incluindo o ponto de entrada na parede do edifício e contínua para a sala de entrada ou de espaço. Entrance facilities are often used to house electrical protection equipment and connecting hardware for the transition between outdoor and indoor cable. Instalações de entrada são muitas vezes utilizados para abrigar equipamentos de proteção elétrica e ligar o hardware para a transição entre o cabo interior e exterior.

Entrance Facility, Telecommunications:  An entrance to a building for both public and private network service cables (including antennae) beginning with the entrance point at the building wall and continuing to the entrance room or space.Entrance Facility, Telecomunicações: Uma entrada de um edifício para os dois cabos da rede pública e privada de serviços (incluindo as antenas), começando com o ponto de entrada na parede do edifício e contínua para a sala de entrada ou de espaço.

Entrance Point, Telecommunications:  The point of emergence of telecommunications conductors through an exterior wall, a concrete floor slab, or from a rigid metal conduit or intermediate metal conduitEntrada Point, telecomunicações: o ponto de emergência de condutores de telecomunicações através de uma parede exterior, uma laje de piso de concreto, ou de uma conduta de metal rígido ou eletroduto metálico intermediário

Equal Level Far-end Crosstalk (ELFEXT):  Crosstalk measured at the opposite end from which the disturbing signal is transmitted, normalized by the attenuation contribution of the cable or cabling.Equal Level Far-end Crosstalk (ELFEXT): Crosstalk medida na extremidade oposta à que o sinal preocupante é transmitida, normalizado pela contribuição atenuação do cabo ou cabos.

Equipment Cable:  A cable or cable assembly used to connect telecommunications equipment to horizontal or backbone cabling.Equipamentos de Cabo: Um cabo ou um conjunto de cabos usados para conectar equipamentos de telecomunicações para cabeamento horizontal ou backbone.

Equipment Room (ER):  A centralized space for telecommunications equipment that serves the occupants of the building or multiple buildings in a campus environment.Equipment Room (ER): Um espaço centralizado para equipamentos de telecomunicações que atende os moradores do edifício ou edifícios múltiplos em um ambiente de campus. An equipment room is considered distinct from a telecommunications room because it is considered to be a building or campus serving (as opposed to floor serving) facility and because of the nature or complexity of the equipment that it contains. Uma sala de equipamentos é considerada distinta de uma sala de telecomunicações, porque é considerado um prédio ou terreno que serve (ao contrário de andar servindo) facilidade e por causa da natureza ou complexidade dos equipamentos que contém.

Equipment Room, Telecommunications:  A centralized space for telecommunications equipment that serves the occupants of the building.Equipamentos do quarto, Telecomunicações: Um espaço centralizado para equipamentos de telecomunicações que atende os ocupantes do edifício. An equipment room is considered distinct from the telecommunications room because of the nature and complexity of the equipment it houses. Uma sala de equipamentos é considerada distinta da sala de telecomunicações, devido à natureza e complexidade dos equipamentos que casas.

FC Connector:  A type of optical fiber connector identifiable by its round, screw-operated locking nut.Conector FC: Um tipo de conector de fibra óptica identificável pela sua volta, o parafuso de accionamento porca. It is usually metal. Geralmente é de metal. Its ruggedness leads it to be widely used in test equipment Sua robustez o leva a ser amplamente utilizado em equipamentos de teste

Far-end Crosstalk (FEXT):  Crosstalk measured at the opposite end from which the disturbing signal is transmitted.Far-end Crosstalk (FEXT): Crosstalk medida na extremidade oposta à que o sinal preocupante é transmitida.

Fiber Distributed Data Interface (FDDI):  Operates at 100 megabits per second (Mb/s).Fiber Distributed Data Interface (FDDI): opera a 100 megabits por segundo (Mb / s). Developed by the ANSI X3T9.5 committee. Desenvolvido pela comissão X3T9.5 ANSI. This is a token-passing, dual-ring architecture that provides redundancy using fiber optic cable with transmission up to 2 kilometers. Este é um token de passagem, arquitetura em anel duplo que fornece redundância usando cabo de fibra óptica com transmissão de até 2 km.

Fiber Optic Transmission:  A communications scheme whereby electrical data is converted to light energy and transmitted through optical fibers.Transmissão por Fibra Óptica: Um sistema de comunicações em que os dados elétrica é convertida em energia luminosa e transmitidos através de fibras ópticas.

Firestop:  A material, device, or assembly of parts installed in a cable pathway at a fire-rated wall or floor to prevent passage of flame, smoke or gases through the rated barrier (eg, between cubicles or separated rooms or spaces).Firestop: Um material, dispositivo ou conjunto de peças instalados em uma via cabo em uma parede de fogo-rated ou no chão para impedir a passagem da chama, fumaça ou gases através da barreira nominal (por exemplo, entre celas ou quartos separados ou espaços).

Floor Distributor (FD):  The international term for horizontal cross-connect.Floor Distributor (DF): O termo internacional para cross-connect horizontal. The distributor used to connect between the horizontal cable and other cabling subsystems or equipment. O distribuidor utilizado para ligar entre o cabo horizontal e de outros subsistemas de cabeamento ou equipamentos.

Ground:  A conducting connection, whether intentional or accidental, between an electrical circuit (telecommunications) or equipment and earth, or to some conducting body that serves in place of the earth.Solo: Uma conexão de condução, seja intencional ou acidental, entre um circuito elétrico (telecomunicações) e equipamentos e da terra, ou a realização de algum corpo que serve no lugar da terra.

Hertz (Hz):  A measure of frequency as defined in units of cycles per second.Hertz (Hz): Uma medida de freqüência definidos em unidades de ciclos por segundo.

Home-run Cabling:  A distribution method in which individual cables are run directly from the horizontal cross-connect to each telecommunications outlet.Home-run Cabeamento: um método de distribuição em que os cabos individuais são executados diretamente do cross-connect horizontal para cada ponto de venda de telecomunicações. This configuration is also known as star topology. Esta configuração também é conhecida como topologia em estrela.

Horizontal Cabling:  The cabling between and including the telecommunications outlet and the horizontal cross-connect.Cabeamento Horizontal: O cabeamento entre e incluindo a tomada de telecomunicações ea conexão horizontal.

Horizontal Cross-connect (HC):  A cross-connect of horizontal cabling to other cabling, eg, horizontal, backbone, or equipment.Horizontal Cross-connect (HC): A cross-connect horizontal de cabeamento para outros cabos, por exemplo, horizontal, backbone, ou equipamentos.

Hub:  Equipment that serves as the centralized connection point for a network or portion thereof.Hub: Equipamento que serve como ponto de conexão centralizada para uma rede ou parte dele. Hubs are used for multiplexing, multi-port bridging functions, switching and test access. Os hubs são utilizadas para multiplexação, multi-port funções de bridging, switching e acesso à prova. They can be either passive or active and are not considered to be part of the cabling infrastructure. Eles podem ser passivos ou ativos e não são considerados parte da infra-estrutura de cabeamento.

Hybrid cable:  An assembly of two or more cables, of the same or different types or categories, covered by one overall sheath.Cabo híbrido, um conjunto de dois ou mais cabos, da mesma ou de diferentes tipos ou categorias, coberto por uma bainha em geral.

Insertion loss (1):  The loss resulting from the insertion of a device in a transmission line, expressed as the reciprocal of the ratio of the signal power delivered to that part of the line following the device to the signal power delivered to that same part before insertion.Perda de inserção (1): A perda resultante da inserção de um dispositivo em uma linha de transmissão, expresso como a recíproca da relação entre a potência do sinal emitido para a parte da linha que se segue o dispositivo para a potência do sinal entregue a essa mesma parte antes da inserção.

Insertion loss (2):  In an optical fiber system, the loss of optical power caused by inserting a component, such as a connector, coupler or splice, into a previously continuous optical path.Perda de inserção (2): Em um sistema de fibra óptica, a perda de potência óptica causada pela inserção de um componente, como um conector, acoplador ou emendar, em um trajeto previamente contínuo óptico.

Insulation Displacement Connection (IDC):  A wire connection device that penetrates the insulation of a copper wire when it is being inserted (punched-down) into a metal contact, allowing the electrical connection to be made.Insulation Displacement Connection (IDC): Um dispositivo de conexão com fio que penetra no isolamento de um fio de cobre quando ele está sendo inserido (perfurou-down) para um contato de metal, permitindo a conexão elétrica a ser feita.

Intelligent Hub:  A hub that performs bridging and routing functions in a collapsed backbone environment.Hub inteligente: um hub que executa funções de bridging e roteamento em um ambiente de backbone entrou em colapso.

Interbuilding Backbone:  Telecommunications cable(s) that are part of the campus subsystem that connect one building to another.Inter-imóveis Backbone: telecomunicações por cabo (s) que fazem parte do subsistema campus que conectam um prédio para outro.

Interconnection:  A connection scheme that provides direct access to the cabling infrastructure and the ability to make cabling system changes using equipment cords.Interconexão: Um esquema de conexão que permite o acesso directo à infra-estrutura de cabeamento e a capacidade de fazer mudanças no sistema de cabeamento utilizando cabos de equipamentos.

Intermediate Cross-Connect (IC):  The connection point between a backbone cable that extends from the main cross-connect (first-level backbone) and the backbone cable from the horizontal cross-connect (second-level backbone).Intermediate Cross-Connect (IC): O ponto de conexão entre o cabo de uma espinha dorsal que se estende desde a conexão cruzada principal (primeiro nível da coluna vertebral) e do cabo de backbone da conexão horizontal (segundo nível de backbone).

Intermediate Distribution Frame (IDF):  In a central office or customer premises, a frame that (a) cross connects the user cable media to individual user line circuits and (b) may serve as a distribution point for multipair cables from the main distribution frame (MDF) to individual cables connected to equipment in areas remote from these frames.Intermediate Distribution Frame (IDF): Em um escritório central ou nas instalações do cliente, um quadro que (a cruz) conecta o cabo de comunicação social do usuário para usuário individual circuitos de linha e (b) pode servir como um ponto de distribuição para cabos multipares do repartidor principal (MDF) para cabos individuais ligados ao equipamento em áreas remotas, a partir desses quadros.

Intrabuilding Backbone:  Telecommunications cable(s) that are part of the building subsystem that connect one equipment room to another.Intrabuilding Backbone: telecomunicações por cabo (s) que fazem parte do subsistema do edifício que ligar uma sala de equipamentos para o outro.

Jumper Wire:  An assembly of twisted-pairs without connectors on either end used to join telecommunications links at a cross-connect.Jumper Wire, um conjunto de pares trançados, sem conectores em cada extremidade usados para unir as ligações de telecomunicações a uma conexão cruzada.

Link:  An end-to-end transmission path provided by the cabling infrastructure.Link: An end-to-end caminho de transmissão fornecidos pela infra-estrutura de cabeamento. Cabling links include all cables and connecting hardware that comprise the horizontal or backbone subsystems. Links Cabeamento incluir todos os cabos e ligar o hardware que compõem a espinha dorsal horizontal ou subsistemas. Equipment and work area cables are not included as part of a link. Equipamentos e cabos de área de trabalho não estão incluídos como parte de um link.

Local Area Network (LAN):  A geographically limited data communications system for a specific user group consisting of a group of interconnected computers, sharing applications, data and peripheral devices such as printers and CD-ROM drives intended for the local transport of data, video, and voice.Local Area Network (LAN): Um geograficamente limitado de dados do sistema de comunicações para um grupo de usuários específico, composto de um grupo de computadores interligados, compartilhando aplicativos, dados e dispositivos periféricos, como impressoras e CD-ROM destinados ao transporte local de dados, vídeo , voz e.

Local Exchange Carrier (LEC):  The local regulated provider of public switched telecommunications services.Local Exchange Carrier (LEC): O provedor local regulamentado de serviços públicos de telecomunicações comutada.

Longitudinal Conversion Loss (LCL):  A measure (in dB) of the differential voltage induced on a conductor pair as a result of subjecting that pair to longitudinal voltage.Perda de Conversão Longitudinal (LCL): Uma medida (em dB) da tensão diferencial induzido em um par de condutores, como resultado de submeter esse par de tensão longitudinal. LCL is considered to be a measure of circuit balance. LCL é considerada uma medida de equilíbrio do circuito.

MAU (1):  Multi-station Access Unit in reference to Token Ring.MAU (1): Multi-station Access Unit em referência ao Token Ring.

MAU (2):  Medium Attachment Unit in reference to Ethernet A wiring concentrator used in Local Area Networks.MAU (2): Medium Attachment Unit em referência a um concentrador Ethernet fiação usados em redes locais. A device that allows terminals, PCs, printers, and other devices to be connected in a star-based configuration to Token Ring or Ethernet LANs. Um dispositivo que permite que os terminais, PCs, impressoras e outros dispositivos, para ser conectado em uma estrela para configuração baseada em Token Ring ou Ethernet LAN. MAU hardware can be either active or passive and is not considered to be part of the cabling infrastructure. MAU hardware pode ser ativa ou passiva e não é considerada parte da infra-estrutura de cabeamento.

Main Cross-connect (MC):  A cross-connect for first level backbone cables, entrance cables, and equipment cables.Main Cross-Connect (MC): A cross-connect de cabos de primeiro nível dorsal, cabos de entrada, cabos e equipamentos.

Modular Jack:  A telecommunications outlet/connector for wire or cords as defined in the FCC Part 68 Subpart F. Modular jacks can have 4, 6 or 8 contact positions, but not all the positions need be equipped with contacts.Jack Modular: A saída de telecomunicações / conector de fios ou cabos, tal como definido na Parte 68 da FCC, subparte F. jacks modulares pode ter 4, 6 ou 8 posições de contato, mas não todos os cargos precisam ser equipadas com os contatos.

Modular Plug:  A telecommunications connector for wire or cords as defined in the FCC Part 68 Subpart F. Modular plugs can have 4, 6 or 8 contact positions, but not all the positions need be equipped with contacts.Plug Modular: Um conector de telecomunicações de fios ou cabos, tal como definido na Parte 68 da FCC, subparte F. plugues modulares pode ter 4, 6 ou 8 posições de contato, mas não todas as posições precisam estar equipados com contatos.

Multi-user Telecommunications Outlet Assembly (MuTOA):  A grouping in one location of several telecommunications/outlet connectors.Multi-usuário Telecommunications Outlet Assembly (MuTOA): um agrupamento em um único local de vários telecomunicações / conectores de saída.

Multimedia (1):  An application that communicates to more than one of the human sensory receptors.Multimédia (1): Uma aplicação que se comunica com mais de um dos receptores sensoriais humanos.

Multimedia (2):  Applications that communicate information by more than one means or cabling media.Aplicações Multimédia (2): a comunicação de informações por mais de uma forma ou de cabos de mídia.

Multimode Optical Fiber:  An optical fiber that will allow many bound modes to propagate.Multimode Optical Fiber: uma fibra óptica que permitirá que muitos modos obrigado a se propagar. The fiber may be either a graded-index or step-index fiber. A fibra pode ser um índice de graduados ou passo a fibra de índice. Multimode optical fibers have a much larger core than singlemode fibers. Fibras ópticas multimodo têm um núcleo muito maior do que as fibras monomodo. See also Optical Fiber Cable. Veja também cabo de fibra óptica.

Nanosecond (ns):  One billionth of a second (10-9 seconds).Nanossegundos (ns): Um bilionésimo de um segundo (10-9 segundos).

Near-end Crosstalk (NEXT Loss):  The undesired coupling of a signal from one pair of wires to another.Near-end Crosstalk (NEXT Loss): O acoplamento indesejado de um sinal de um par de fios para o outro. Signal distortion as a result of signal coupling from one pair to another at various frequencies. Sinal de distorção, como resultado do acoplamento do sinal de um par para outro em diferentes frequências.

Network Demarcation Point:  The point of interconnection between the local exchange carrier's telecommunication facilities and the telecommunications systems wiring and equipment as the end user's facility.Demarcação de rede Ponto: O ponto de interligação entre as instalações do operador da central local de telecomunicações e sistemas de cabeamento de telecomunicações e equipamentos como facilidade ao usuário final. This point shall be located on the subscriber side of the telephone company's protector or the equivalent thereof in cases where a protector is not required. Este ponto deve ser localizado no lado assinante do protetor da companhia telefônica ou o equivalente, nos casos em que um protetor não é necessária.

Open Office Cabling:  The cabling that distributes from the telecommunications closet to the open office area utilizing a consolidation point or multi-user telecommunications outlet assembly.Open Office Cabeamento: O cabeamento que distribui a partir do armário de telecomunicações para a área de escritório aberto, utilizando um ponto de consolidação ou multi-usuário de montagem tomada de telecomunicações.

Outlet, Telecommunications:  A fixed connecting device where the horizontal cable terminates.Outlet, Telecomunicações: Um dispositivo de conexão fixa horizontal onde o cabo termina. The telecommunications outlet provides the interface to the work area cabling. A saída de telecomunicações fornece a interface para o cabeamento de área de trabalho. Sometimes referred to as a telecommunications outlet/connector. Às vezes referido como uma tomada de telecomunicações / conector.

Outlet/Connector, Telecommunications:  A connecting device in the work area on which horizontal cable terminates.Outlet / Connector, Telecomunicações: um dispositivo de ligação na área de trabalho em que termina a cabo horizontal.

Patch Cord:  A length of cable with connectors on one or both ends used to join telecommunications links at a cross-connect.Patch Cord: Uma extensão do cabo com conectores em uma ou ambas as extremidades usadas para juntar as ligações de telecomunicações a uma conexão cruzada.

Patch Panel:  Connecting hardware that typically provides means to connect horizontal or backbone cables to an arrangement of fixed connectors that may be accessed using patch cords or equipment cords to form cross-connections or interconnections.Patch Panel: hardware de conexão, que normalmente fornece os meios para conectar horizontais ou cabos backbone para um arranjo de conexões fixas que podem ser acessados usando cordões ou cabos de equipamentos para formar as conexões ou interconexões.

Pathway:  A facility (ie, conduit) for the placement and protection of telecommunications cables.Caminho: A instalação (ou seja, conduta) para a colocação e proteção de cabos de telecomunicações. Same as raceway or ducting. Igual a pista ou condutas.

Plenum:  A compartment or chamber to which one or more air ducts are connected and that forms part of the air distribution system.Plenum: Um compartimento ou câmara para que um ou mais dutos de ar estão ligados e que faz parte do sistema de distribuição de ar.

Private Branch Exchange (PBX):  A private switching system usually serving an organization, such as a business, located on the customer's premises.Private Branch Exchange (PBX): Um sistema de comutação privada geralmente servindo uma organização, como um negócio, localizado nas instalações do cliente. It switches calls both inside a building or premises and outside to the telephone network, and can sometimes provide access to a computer from a data terminal. Ela muda chamadas dentro de um edifício ou das instalações e fora da rede telefónica, e às vezes pode dar acesso a um computador a partir de um terminal de dados.

Propagation Delay:  The amount of time that passes between when a signal is transmitted and when it is received at the opposite end of a cable or cabling.Atraso de Propagação: A quantidade de tempo que passa entre quando um sinal é transmitido e em que é recebido na extremidade oposta do cabo ou cabos.

Punch Down:  A method for securing wire to a quick clip in which the insulated wire is placed in the terminal groove and pushed down with a special tool.Punch Down: Um método para garantir a fio a um clipe rápido em que o fio isolado é colocado no sulco terminal e empurrou para baixo com uma ferramenta especial. As the wire is seated, the terminal displaces the wire insulation to make an electrical connection. Como o fio está sentado, o terminal desloca o isolamento do fio para fazer uma conexão elétrica. The punch down operation may also trim the wire as it terminates. O soco baixo operação também pode cortar o fio como ela termina. Also called cut down. Também chamado de corte para baixo.

Quick Clip:  An electrical contact used to provide an insulation displacement connection to telecommunications cables.Quick Clip: um contato elétrico usado para fornecer uma conexão de deslocamento de isolamento de cabos de telecomunicações.

Raceway:  See Pathway.Raceway: Ver Pathway.

Return Loss:  Noise or interference caused by impedance discontinuities along the transmission line at various frequencies.Perda de Retorno: Ruído ou interferência causada por descontinuidades de impedância ao longo da linha de transmissão em diferentes frequências. Return loss is expressed in decibels. Perda de retorno é expresso em decibéis.

Ring Conductor:  A telephony term used to describe one of the two conductors in a cable pair used to provide telephone service.Anel Maestro: A telefonia termo usado para descrever um dos dois condutores em um par de cabos utilizados para a prestação de serviços telefônicos. This term was originally coined from its position as the second (ring) conductor of a tip-ring-sleeve switchboard plug. Este termo foi originalmente cunhado de sua posição como o anel (segunda) do condutor de um tip-ring-plug quadro manga.

Screened twisted-pair (ScTP):  A balanced twisted-pair cable surrounded by metallic braid, foil (screen) or both and bound in a single cable sheath.De par trançado blindado (SCTP): Um cabo de par trançado balanceado cercado por trança metálica, folha (tela) ou ambos, e ligados por uma bainha único cabo.

Shielded twisted-pair (SSTP):  A cable surrounded by a metallic braid, foil or both and bound in a single plastic sheath containing balanced twisted-pair conductors that are individually shielded.Shielded twisted-pair (SSTP): Um cabo rodeado por uma trança metálica, alumínio ou ambos, e ligados em um único invólucro plástico contendo equilibrada condutores duplos entrançados que são blindados individualmente.

Singlemode Optical Fiber:  An optical fiber that will allow only one mode to propagate; this fiber is typically a step-index fiber.Fibra óptica monomodo: uma fibra óptica que vai permitir que apenas um modo de se propagar, esta fibra é tipicamente um passo a fibra de índice.

Small Form Factor:  An optical fiber connector and adapter that provide for two strands of fiber in a surface area similar to an unshielded twisted-pair (RJ-style) plug and socket.Small Form Factor: um conector de fibra óptica e adaptador que prevê duas linhas de fibra em uma superfície semelhante a um par trançado blindado (RJ-style) ficha e tomada.

Sneak Current:  A low-level current that is of insufficient strength to trigger electrical surge protectors and, therefore, is able to pass through them undetected.Sneak atual: Um baixo nível atual que é de força suficiente para acionar protetores contra surtos elétricos e, portanto, é capaz de passar por eles detectados. These currents may result from contact between communications lines and AC power circuits or from power induction, and may cause equipment damage unless secondary protection is used. Essas correntes podem resultar de contato entre linhas de comunicação e os circuitos de alimentação AC ou da indução de energia, e pode causar danos ao equipamento, a menos proteção secundária é usada.

Star Topology (1):  A method of cabling each telecommunications outlet/connector directly to a cross-connect in a horizontal cabling subsystemTopologia Estrela (1): Um método de cabeamento de cada tomada de telecomunicações / conector diretamente a uma conexão cruzada em um subsistema de cabeamento horizontal

Star Topology (2):  A method of cabling each cross-connect (HC and IC) to the main cross-connect (MC) in a backbone cabling subsystem.Topologia Estrela (2): Um método de cabeamento de cada cross-connect (HC e IC) para a conexão cruzada principal (MC), em uma estrutura de cabeamento do subsistema.

Surge:  A rapid rise in current or voltage, usually followed by a fall back to a normal level.Surge: Uma ascensão rápida em corrente ou tensão, geralmente seguido por uma queda de volta para um nível normal. Also referred to as transient. Também conhecido como transitória.

Telecommunications:  Any transmission, emission or reception of signs, signals, writings, images, sounds or information of any nature by cable, radio, visual, optical or other electromagnetic systems.Telecomunicações: qualquer transmissão, emissão ou recepção de símbolos, sinais, escritos, imagens, sons ou informações de qualquer natureza por cabo, rádio, audiovisual, meios ópticos ou outros sistemas electromagnéticos.

Telecommunications Industry Association (TIA):  An organization that sets standards for cabling, pathways, spaces, grounding, bonding, administration, field testing and other aspects of the telecommunications industry.Telecommunications Industry Association (TIA): Uma organização que estabelece normas para cabeamento, caminhos, espaços, aterramento, ligação, administração, testes de campo e outros aspectos da indústria de telecomunicações.

Telecommunications Room (TR):  An enclosed space for housing telecommunications equipment, cable terminations and cross-connect cabling used to serve work areas located on the same floor.Telecomunicações Room (TR): um espaço fechado para equipamentos de telecomunicações, habitação, terminações de cabos e cross-connect de cabeamento usado para atender as áreas de trabalho situadas no mesmo andar. The telecommunications closet is the typical location of the horizontal cross-connect and is considered distinct from an equipment room because it is considered to be a floor serving (as opposed to building or campus serving) facility. O armário de telecomunicações é a posição típica do cross-connect horizontal e é considerado distinto de uma sala de equipamentos, porque é considerado um piso que serve (ao contrário de edifício ou campus servindo) facilidade.

Tip Conductor:  A telephony term used to describe the conductor of a pair that is grounded at the central office when the line is idle.Dica Maestro: A telefonia termo usado para descrever o condutor de um par que se baseia no escritório central, quando a linha está ocioso. This term was originally coined from its position as the first (tip) conductor of a tip-ring-sleeve switchboard plug. Este termo foi originalmente cunhado de sua posição como a ponta (primeiro) do condutor de um tip-ring-plug quadro manga.

Topology:  The physical or logical layout of links and nodes in a network.Topologia: O layout físico ou lógico de links e nós de uma rede. These include star, ring and bus configurations. Estes incluem estrela, anel e configurações de ônibus.

Transfer Impedance:  A measure (in W) of shield effectiveness.Impedância de transferência: Uma medida (em W) de eficácia escudo.

Transition Point (TP):  A location in the horizontal cabling subsystem where flat under carpet cabling connects to round cabling.Transition Point (TP): um local no subsistema de cabeamento horizontal onde apartamento em cabeamento tapete conecta a rodada de cabeamento.

Trunk:  A communication line between two switching systems.Tronco: uma linha de comunicação entre dois sistemas de comutação. The term switching systems typically includes equipment in a central office (the telephone company) and PBXs. O termo sistemas de comutação normalmente inclui equipamento em um escritório central (a empresa de telefonia) e PBXs. A tie trunk connects PBXs. Um tronco de amarrar conecta PBXs. Central office trunks connect a PBX to the switching system at the central office. Troncos escritório central PBX para ligar um sistema de comutação no escritório central.

Twisted-Pair Distributed Data Interface (TP-DDI):  Trademark of 3COM Corporation.Twisted-Pair Distributed Data Interface (TP-DDI): marca comercial da 3Com Corporation. (See Twisted-pair Physical Media Dependent.) (Veja Twisted-pair Physical Media Dependent).

Twisted-Pair Physical Media Dependent (TP-PMD):  Technology under review by the ANSI X3T9.5 working group that allows 100 Mb/s transmission over twisted-pair cable.Twisted-Pair Physical Media Dependent (TP-PMD): Tecnologia em análise pelo X3T9.5 ANSI grupo de trabalho que permite que os 100 Mb / s de transmissão por cabo de par trançado. Also referred to as CDDI or TPDDI. Também referido como CDDI ou TPDDI.

Unshielded Twisted-Pair (UTP):  A cable with multiple pairs of twisted insulated copper conductors bound in a single sheath.Unshielded Twisted-Pair (UTP): Um cabo com vários pares de condutores de cobre isolados torcidos ligado em uma bainha único.

Webbed Conductors:  The manufacturing process that physically binds the conductor insulation of the wire pairs of an unshielded twisted-pair cable.Condutores Webbed: O processo de fabricação que liga fisicamente o isolamento do condutor dos pares de fios de um cabo de par trançado sem blindagem.

Work Area:  The area where horizontal cabling is connected to the work area equipment by means of a telecommunication outlet.Área de Trabalho: A área onde o cabeamento horizontal está conectado ao equipamento de área de trabalho por meio de uma tomada de telecomunicações. A station/desk which is served by a telecommunications outlet. A estação / mesa que é servido por uma tomada de telecomunicações. Sometimes referred to as a work station. Às vezes referido como uma estação de trabalho.

Work Area Cable:  A cable assembly used to connect equipment to the telecommunications outlet in the work area.Área de Trabalho do Cabo: Um conjunto de cabo utilizado para ligar o equipamento à tomada de telecomunicações na área de trabalho. Work area cables are considered to be outside the scope of cabling standards. Cabos de área de trabalho são consideradas fora do âmbito das normas de cabeamento.

 

 

 

GLOSSÁRIO 6 -

 

10Base-T

            Nome técnico para o cabo de par trançado usado em Ethernet.

 

2-3 swap (cabo cruzado)

            Uma referência ao cabo no qual o fio usado para transmitir numa ponta é o fio de recepção na outra ponta. Os números 2-3 referem-se aos pinos de transmissão e recepção do conector DB-25.

 

2B+D service (serviço 2B+D)

            Um serviço de ISBN (ver RDSI) que inclui duas conexões padrões de telefonia e uma conexão de dados.

 

802.2

            O padrão da IEEE para o controle lógico do enlace (logical link control). Veja LLC e SNAP.

 

802.3

            O padrão da IEEE para Ethernet.

 

802.5

            Padrão da IEEE para Token Ring.

 

Acknowledgement

            Uma pequena mensagem retornada para informar o emissor que os dados chegaram ao seu destino.

 

Adaptador de rede

            Sinônimo de placa de rede.

 

ADSL (Asymmetrical Digital Subscriber Line)

            Uma tecnologia  usada para transmitir dados digitais em alta velocidade através do cabeamento de par trançado usado pelo serviço telefônico. A taxa de transmissão é assimétrica pois a maioria dos assinantes residenciais puxa mais dados do que os fornece.

 

Algoritmo de Dijkstra

            Um algoritmo para calcular o caminho mais curto num grafo. Protocolos de roteamento usam o algoritmo de Dijkstra para calcular as rotas ótimas.

 

Analisador de rede

            Um aparelho capaz de escutar uma rede, geralmente uma LAN, no modo promíscuo e relatar o tráfego. Também é conhecido como Monitor de rede. Observe que a maioria das placas de rede ethernet permite a operação no modo promíscuo e um computador com placa de rede apenas precisa de software para ser um analisador de rede.

 

APCM (Adaptive Pulse Code Modulation)

            Um esquema para codificação digital de áudio no qual os valores sucessivos representam a variação do sinal amostrado e não o valor absoluto. Veja PCM.

 

API (Application Program Interface)

            O conjunto de rotinas que um programa de computador pode chamar para acessar um serviço especifico. As rotinas que um programa usa para acessar os protocolos de rede é chamada de API de rede.

 

API de socket

            Um conjunto de rotinas (biblioteca de rotinas) usadas para programar aplicações de rede desenvolvido na Universidade da Califórnia, Berkeley. O nome vem da rotina do conjunto que é utilizada para inicializar uma estrutura de dados para estabelecer uma conexão, socket. Veja API.

 

Applet

            Um programa de computador que acompanha um documento ativo de WWW. Um applet é escrito numa linguagem de programação tal como o Java.

 

AppleTalk

            Um conjunto de protocolos de rede desenvolvidos e vendidos pela Apple Computer Corporation.

 

ARP (Address Resolution Protocol)

            O protocolo usado por um computador para mapear um endereço IP num endereço de hardware. Um computador que invoca o ARP transmite a todos os computadores da rede local um pedido perguntando quem tem o endereço IP procurado. E é respondido pelo computador com aquele endereço IP configurado, na resposta vem o endereço de hardware.

 

Árvore de espalhamento distribuída (distributed spanning tree)

            Um algoritmo que as bridges usam, quando elas iniciam, para detectar ciclos e quebrá-los.

 

ASCII (American Standard Code for Information Interchange)

            Um padrão que atribui um número para 128 caracteres, inclusive para as letras maiúsculas e minúsculas, os dígitos, sinais de pontuação e caracteres de controle (como final de texto, linha, campainha, etc.). Veja EBCDIC.

 

ASN.1 (Abstract Syntax Notation.1)

            Um padrão de representação de dados. O protocolo SNMP usa ASN.1 para representar nomes de objetos.

 

Assinatura digital

            Dados cifrados de tal maneira que o receptor possa verificar a identidade do emissor.

 

Assíncrono

            Característica de um sistema de comunicação no qual o transmissor pode transmitir dados sem avisar. O receptor deve estar preparado para aceitar os dados o tempo todo. Veja síncrono.

 

ATM (Asynchronous Transfer Mode)

            Uma tecnologia orientada a conexão definida pela ITU e pelo Fórum de ATM. No seu nível mais baixo, ATM manda todos os dados em células de tamanho fixo com 48 octetos de dados por célula.

 

Atraso de acesso

            O intervalo de tempo que uma interface de rede espera antes de poder acessar uma rede compartilhada.

 

Atraso de fila

            O tempo total que um pacote deve esperar nos equipamentos de conexão de uma rede de comutação de pacotes. O atraso de fila está relacionado com a quantidade de tráfego de uma rede. Quando não existem outros pacotes para trafegar, o atraso de fila é nulo, entretanto o pacote vai ainda enfrentar o atraso de propagação.

 

Atraso de propagação

            O tempo necessário para um sinal atravessar (passar de uma ponta a outra) uma rede. O termo vem da terminologia  de engenharia elétrica e descreve o tempo para um sinal elétrico se propagar através de um fio.

 

AUI (Attachment Unit Interface)

            O tipo de conector usado na Ethernet de cabo grosso. Uma conexão AUI deve ser feita entre o computador e um transceptor Ethernet.

 

AWT (Abstract Window Toolkit)

            Uma biblioteca de rotinas gráficas usada na linguagem Java para manipular janelas numa tela mapeada em bits (bit-mapped). Com o tempo, os projetistas expandiram a AWT para Alternative Window Toolkit eApplet Widget Toolkit.

 

Backbone

            Termo usado para uma sub-rede na qual estão ligadas outras redes locais ou remotas. Normalmente, ela é a sub-rede central pela qual passam todos os dados que devem trafegar entre diferentes redes locais de uma organização e é onde estão ligados os roteadores principais ligando as sub-redes e as conexões externas da rede da empresa, ou organização,  à Internet. Dependendo do projeto da rede, é a sub-rede que mais recebe tráfego e deve usar tecnologias mais velozes.

 

Baud

            O número de variações de um sinal por segundo. Cada variação pode codificar um ou mais bits de informação.

 

Bidding

            Uma técnica que os protocolos usam para a configuração dinâmica de endereços. Um computador seleciona um endereço ao acaso e espalha uma mensagem para determinar se o endereço está em uso. Esquemas alternativos usam servidores para gerenciar os endereços. Veja DHCP.

 

Binary exponential backoff (retorno exponencial binário)

            O esquema usado pelos computadores numa Ethernet após uma colisão no envio de um quadro. Cada computador envolvido na colisão dobra o tempo médio de espera antes de tentar um novo envio do seu quadro.

 

Bit de paridade

            Um bit acrescentado à unidade de dados, geralmente ao caráter, para verificar se os dados foram transferidos sem corrupção. O receptor verifica se a paridade da unidade de dados que chegou está correta. Veja Paridade par e impar.

 

Bits por segundo

            A taxa na qual os dados são transmitidos através da rede. O número de bits por segundo pode ser diferente da taxa de baud, pois mais de um bit pode ser codificado num único baud.

 

BOOTP (BOOTstrap Protocol)

            Um protocolo que um computador pode usar para obter informações para configurar seus programas dos protocolos de rede. BOOTP usa quadros IP e UDP para espalhar um pedido na rede local e recebe uma resposta antes do seu próprio endereço IP está configurado. O DHCP é uma evolução deste protocolo.

 

BRI (Basic Rate Interface)

            O serviço de RDSI que fornece dois canais B e um canal de dados. BRI é adequado para pequenos escritórios. Veja PRI.

 

Bridge

            Um dispositivo de hardware que conecta dois segmentos de rede local e copia os quadros de um segmento para o outro. A maioria dos hardware de bridges usa o endereço de hardware para aprender qual computador está ligado a qual segmento, assim o bridge pode só precisa copiar os quadros necessários.

 

Broadcast (difusão, espalhamento)

            Uma forma de entrega de dados na qual uma cópia é entregue para cada computador na rede. Veja cluster, multicast e unicast.

 

Browser (navegador)

            Um programa de computador que acessa e mostra informações do WWW. Um navegador integra vários programas aplicativos e usa o nome do objeto para determinar qual aplicação deve ser usada para acessar o objeto. Veja URL.

 

Byte stuffing (enchimento de bytes)

            Uma técnica de protocolo na qual os dados são modificados para inserir bytes adicionais que permitem distinguir os valores dos dados de campos de controle do pacote.

 

Cabeçalho de base

            Um cabeçalho requerido no começo de um datagrama do IPv6.

 

Cabeçalho de extensão

            Um cabeçalho opcional usado no protocolo IPv6.

 

Cabeçalho de próximo

            Um campo no cabeçalho de IPv6 que especifica o tipo do próximo item.

 

Cabo coaxial

            Um tipo de cabo usado para redes de computadores assim como para a televisão a cabo. O nome vem da estrutura na qual uma cobertura metálica envolve um fio central. A cobertura metálica protege o sinal no fio interno das interferências eletromagnéticas.

 

Cabo de categoria 5

            Um tipo de cabo necessário para a Ethernet com par trançado. As características elétricas do cabo de categoria 5 o tornam menos sensível a interferência eletromagnética do que cabos de categorias mais baixas.

 

Canal B (Bearer channel)

            O termo usado pelas companhias de telefonia para chamar um canal configurado para voz num circuito telefônico. A RDSI inclui um serviço de canal B. Veja canal D.

 

Canal D

            O termo usado pelas companhias telefônicas para chamar um canal configurado para dados. A RDSI inclui um serviço de canal D. Veja canal B.

 

Canal virtual (VC – virtual channel)

            Sinônimo para circuito virtual. O termo canal virtual é usado na tecnologia ATM. Veja VC.

 

Carga útil (payload)

            Genericamente, os dados dentro de um pacote. A carga útil dentro de um quadro são os dados dentro do quadro. A carga útil de um datagrama é aquilo que está dentro da área de dados. Observe, entretanto, que no caso de protocolos da camada 2 que exigem um tamanho mínimo de área de dados (Ethernet) ou tamanho fixo para o quadro (ATM), podem existir bytes que não são estritamente pertencentes à carga útil do quadro.

 

CATV (Televisão de antena comunitária)

            O nome dado aos sistemas de TV a cabo nos EUA. A tecnologia de TV a cabo usa multiplexagem por divisão de freqüência para propagar diversos canais de televisão através de um único cabo simultaneamente. Veja modem para cabo.

 

CCITT (Consultative Committee on International Telephone and Telegraph)

            O antigo nome do ITU.

 

CDDI (Copper Distributed Data Interconnection)

            Tecnologia FDDI adaptada para ser usada em cabos de fio de cobre.

 

Célula

            Um pacote pequeno, de tamanho fixo (e.g., redes ATM enviam células de 48 octetos).

 

CGI (Common Gateway Interface)

            Uma tecnologia usada para criar documentos dinâmicos de WWW. Programas CGI executam no computador servidor das páginas.

 

Chave de encriptação (ou criptografia)

            Um número usado para cifrar dados para garantir a privacidade. Em alguns esquemas de criptografia, o receptor deve usar a mesma chave para decifrar os dados (criptografia simétrica). Outros esquemas usam um par de chaves – uma para cifrar e outra para decifrar (criptografia assimétrica).

 

Checksum

            Um valor usado para verificar se os dados não foram corrompidos durante uma transmissão. O emissor calcular um checksum, por exemplo somando todos os valores binários dos dados, e transmite o resultado num pacote com os dados. O receptor calcula o checksum dos dados recebidos e o compara com o transmitido no pacote. Veja CRC.

 

Circuito alimentador

            Um termo usado na televisão a cabo que se refere ao cabeamento entre um ponto de concentração de vizinhança (central) com os assinantes da região. Um circuito alimentador não deve ser mais longo do que 3 km. Veja circuito tronco.

 

Circuito de 3 fios

            Um esquema de cabeamento freqüentemente usado para conexões seriais assíncronas entre dois computadores. O primeiro fio é usado para transmitir dados de um computador para o outro, o segundo na direção contrária e o terceiro é o fio de terra comum.

 

Circuito de 4 fios

            Esquema de cabeamento usado para conectar dois computadores semelhante ao circuito de 3 fios. Ele é usado no lugar quando a distância é maior. O fio de terra de cada uma das comunicações é independente.

 

Circuito tronco

            Um termo usado em redes com vários significados. As companhias telefônicas usam o termo para fazer referência a circuitos de alta capacidade que fazem a conexão entre as centrais telefônicas. As companhias de televisão a cabo usam o termo para cabos coaxiais (ou óticos) de alta capacidade usados para ligar a companhia a cabo e os pontos de concentração de vizinhança, que podem ter mais de 25 km de distância entre eles. Veja Circuito alimentador.

 

Cliente

Quando dois programas conversam numa rede, um cliente é o que inicia a comunicação, enquanto o programa que espera a conexão é o servidor. Um dado programa pode ser cliente para um serviço e servidor para um outro. Veja Servidor.

 

Conector BNC

            O tipo de conector usado em Ethernet de cabo fino. Igual ao conector do cabo coaxial usado para sinais de televisão.

 

Cluster

            Uma forma de endereçamento usada no IPv6 na qual um conjunto de computadores tem atribuído um endereço; um datagrama enviado para o endereço pode ser entregue a qualquer um dos computadores no conjunto. Veja broadcast, multicast e unicast.

 

Colisão

Um evento que ocorre nas redes CSMA/CD quando duas estações tentam transmitir simultaneamente. Os sinais interferem um com o outro forçando as duas estações a pararem e tentarem de novo. Veja Binary exponential backoff.

 

Compressão de zeros (zero compression)

            Uma técnica que o IPv6 usa para abreviar a notação hexadecimal com dois pontos dos endereços de 128 bits substituindo as seqüências de zeros por pares de dois pontos.

 

Comutação (switching)

            Termo usado para descrever a operação de um comutador. Normalmente, as redes de computadores são chamadas de redes de comutação de pacotes em oposição às redes telefônicas clássicas, anteriores ao uso de ATM, que são redes de comutação de circuito. O termo, às vezes, se confunde com o roteamento dos pacotes. Atualmente, o termo comutação é usado para o encaminhamento dos quadros dentro de uma rede local quando o caminho é decidido pelo endereço MAC de destino e roteamento quando o próximo salto é decidido através do endereço IP de destino.

 

Configuração do protocolo

            Um passo que um sistema computadorizado deve executar para atribuir valores a parâmetros antes de poder usar os programas da pilha de protocolos. Geralmente, a configuração do protocolo exige no mínimo a configuração do endereço de protocolo.

 

Congestionamento, ou congestão (congestion)

            Uma condição na qual um pacote enviado através da rede tem um atraso excessivo devido a uma quantidade muito grande de pacotes na rede. A menos que o software detecte o congestionamento e reduza a taxa de envio de pacotes, a rede pode sofre um colapso pelo congestionamento.

 

Contador de hops (saltos)

            Um número num cabeçalho de protocolo que especifica quantas máquinas intermediárias (roteadores) um pacote pode passar através. Protocolos, como o IP, requerem que o emissor especifique o número máximo de saltos para cada pacote. Isto evita que um pacote possa ficar preso numa malha fechada (loop infinito).

 

Controle de fluxo

            Um mecanismo de protocolo que permite ao receptor controlar a taxa de transmissão do emissor de dados. O controle de fluxo permite a um receptor num computador lento receber dados de um computador super-rápido sem perda dos dados por sobrecarga.

 

CRC (Cyclic Redundancy Check)

            Um número usado para verificar se os dados foram corrompidos numa transmissão. O emissor calcula um CRC e o transmite num pacote com os dados. O receptor calcula o CRC dos dados recebidos e compara-o com CRC do pacote. Um CRC é mais complexo a calcular do que um checksum , mas pode detectar um número maior de erros.

 

CSMA (Carrier Sense Multiple Access)

            A técnica usada em redes com arquitetura de barramento para que os computadores conectados verifiquem se existe uma portadora no barramento antes de transmitirem Se existir é porque um outro computador está transmitindo e deve haver uma espera até que o outro pare.

 

CSMA/CD (carrier Sense Multiple Access with Collision Detection)

            Uma rede CSMA que tem a capacidade de detectar erros que resultam da transmissão simultânea de várias estações. Veja CSMA e colisão.

 

Datagrama IP

            O formato de um pacote enviado através de uma rede TCP/IP. Cada datagrama tem um cabeçalho, que identifica tanto o emissor quanto o destinatário do pacote e outras informações , seguido dos dados.

 

DB-25

            Um conector de 25 pinos em geral usado para linhas seriais.

 

Demodulador

            Um dispositivo que recebe uma portadora modulada e extrai dela a informação usada para a modulação. Veja modem.

 

Demultiplexagem

            Um conceito geral que se refere à separação da informação recebida através de um canal comum de comunicação nos seus componentes originais. A demultiplexagem ocorre tanto no hardware (i.e., sinais elétricos são demultiplexados) quanto no software (i.e., o software dos protocolos pode demultiplexar as mensagens de chegada e passá-las para cada aplicação corretamente). Veja multiplexagem.

 

Deslocamento de fase (phase shift)

            Técnica usada pelos modems para modular uma portadora para que ela carregue uma informação digital. A fase da onda portadora é deslocada de acordo com a configuração de bits que se deseja enviar. Esta técnica de modulação muita vezes é chamada de PSK (Phase Shift Key).

 

DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol)

            Um protocolo que os computadores usam para obter informação de configuração. O DHCP permite que um computador tenha um endereço atribuído sem que um administrador tenha de configurar informações sobre o computador num banco de dados de um servidor (caso do BOOTP).

 

Difusão direcionada (directed broadcast)

            Uma difusão a todos os computadores de uma rede remota conseguida através do envio de uma única cópia do pacote para rede remota e a difusão do pacote é obtida na chegada do pacote à rede remota. TCP/IP dá suporte à difusão direcionada.

 

DNS (Domain Name System)

            Um sistema para traduzir nomes de computadores nos seus endereços IPs. Um servidor de DNS responde a pedidos de procura de nomes retornando o endereço. É essencialmente um banco de dados hierárquicos distribuídos. Veja Domínio.

 

Documento ativo

            Um documento de WWW que é um programa de computador. Depois de puxar um documento ativo, o navegador executa o programa no computador do usuário. O documento ativo pode modificar constantemente a tela. Veja documento dinâmico, documento estático e URL.

 

Documento dinâmico

            Um programa de computador associado a um documento de WWW que pode gerar um documento sob demanda. Quando um navegador pede um documento dinâmico, o servidor executa o programa e envia a saída para o navegador. Um programa de documento dinâmico pode gerar diferentes saídas para cada pedido. Veja documento ativo, documento estático e URL.

 

Documento estático

            Uma página de informação disponível na teia mundial. O conteúdo de um documento estático não muda até que o autor do documento o modifique. Veja documento ativo, documento dinâmico e URL.

 

Domínio

            Uma parte da hierarquia de nomes de computadores usada na Internet. Por exemplo, organizações comerciais americanas ou internacionais têm os seus nomes registrados abaixo do domínio .com, no Brasil, abaixo de domínio .com.br.

 

DDoS (Distributed Denial-of-Service)

            Técnica de ataque do tipo DoS em que diversos computadores invadidos rodam um programa de ataque DoS acionado por controle remoto. Geralmente, consome toda a banda de uma rede, de uma máquina ou a capacidade de resposta de um ou mais servidores.

 

DoS (Denial-of-service)

            Ataque de rede que procura bloquear um serviço de rede.

 

DS-1, DS-3

            Designações usadas pelas companhias telefônicas para a velocidade de circuitos digitais ponto-a-ponto. DS-1 representa 1,544 Mbps e DS-3, 44,736 Mbps. Veja T1, T3.

 

DSU/CSU (Data Service Unit /Channel Service Unit)

            Um dispositivo eletrônico que conecta uma linha privativa digital com um equipamento computadorizado. O DSU/CSU traduz o formato digital usado pelas companhias telefônicas no formato usado pela industria eletrônica e vice-versa. Em geral, ele é parte integrante do modem usado entre o equipamento de rede e a conexão da companhia telefônica. Veja modem.

 

EBCDIC (Extended Binary Coded Decimal Interchange Code)

            Um padrão que atribui números únicos para 256 caracteres, incluindo letras maiúsculas, minúsculas, dígitos, pontuação e caracteres de controle.

 

Echo reply (resposta de eco)

            Uma mensagem usada para testes e depuração. Uma resposta de eco é enviada em resposta a um pedido de eco em ICMP. O programa ping envia pedidos de eco e respostas de eco. Isto é conveniente para verificar se uma máquina está conectada à rede e respondendo. Veja Echo request (pedido de eco).

 

Echo request (pedido de eco)

            Uma mensagem usada para testar e depurar a conectividade de duas máquinas. O programa ping envia uma mensagem de pedido de eco ICMP para receber respostas de eco. Veja Echo reply (resposta de eco).

 

Email (correio eletrônico)

            Um aplicativo popular no qual um usuário ou computador envia uma mensagem para um ou mais destinatários.

 

Encaminhamento para o próximo salto (next-hop forwarding)

            A técnica usada por protocolos do tipo do IP para encaminhar um pacote para o seu destino final. Embora um roteador não possua informação completa sobre o caminho que um datagrama deve seguir, ele sabe para qual roteador deve encaminhá-lo.

 

Encapsulamento

            A técnica pela qual a informação a ser enviada é colocada dentro da área de dados de um pacote ou quadro. Um pacote de um protocolo pode ser encapsulado dentro de um outro (p.ex., ICMP pode ser encapsulado no IP).

 

Endereço de destino

            Um endereço num pacote que especifica o destino final para o qual o pacote está sendo enviado. Num quadro de hardware, o endereço de destino deve ser um endereço de hardware. Num datagrama IP, o endereço de destino deve ser um endereço IP.

 

Endereço de fonte

            Um endereço num pacote que especifica o computador que o enviou. Num quadro de hardware, o endereço de fonte deve ser o endereço de hardware. Num datagrama IP, o endereço de fonte deve ser o endereço IP de quem enviou o pacote. Observe que como esta informação não é usada no roteamento dos pacotes em redes IP, não há a necessidade de se fornecer o seu endereço IP verdadeiro, o uso de endereços IP falsos é chamado de IP spoofing.

 

Endereço de hardware

            O endereço da camada atribuído a um computador ligado à rede. Um quadro enviado por um computador para um outro deve conter o endereço de hardware do destinatário. O endereço de hardware também é chamado de endereço MAC.

 

Endereço de internet

            Veja Endereço IP.

 

Endereço de loopback

            Um endereço especial que é usado para depuração e teste de aplicações de rede. Um pacote enviado para o endereço de loopback não é transmitido através da rede, mas é devolvido à pilha de protocolos de rede da própria máquina como se tivesse vindo pela rede.

 

Endereço de protocolo

            Um número atribuído para um computador que é usado como endereço de destino nos pacotes enviados para este computador. Cada endereço de IPv4 tem 32 bits, outras famílias de protocolos podem ter endereços de protocolos diferentes.

 

Endereço final (endpoint address)

            Um termo genérico para qualquer endereço atribuído a um computador que ser usado como endereço de destino. Por exemplo, um endereço IP é um tipo de endereço final.

 

Endereço físico

            Sinônimo para endereço de hardware.

 

Endereçamento hierárquico

            Um esquema de endereçamento em que parte do endereço guarda informações  de localização. Por exemplo, um número telefônico é hierárquico já que ele começa com um código de área seguido de um número para a central local.

 

Engenharia social

            Técnica de obtenção de segredos (senhas) fazendo-se passar por outras pessoas enganando usuários inexperientes e não treinados para protegerem os seus segredos de rede. Exemplo, ligar para um usuário se fazendo passar pela assistência técnica e pedir a senha do usuário para fazer um reparo ou uma verificação.

 

Erro de quadro

            Um erro que ocorre em linhas seriais assíncronas no qual o receptor não detecta um quadro válido (geralmente um caráter). Diferenças entre o ajuste da taxa de transmissão e recepção podem causar este tipo de erro.

 

Erro de transmissão

            Qualquer erro introduzido nos dados ao percorrer uma rede. Erros de transmissão podem ser causados por interferência eletromagnética ou mau funcionamento dos circuitos eletrônicos.

 

Estado de enlace (link-state)

            Um algoritmo usado pelos roteadores para calcular rotas ótimas para cada destino. Cada roteador recebe informações a respeito do estado dos enlaces da rede e usa a informação para calcular o caminho mais curto para cada destino.

 

Ethernet

            Uma tecnologia popular de rede local (LAN – local area network)  que usa uma topologia de barramento compartilhado e acesso do tipo CSMA/CD. A Ethernet básica, a primeira, funciona a 10 Mbps, a Fast Ethernet funciona a 100 Mbps e a Gigabit Ethernet funciona a 1.000 Mbps (i.e., 1Gbps).

 

Ethernet com cabo grosso (thicknet)

            Um termo informal para a rede Ethernet original que usava um cabo coaxial grosso.

 

Ethernet com cabo fino (thinnet)

            Um termo informal para a rede Ethernet com cabos coaxiais de 50 Ohms.

 

Ethernet DIX (Ethernet da Digital Intel Xerox)

            Um termo usado para a Ethernet original porque o padrão foi desenvolvido conjuntamente pelas três companhias.

 

Expansor de correio (mail exploder)

            Um programa usado para encaminhar mensagens de correio eletrônico. Um mail exploder consulta um banco de dados para determinar o que fazer com cada mensagem. O nome vem do fato do mail exploder poder enviar cópias de uma mensagem para vários destinatários se o banco de dados especificar muitos destinatários para o endereço. Veja também Lista de correio.

 

Fast ethernet

            Uma versão de Ethernet que funciona a 100 Mbps.

 

FDDI (Fiber Distributed Data Interconnect)

            Uma tecnologia de rede local que usa fibra ótica para conectar estações numa topologia em anel.

 

FDM (frequency division multiplexing)

            Uma técnica geral de multiplexagem que permite a vários emissores transmitirem através de um mesmo meio comum. Cada emissor usa uma freqüência portadora diferente com uma largura de banda tal que as transmissões não interferem umas com as outras.

 

Fibra ótica

            Um fio fino de vidro usado para transportar sinal ótico (onda eletromagnética de alta freqüência) com baixas perdas. Suas vantagens em relação ao cabeamento metálico (fios de cobre) são a grande largura de banda e imunidade a interferências eletromagnéticas.

 

Firewall para internet

            Um mecanismo de segurança colocado na ligação entre as redes de uma organização e redes fora da sua organização, a Internet global, por exemplo. Um firewall geralmente restringe o acesso dos/aos computadores e serviços da organização.

 

Forward (encaminhar)

            Veja armazenar e encaminhar (store and forward).

 

Fragmentação

            Técnica usada pelo IP para dividir um datagrama grande em datagramas menores que são chamados de fragmentos. Veja Remontagem.

 

Frame relay

            Uma tecnologia para redes remotas (longa distância) – WANs – que fornece um serviço orientado a conexão.

 

FTP anônimo

            Acesso a um servidor de FTP através de uma conta comum anônima (anonymous) com senha qualquer. Os servidores de FTP podem permitir ou não este tipo de acesso. A outra possibilidade é servir arquivos apenas aos usuários cadastrados com senhas válidas.

 

FTP (File Transfer Protocol)

            Um protocolo usado para transferir arquivos completos de um computador a outro através de uma rede IP.

 

FTTC (Fiber To The Curb)

            Uma tecnologia proposta para substituir a infra-estrutura atual de televisão a cabo. Ela utiliza troncos de fibra ótica e uma combinação de cabos coaxiais e pares trançados para ligar os assinantes.

 

Gbps (giga bits per second – giga bits por segundo)

            Uma unidade de taxa de transferência igual a 1024 Mbps.

 

GEO (Geostationary Earth Orbit – Órbita Geo-estacionária)

            Altitude mínima para um satélite de comunicação ter a propriedade de acompanhar a velocidade de rotação da terra (aproximadamente 36.000 km). Também chamada de órbita geossíncrona.

 

Gerência de rede

            Uma referência ao trabalho de administrar, monitorar e controlar uma rede. Protocolos, como o SNMP, ajudam a automatizar algumas das tarefas de monitoramento e controle.

 

GIF (Graphics Interchange Format)

            Um formato padrão para armazenar imagens em arquivos. Arquivos GIFs são particularmente populares na teia mundial, WWW.

 

Gigabit Ethernet

            Versão da tecnologia de  ethernet que funciona a 1000 Mbps.

 

Handshake de 3 fases

            Uma técnica usada pelo TCP e outros protocolos de transporte para iniciar uma comunicação de maneira confiável e terminá-la graciosamente.

 

HDSL (High-rate Digital Subscriber Line)

            Tecnologia desenvolvida por companhias telefônicas para fornecer serviço digital de alta velocidade através da malha local. Veja ADSL.

 

Hertz

            Unidade de medida igual a uma oscilação por segundo. A largura de banda é medida em potências de Hertz.

 

HFC (Hybrid Fiber Coax)

            Tecnologia para substituir a infra-estrutura de televisão a cabo atual por uma que usa troncos de fibra ótica com cabos coaxiais ligando os assinantes e capaz de fornecer transferência de informação digital bidirecional, além dos sinais de televisão. Veja Cable modem.

 

Hipermídia

            Um conjunto de documentos em que um documento pode conter texto, figuras ou gravações de vídeo ou de áudio assim como referências a outros documentos. Páginas da teia mundial são, geralmente, documentos de hipermídia.

 

Hipertexto

            Um conjunto de documentos em que cada documento pode conter texto e referências a outros documentos. Veja Hipermídia.

 

Homepage

            Um documento num servidor de páginas de WWW que é o ponto de partida para obter informação sobre um dado indivíduo, companhia, grupo ou tópico. Uma homepage pode conter ponteiros para páginas adicionais com informações correlatas ou para outras homepages.

 

Host (máquina ou computador)

            Um computador ligado numa rede usado por um usuário final. Na Internet, cada computador é classificado como uma máquina ou como um roteador. Observe que uma cafeteira ligada à internet é uma máquina, tanto quanto um super-computador.

 

HTML (Hyper Text Markup Language)

            O formato fonte usado para documentos na teia mundial, WWW. HTML inclui comandos para determinar a forma como o texto deve ser exibido (e.g., para ir para uma nova linha, centralizar uma linha ou passar uma linha horizontal).

 

HTTP (Hyper Text Transport Protocol)

            O protocolo usado para transferir páginas na teia mundial, WWW, de um computador servidor para um computador cliente.

 

Hub

            Um equipamento de rede usado para ligar as máquinas de um mesmo segmento de rede local. Sua função básica é receber um pacote numa porta e copiá-lo para todas as outras portas. Por isso, ele também é chamado de repetidor.

 

IANA (Internet Assigned Number Authority)

            A organização responsável pela atribuição dos números usados na Internet global e nos protocolos de redes IP. O IANA define os números a serem usados no campo de protocolo, o número da porta que um servidor de uma dada aplicação deve escutar para aceitar pedidos dos clientes, etc.

 

ICMP (Internet Control Message Protocol)

            O protocolo que uma rede IP usa para relatar erros e operações excepcionais. O ICMP fornece, ainda, mensagens informacionais para programas do tipo ping. Observe que ele é um protocolo que não usa a camada de transporte e pode ser visto como um protocolo de apoio à camada de rede ou, como normalmente ele é visto, como um protocolo complementar da camada IP.

 

IDS (Intrusion Detection System)

            O sistema de detecção de intrusos é um sistema computacional que procura identificar a presença de atividades anômalas num computador ou numa rede. 

 

Internet

            Um conjunto redes conectadas por roteadores que são configurados para encaminhar os pacotes entre os computadores ligados às redes do conjunto. A maioria das internets usa os protocolos TCP/IP. Geralmente, ao se referir à Internet global, os autores usam um I maiúsculo e para uma rede de redes usando tecnologia TCP/IP, internet com i minúsculo.

 

IP (Internet Protocol)

            O protocolo que define o formato das mensagens usadas numa rede TCP/IP e o mecanismo de roteamento de um pacote para o seu destino.

 

Endereço IP

            Um endereço (configuração) de 32 bits que é dado a um computador, mais precisamente, a uma interface de rede de um computador que usa os protocolos TCP/IP. O emissor deve conhecer o endereço IP do computador de destino antes de enviar um pacote.

 

IPng (Internet Protocol – the Next Generation)

            O nome genérico usado durante as primeiras discussões para definir um novo protocolo em substituição ao IPv4. Os pesquisadores propuseram diversos protocolos possíveis para o IPng. Veja IPv6.

 

IPv4 (Internet Protocol Version 4)

            A versão atual de IP em uso pela Internet. O IPv4 usa endereços de 32 bits.

 

IPv6 (Internet Protocol Version 6)

            Um protocolo específico escolhido pelo IETF como o sucessor do IPv4. O IPv6 usa endereços de 128 bits.

 

IPX (Internet Packet eXchange)

            Uma família de protocolos definida pela Novell Corporation. O IPX não tem nenhuma relação com IP.

 

ISDN (Integrated Services Digital Network)

            Veja RDSI.

 

ISO (International Organization for Standardization)

            A organização internacional que propôs o modelo de referência de 7 camadas usado no início das redes de dados.

 

 

ITU (International Telecommunication Union)

            A organização internacional que controla os padrões dos sistemas telefônicos. A ITU também padroniza algumas tecnologias de redes de computadores (e.g., ATM).

 

Janelas deslizantes

            Uma técnica que um protocolo pode usar para aumentar  a taxa de transmissão ao permitir que um emissor envie mais de um pacote sem receber o aviso de recepção correspondente. O receptor conta para o transmissor quantos pacotes (ou bytes) podem ser enviados simultaneamente (chamado de tamanho da janela).

 

Java

            Uma linguagem de programação definida pela Sun Microsystems para ser usada em documentos ativos da teia mundial, WWW. Programas em Java são compilados para uma representação em bytecode, uma espécie de meta código que pode ser executado em qualquer plataforma computacional que possua um interpretador para esta representação. No caso dos navegadores, o próprio programa navegador pode ter um interpretador de código Java embutido ou pode usar um externo. Depois que um navegador carrega um programa Java, o programa executa na máquina do navegador e controla a tela dela.

 

JavaScript

            Uma linguagem interpretada usada por documentos ativos da teia mundial, WWW. Como os programas não são compilados, eles podem ser integrados ao texto de uma página de WWW.

 

Jitter

            Um termo usado para expressar a variação do atraso introduzido pela rede para a entrega dos dados. Uma rede com um jitter nulo leva sempre o mesmo tempo para entregar cada pacote, enquanto que uma rede com um jitter elevado pode levar mais tempo para entregar alguns pacotes do que outros. O jitter é importante no envio de áudio e imagens de vídeo, quando os dados devem chegar a intervalos regulares.

 

kbps (kilo bits por segundo)

            Uma unidade de transferência de dados igual a 1024 bits por segundo.

 

LAN (local area network)

            Uma rede que usa tecnologia projetada para curtas distâncias geográficas. Por exemplo, Ethernet é uma tecnologia adequada para uma rede num único edifício. LANs têm tempo de atraso de propagação relativamente pequeno, muito menor que uma WAN. Veja WAN.

 

Largura de banda (bandwidth)

            Uma medida da capacidade de um sistema de transmissão. A largura de banda é medida em Hertz.

 

LEO (Low Earth Orbit)

            A órbita que um satélite de comunicação deve ter para o satélite levar 90 minutos para circundar a Terra. Chamado de satélite de órbita baixa.

 

Limite de hops (saltos)

            Um sinônimo para o contador de saltos que é usado no IPv6.

 

Linha serial

            Um par de fios de cobre ligando dois pontos que permite a transmissão de um bit de cada vez. O padrão RS-232-C é, geralmente, usado com linhas seriais.

 

Lista de correio

            Um endereço de correio eletrônico que serve para distribuir uma mensagem de correio eletrônico para diversos destinatários. Também chamado de lista de discussão. Existem diversas listas na Internet para a discussão dos assuntos mais diversos, relacionados ou não com a Internet.

 

LLC (Logical Link Control)

            Parte do cabeçalho do protocolo LLC/SNAP da IEEE usada para identificar o tipo de um pacote. O cabeçalho inteiro usa 8 octetos e os três primeiros são a parte do LLC. Veja SNAP.

 

Localidade de referência

            Um termo usado para expressar a idéia de que a comunicação segue padrões regulares. Uma localidade espacial de referências significa que um computador provavelmente vai se comunicar mais com um computador local do que com um remoto e localidade temporal de referências significa que um computador tem mais chances de recontactar um computador num curto espaço de tempo que de começar uma comunicação com um outro computador.

 

LocalTalk

            Uma tecnologia de rede local usada pela Apple Computer Corporation que usa uma topologia de barramento. A localTalk usa protocolos de AppleTalk.

 

Malha local (local loop)

            Um termo usado pelas companhias telefônicas para designar o cabeamento entre a central telefônica e um assinante (e.g., um comércio ou uma residência). Várias tecnologias foram desenvolvidas para fornecer serviços digitais de alta velocidade através do cabeamento da malha local, a mais conhecida, ADSL, é usada pela telefônica em São Paulo no seu serviço Speedy. Veja ADSL.

 

Máscara de endereço, ou máscara de rede

            Um número de 32 bits que especifica quais bits de um endereço IP correspondem ao endereço de rede, ou sub-rede. Os bits que não fazem parte do endereço de rede servem para localizar a máquina dentro da rede (sub-rede).

 

Máscara de sub-rede

            Sinônimo para máscara de endereço.

 

Mbps (mega bits por segundo)

            Unidade de taxa de transferência de dados igual a 1024 kbps.

 

Melhor esforço (best-effort)

            Característica de qualquer sistema de rede que faz o melhor esforço para entregar os dados, mas que não garante a entrega. Muitas redes usam a técnica do melhor-esforço.

 

MIB (Management Information Base)

            Um conjunto de itens com nomes, chamados de variáveis, que um agente de SNMP entende. Para monitorar ou controlar um computador remoto, um gerente deve ler ou escrever valores nas variáveis de uma MIB.

 

MIME (Multipurpose Internet Mail Extensions)

            Um mecanismo que permite que dados não textuais sejam enviados através de uma mensagem de e-mail na Internet. O emissor de MIME codifica os dados com caracteres imprimíveis, o leitor de MIME decodifica a mensagem.

 

Modelo de camadas

            Um modelo conceitual usado para explicar as intenções e interações de um conjunto de protocolos. A disposição em camadas é particularmente interessante para os projetistas de protocolos; uma vez implementados, os protocolos não precisam entender das outras camadas.

 

Modelo de referência da internet

            Um modelo de 5 camadas que descreve o propósito conceitual dos protocolos da seqüência (pilha) de protocolos TCP/IP.

 

Modelo de referência de 7 camadas

            Um modelo conceitual antigo desenvolvido pela International Organization for Standardization para especificar como um conjunto de protocolos deve ser integrado para fornecer serviços de comunicação. O modelo de 7 camadas não inclui uma camada de protocolo de internet.

 

Modem (MOdulador/DEModulador)

            Um dispositivo que codifica a informação digital numa onda portadora para a transmissão através de fios de cobre ou uma conexão pela linha de voz. Um par de modems permite uma comunicação em dois sentidos pois cada modem possui circuitos para codificar os dados de saída e decodificar os dados de entrada. Veja DSU/CSU.

 

Modem de acesso discado

            Um modem usado para acessar a rede telefônica. Os modems de acesso discado devem fazer uma chamada telefônica ou receber uma para se comunicarem através de sinais de áudio que funcionam como portadoras dos dados digitais.

 

Modem de RF

            Um modem que pode enviar e receber informação pela modulação de uma portadora de rádio freqüência. Modems de RF são usados em tecnologias de rede sem fio.

 

Modem para cabo (cable modem)

            Um modem usado para enviar informação digital através dos cabos coaxiais usados para a televisão a cabo.

 

Modem para fibra

            Um modem que modula/demodula sinais óticos para a comunicação digital. Um modem para fibra usa diodos foto-emissores ou lasers para transmitir luz. Veja fibra ótica.

 

Modem ótico

            Sinônimo para modem de fibra.

 

Modo promíscuo

            Um modo no qual uma placa de rede ethernet captura todos os quadros no segmento compartilhado, mesmo os que não lhe são destinados. O modo promíscuo é útil para o monitoramento da rede, mas apresenta um risco para a segurança de uma rede em produção. A maioria das interfaces padrões permitem o modo promíscuo.

 

Modulação

            Um processo que permite modificar uma onda portadora para que ela carregue a codificação de dados. Uma outra maneira de ver é imaginar a modulação como o processo que permite modificar o comportamento em freqüência de um sinal transportando uma informação, geralmente deslocando o sinal de uma faixa de freqüências para uma outra, sem que a informação seja perdida. A freqüência média do novo sinal é, normalmente, a freqüência da onda portadora. A taxa de transmissão máxima possível depende da freqüência portadora e da técnica de modulação empregada.

 

Monitor de rede

            Um sinônimo para o Analisador de rede.

 

MTU (Maximum Transmission Unit)

            A maior quantidade de dados que pode ser enviada através de uma dada rede num único pacote. Cada tecnologia de rede define um MTU (e.g., o MTU de uma Ethernet é de 1500 octetos).

 

MTU do caminho(path MTU)

            A quantidade máxima de dados que pode ser enviada num pacote através de um caminho entre a fonte emissora e o destino. Tecnicamente, o MTU de um caminho é o menor MTU das redes no caminho do pacote.

 

Multicast

            Uma forma de endereçamento no qual um conjunto de computadores tem um endereço, um pacote enviado a este endereço é copiado para cada um dos computadores do conjunto. Geralmente, usado para transmissão de áudio ou vídeo conferência. Veja Broadcast, Cluster e Unicast.

 

Multihomed

            Qualquer computador ligado a mais de uma rede. Na maioria dos casos, um computador multihomed tem mais de um endereço, um endereço para cada rede. Observe que ele não é um roteador por não exercer a função de roteamento.

 

Multiplexagem e multiplexador

            Um conceito geral relacionado com a capacidade de se transmitir diversas comunicações independentes através de um mesmo meio, ou canal, de comunicação. A multiplexagem pode ocorrer no hardware (i.e., sinais elétricos são multiplexados) e no software (i.e., um protocolo implementado por programas pode aceitar mensagens provenientes de diversos programas aplicativos e enviá-los através de uma única rede para diferentes destinos). Veja Demultiplexagem.

 

Navegador

            Programa usado para acessar a WWW. Veja browser e WWW.

 

News – NNTP

            Um protocolo da Internet usado para trocar notícias entre seus assinantes. Existem diversos canais de notícias e o usuário pode se inscrever em diversos canais. Os canais deveriam tratar sempre de um único tema. Ele é mais eficiente do que uma lista de discussão que é baseada no correio eletrônico normal. Infelizmente, a maioria dos canais não possui controle sobre o que os seus assinantes escrevem e é muito difícil receber apenas as notícias interessantes.

 

Netware

            O nome de um sistema operacional de rede desenvolvido e vendido pela Novell Incorporated.

 

NFS (Network File System)

            Um mecanismo para acessar remotamente arquivos, definido inicialmente pela Sun Microsystems para ser usado no sistema operacional UNIX. O NFS permite que as aplicações de um computador acessem os arquivos de um computador remoto.

 

NIC (Network Interface Card – placa de rede)

            Um dispositivo de hardware que se liga a um computador e conecta o computador a uma rede. Também chamado de adaptador de rede.

 

            Um termo usado informalmente para representar um roteador ou um computador ligado a uma rede. O termo vem da teoria de grafos usada no estudo de roteamento das mensagens.

 

Notação decimal com pontos (dotted decimal notation)

            Uma notação sintáxica usada para expressar um endereço de 32 bits do IPv4. Cada octeto é escrito em decimais com um ponto separando os octetos.

 

Notação hexadecimal com dois pontos

            Uma notação sintáxica usada para os endereços de IPv6. Exemplo: FF:FF:0F:06:1F:22:3B:00:00:10:5F:CA:9D:34:76:01 (128 bits)

 

Número de porta do protocolo

            Um número inteiro pequeno (representável em 16 bits) usado para identificar um programa aplicativo específico num computador remoto. Protocolos de transporte, como o TCP, atribuem uma porta única para cada tipo de serviço (e.g., o correio eletrônico usa a porta 25).

 

OC (Optical Carrier – portadora ótica)

            Um conjunto de padrões adotado pelos vendedores de transmissão digital de alta velocidade através de fibras óticas. OC-1 opera a 51,840 Mbps. OC-n opera a n vezes esta taxa de transmissão.

 

OC-3 (portadora ótica 3)

            Um padrão para codificação de fibra ótica usado em circuitos digitais populares de companhias telefônicas. Um circuito OC-3 opera a 155,520 Mbps. Veja OC.

 

Orientado a conexão

            Uma característica de sistemas de redes que requer que um par de computadores estabeleça uma conexão antes de enviar dados. Redes orientadas a conexão são análogas ao sistema telefônico nas quais uma chamada deve ser feita e atendida antes da comunicação ter lugar. Veja sem conexão ou connectionless.

 

OUI (Organizationally Unique Identifier)

            Um campo do cabeçalho de LLC que especifica qual foi a organização que especificou a informação de tipo do quadro ethernet.

 

Pacote

            Uma pequena parcela auto-contida de dados que é enviada através de uma rede de computadores. Cada pacote inclui um cabeçalho que identifica o emissor e o destinatário e os dados.

 

PAR (Positive Acknowledgement with Retransmission)

            A técnica básica usada pelos protocolos para conseguir uma entrega confiável. O protocolo receptor retorna um aviso de recepção quando um pacote chega. Após a transmissão de um pacote, o emissor inicializa um cronômetro. Se o aviso de recepção não chegar antes que termine um tempo estipulado, o emissor retransmite o pacote.

 

Par trançado

            Uma forma de cabeamento (cabo) no qual os pares de fios são torcidos, um em volta do outro, em espaços regulares. O trançamento dos fios reduz a interferência eletromagnética sob os fios.

 

Par trançado blindado

            Um cabo que contem um ou mais pares trançados e que é envolvido por uma cobertura metálica semelhante à encontrada em torno do fio central do cabo coaxial. A blindagem deve servir para isolar um pouco os fios internos das interferências eletromagnéticas.

 

Paradigma cliente-servidor

            O método de interação usado quando dois programas aplicativos se comunicam através de uma rede. A aplicação servidora espera num endereço conhecido e uma aplicação cliente contata o servidor. Veja Peer-to-peer (ponto-a-ponto).

 

Paridade impar

            Um bit de paridade adicionado a uma unidade de dados, geralmente um caráter, para tornar o número de bits em 1(um) impar. O receptor verifica a paridade para saber se os dados foram corrompidos pela transmissão. Veja Paridade par.

 

Paridade par

            Um bit, chamado de paridade, é acrescentado a cada unidade de dados, geralmente um caráter, para fazer com que o número de bits em “1” seja par. O receptor verifica a paridade para determinar se os dados foram corrompidos durante a transmissão. Veja paridade impar.

 

Passagem de token

            Uma técnica usada em redes com topologia em anel para controlar o acesso. O token, informalmente, a ficha, consiste de uma mensagem especial que circula pela rede. Quando uma estação tem dados para enviar, ela espera pela chegada do token, envia o pacote de dados e solta o token em seguida.

 

PCM (Pulse Code Modulation)

            A técnica de modulação usada para amostrar sinais de áudio e codificá-los para a transmissão através da rede telefônica. O PCM usa 8.000 amostras por segundo, com cada amostra codificada em 8 bits.

 

Peer-to-peer (ponto-a-ponto)

            Nome dado à tecnologia tardia em redes de micro-computadores para indicar que uma máquina pode ser usada como cliente e servidora simultaneamente. Esta tecnologia de rede é utilizada desde o princípio das redes com máquinas UNIX usando redes TCP/IP, entretanto, devido à redescoberta do termo pelos marketeiros da Microsoft, muitas tecnologias velhas estão sendo recobertas com este nome.

 

Perda de sinal

            A quantidade de energia que um sinal perde ao atravessar um meio guiado como um cabo. Uma conexão de rede não pode ser arbitrariamente longa porque uma hora a potência do sinal diminui tanto que é difícil de separá-la do ruído.

 

Pilha (stack)

            Um termo informal para uma implementação de uma seqüência de protocolos de rede num computador. O termo vem do diagrama de camadas de protocolos que mostra uma pilha de protocolos.

 

Ping (packet inter-net groper)

            Um programa usado para testar a conectividade da rede. O ping envia mensagens de Echo Request de ICMP para um destino e relata se ele recebeu um Echo Reply de ICMP como esperado e quanto tempo levou para receber a resposta.

 

Ponto-a-ponto

            Termo perigoso em redes pois o seu significado depende muito do contexto onde ele está sendo usado. Em comunicação, geralmente, ele é equivalente ao end-to-end, i.e., a comunicação entre os dois assinantes finais ou os dois computadores sem levar em conta a rede que os interliga. Na configuração da camada 2 de equipamentos de redes, especialmente roteadores, ele representa um tipo de serviço de rede contratado e especifica as duas pontas de uma conexão através, por exemplo, de uma nuvem de conexão. Em aplicações, especialmente em plataformas usando o sistema operacional da Microsoft, ele significa que as máquinas operam em peer-to-peer. Veja Peer-to-peer e rede ponto-a-ponto.

 

Porta

            Veja Número de porta do protocolo.

 

Portadora (carrier)

            O sinal básico usado para transmitir através de uma rede. Uma portadora é modulada (i.e., alterada) para codificar os dados.

 

PRI (Primary Rate Interface)

            Um serviço de RSDI que deveria fornecer uma largura de banda suficiente para uma grande empresa. Veja BRI.

 

Produto do atraso com a largura de banda

            Uma medida de rede que especifica a quantidade de dados que pode ser enviada entre um emissor e um receptor.

 

Protocolo

            Um projeto que especifica os detalhes de como os computadores interagem entre eles, inclusive o formato das mensagens que eles trocam e como lidar com os erros. Ou um conjunto de regras usadas para permitir a comunicação entre duas entidades.

 

Provedor de Internet – ISP (Internet Service Provider)

            Uma empresa comercial que fornece aos seus assinantes acesso à Internet. As companhias telefônicas costumam falar de serviço de Internet nos países em que elas também podem vender este serviço.

 

PVC (Permanent Virtual Circuit)

            Uma conexão de um computador com outro através de uma rede orientada a conexão. Um PVC é permanente no sentido em que ele sobrevive à re-inicialização do computador ou a quedas de energia. Um PVC é virtual no sentido em que não existe uma ligação física de fios dedicada à conexão, mas uma combinação de tabelas de rotas e outros protocolos para simular um circuito.

 

Quadro (frame)

            O formato de um pacote que o hardware de apoio aceita e envia.

 

RARP (Reverse Address Resolution Protocol)

            Um protocolo utilizado por alguns computadores para obter o endereço IP na inicialização. Um protocolo anterior ao DHCP.

 

RDSI (Rede Digital de Serviços Integrados)

            Um serviço de comunicação digital definido pelas companhias telefônicas. Muitos especialistas pensam que os altos preços e as baixas taxas de transmissão tornam o RDSI desinteressante.

 

Rede auto-curativa

            Uma rede capaz de detectar automaticamente um defeito e se auto-configurar para corrigir, ou contornar, o problema. A FDDI é o exemplo clássico de uma rede desse tipo, graças à redundância do anel duplo, ao se detectar um problema num nó da rede, este nó é contornado pelos seus vizinhos.

 

Rede de comutação de pacotes

            Qualquer rede de comunicação que aceite e entregue pacotes individuais de informação. A maioria das redes modernas faz comutação de pacotes.

 

Rede de longa distância (long-haul network)

            Veja WAN.

 

Rede mista (mesh network)

            Uma arquitetura de rede na qual um computador tem uma conexão ponto-a-ponto com  outro(s) computador(es). Redes full mesh, nas quais cada par de computadores tem uma conexão ponto-a-ponto, oferecem a máxima taxa de transmissão, mas são muito caras e difíceis de serem modificadas. Veja as Topologias em barramento e anel.

 

Rede plug-and-play (conecte e jogue)

            Característica de uma rede que permite a um computador, normalmente um notebook, ser ligado à rede sem a necessidade de uma configuração explícita fornecida pelo gerente de rede. Não confundir com a tecnologia plug-n-pray popularizada pelo windows 95 e sucessores. O protocolo normalmente usado para fornecer conexões plug-and-play na internet é o DHCP.

 

Rede ponto-a-ponto

            Qualquer tecnologia de rede que não utilize tecnologia de meio compartilhado para conectar pares de computadores. A tecnologia ponto-a-ponto é mais popular para redes de longa distância (WANs) do que para LANs.

 

Resolução de endereço

            O mapeamento de um endereço num outro, geralmente de um endereço de alto nível (e.g., endereço IP) para um de mais baixo nível (e.g., um endereço de Ethernet – veja endereço de hardware).

 

Redirecionamento

            Uma mensagem de erro de ICMP enviada por um roteador a uma máquina para dizer que ela tem uma rota incorreta que deveria ser trocada e especifica o destino e o próximo salto (next-hop) correto para este destino.

 

Remontagem (reassembly)

            O procedimento usado pelo receptor para remontar uma mensagem fragmentada em vários pacotes. Veja Fragmentação.

 

Replay (repetição)

            Uma condição na qual a chegada de uma cópia de um antigo pacote provoca confusão na comunicação. Por exemplo, se a cópia de um pacote que pede o fim de uma comunicação sofrer um atraso tal que uma nova comunicação já tenha começado, o pacote pode incorretamente provocar o fim precoce da nova comunicação.Os protocolos devem ser projetados para evitar que uma repetição provoque problemas.

 

Retransmissão

            A retransmissão de pacotes que foram previamente enviados. Os protocolos de transporte usam a retransmissão para obter confiabilidade na comunicação. Veja PAR.

 

Retransmissão adaptativa

            A capacidade de protocolo de transporte de mudar o seu tempo de retransmissão continuamente para se acomodar às variações dos tempos de atraso da internet. O TCP é o protocolo mais conhecido a usar a retransmissão adaptativa.

 

RF (Rádio Freqüência)

            Uma faixa de freqüências usada para o envio de sinais de rádio através do ar, e.g., estação de rádio comercial. Tecnologias de redes sem fio usam RF.

 

RJ-45

            O tipo de conector usado para o cabo de par trançado usado na ethernet e na fast-ethernet.

 

Rota default

            Uma linha da tabela de rotas usada como coringa. O software de roteamento usa a rota de default se a tabela de rotas não possui uma rota mais explicita para um dado destino.

 

Roteador

            O bloco básico para a construção de uma internet. Um roteador é um computador que se liga a duas ou mais redes e encaminha os pacotes de acordo com a informação contida na sua tabela de rotas. Roteadores na Internet global usam os protocolos IP. Veja máquina (host).

 

RS-232-C

            O nome técnico para um padrão usado para as conexões de dados seriais tais como aquelas entre um teclado e um computador. O padrão define detalhes tais como quais tensões representam 0 ou 1.

 

Segmento

            Um pedaço de cabo que forma uma rede do tipo barramento. Vários segmentos são conectados por bridges, switches e roteadores. Um hub simula um barramento.

 

Sem conexão ou connectionless

            Uma característica de sistemas de rede que permitem que um computador envie dados para qualquer computador a qualquer hora. Redes sem conexão são análogas ao sistema de correio postal no qual cada carta carrega o endereço do destinatário; as cartas podem ser enviadas a qualquer momento. Veja orientado a conexão.

 

Seqüência de protocolos (protocol suite)

            Um conjunto de protocolos que trabalha junto para fornecer um sistema de comunicação transparente. Cada protocolo manipula um sub-conjunto de todos os detalhes possíveis da comunicação. A Internet usa a seqüência de protocolos TCP/IP. Veja Pilha.

 

Servidor

            Quando dois programas se comunicam na internet, o cliente é aquele que inicia uma conversação, o programa que espera uma comunicação escutando uma porta é o servidor. Um dado programa pode ser servidor de um serviço e cliente de um outro. Por exemplo, o servidor de páginas, geralmente é servidor de HTTP e cliente de DNS para poder realizar o log (registro) das transações com o nome das máquinas clientes.

 

Servidor raiz

            O servidor de nomes de domínio que conhece a localização dos servidores dos domínios do primeiro nível tais como .com, .Edu e todos os países como .br, .pt, .uk, .ca, ... Veja DNS e domínio.

 

Síncrono

            Característica de um sistema de comunicação em que o emissor deve se coordenar (sincronizar) com o receptor antes do envio de dados. A sincronização é obtida com o hardware enviando um pulso (sinal) regular quando nenhum dado está transitando. O receptor usa o pulso para se colocar na mesma fase (ou na mesma freqüência) do emissor. Veja Assíncrono.

 

SMDS (Switched Multi-megabit Data service)

            Uma tecnologia de rede de longa distância, WAN, não orientada a conexão oferecida pelas companhias telefônicas.

 

SMTP (Simple Mail Transfer Service)

            O protocolo usado para transferir correio eletrônico de um computador a outro na internet. SMTP faz parte dos protocolos de TCP/IP.

 

SNAP (Sub Network Attachment Point)

            A parte do cabeçalho LLC/SNAP da IEEE usada para identificar o tipo de um pacote. O cabeçalho inteiro ocupa 8 bytes, o SNAP usa os 5 últimos bytes. Veja LLC.

 

Sniffer (escuta)

            Um sinônimo popular para um programa analisador de rede. Geralmente, quando usado por um pirata de rede, ele serve para obter senhas de usuários escutadas no meio compartilhado do segmento de rede local.

 

SNMP (Simple Network Management Protocol)

            O protocolo que especifica como uma estação de gerenciamento do rede pode se comunicar com programas agentes instalados em dispositivos remotos tais como roteadores e switches. SNMP define o formato das mensagens e o seu significado. Os parâmetros gerenciáveis são definidos pelas MIBs dos dispositivos. Veja MIB.

 

Spread spectrum

            Uma técnica transmissão usada para evitar interferências e para obter uma taca de transmissão maior. Em vez de usar uma única portadora, o emissor e o receptor entram em acordo para usar um conjunto de freqüências, tanto simultaneamente quanto trocando de uma para outra. Esta técnica é usada principalmente para redes sem fio. Ela foi inicialmente desenvolvida para fins militares.

 

SPF (Shortest Path First)

            Um algoritmo geral usado para o cálculo da tabela de rotas. É uma espécie de algoritmo guloso que procura a melhor rota tentado os caminhos mais curtos primeiro. Veja Estado de enlace, vetor de distância e Algoritmo de Dijkstra.

 

Spoofing

            Técnica usada pelos piratas da rede para disfarçar a origem de um ataque. Veja Endereço de fonte.

 

Store and forward (armazena e encaminha)

            Característica de uma rede que usa comutadores de pacotes (ou roteadores) para encaminhar os pacotes. O nome é devido ao fato de que cada comutador no caminho do pacote para o seu destino recebe o pacote, armazena-o temporariamente na sua memória. Em seguida, o comutador escolhe um pacote da fila (memória), calcula a rota e transmite o pacote para o seu próximo salto (roteador).

 

STS (Synchronous Transport Signal)

            Um conjunto de padrões adotado pelas companhias de telecomunicações que fornecem circuitos digitais de alta velocidade. O STS-1 funciona a 51,840 Mbps; cada STS-n funciona a n vezes esta taxa de transmissão. Veja OC.

 

Suite (seqüência)

            Veja Seqüência de protocolos.

 

SVS (Switched Virtual Circuit)

            Uma conexão de um computador para um outro através de uma rede orientada a conexão. Um SVC é virtual porque é obtido pelo uso de tabelas de rotas e não pelo estabelecimento de conexões elétricas. Um SVC é comutado (switched) pois ele pode ser criado a pedido como numa chamada telefônica. Veja PVC.

 

Switch (comutador)

            Um dispositivo eletrônico que está no centro de uma rede em topologia estrela. Por usar um roteamento baseado no endereço de hardware, ele é mais rápido do que um roteador. Ele usa o endereço de hardware para determinar qual porta deve receber uma cópia do pacote. Ele pode funcionar com store-and-forward ou não.

 

Switch externo

            Um switch numa rede de comutação de pacotes ligadas por switches ao qual estão conectadas máquinas. Veja Switch interno.

 

Switch interno

            Um switch numa rede switches ao qual não estão ligados nenhuma máquina, apenas outros switches. Veja Switch externo.

 

T1, T3

            O nome que as companhias telefônicas dão para circuitos digitais ponto-a-ponto populares. Um T1 funciona a uma taxa de transmissão de 1,544  Mbps e um circuito T3 funciona a 44,736 Mbps. Veja DS-1, DS-3.

 

Tabela de rotas

            Uma tabela usada pelos programas que determinam qual o próximo destino (roteador) de um pacote. A tabela de rotas fica armazenada na memória de um roteador.

 

TCP (Transmission Control Protocol)

            O protocolo TCP fornece aos programas aplicativos um serviço de comunicação orientado a conexão. O TCP oferece uma entrega confiável e controla o fluxo de dados. Além de ser capaz a se adaptar a mudanças na Internet através da adaptação automática do seu esquema de retransmissão. Veja UDP.

 

TCP/IP

            A seqüência de protocolos usada na Internet. Embora a seqüência possua muitos protocolos, o TCP e o IP são dois dos mais importantes.

 

TDM (Time Division Multiplexing)

            Uma técnica de multiplexagem que permite várias comunicações através de um mesmo meio compartilhado de comunicação. Cada comunicação recebe o meio por um intervalo de tempo antes de passá-lo para o seguinte.

 

Tecnologia de banda base (baseband)

            O termo usado para descrever uma tecnologia de rede que usa uma parte pequena do espectro de freqüência eletromagnético admissível num meio de transmissão e envia apenas um sinal de cada vez neste meio. A maioria das LANs usa sinalização de banda base (e.g., Ethernet e FDDI). Veja tecnologia de banda larga.

 

Tecnologia de banda larga (broadband technology)

            Termo usado para descrever uma tecnologia de rede que usa a parte maior do espectro de freqüências eletromagnéticas admissíveis num meio de transmissão para obter taxas elevadas de transmissão de dados. Geralmente, sistemas de banda larga usam multiplexagem por divisão de freqüência para permitir que comunicações múltiplas independentes possam se feitas simultaneamente num único meio de transmissão.

 

Terminador

            Um dispositivo ligado na ponta de um par de fios ou num cabo coaxial para evitar que o sinal seja refletido de volta. Uma rede ethernet em barramento com cabo coaxial precisa de terminadores nas suas duas pontas.

 

Teorema da amostragem de Nyquist

            Um resultado importante da teoria da informação que especifica o número de amostras que deve ser feito em um sinal para digitalizá-lo e ser capaz de recuperá-lo posteriormente. O teorema da amostragem aplica-se no envio de áudio através de uma rede. Veja o Teorema de Shannon.

 

Teorema de Shannon

            Um resultado importante que especifica a máxima taxa de transmissão de dados através de um canal com um certo nível de ruído associado. Veja também o teorema de Nyquist.

 

TFTP (Trivial FTP)

            Um protocolo usado para transferir um arquivo de um computador para um outro. O TFTP é mais simples do que o FTP, mas não é tão capaz. Uma de suas maiores restrições é a falta de um esquema para a autenticação do cliente, o que torna o seu uso perigoso do ponto de vista de segurança.

 

Token ring

            Uma rede com topologia em anel que usa a passagem de tokens. Este termo também se usa para uma tecnologia de rede da IBM.

 

Token Ring da IBM

            Uma tecnologia de rede local desenvolvida pela IBM que usa uma topologia em anel lógico.

 

Topologia

            Um termo usado para descrever o formato de uma rede. As topologias mais comuns são barramento, anel, estrela e ponto-a-ponto.

 

Topologia anel

            Uma arquitetura de rede na qual  os computadores são ligados num círculo com o primeiro ligado ao segundo, o segundo ao terceiro e assim por diante até o último ser ligado ao primeiro. Topologias em anel são usadas em redes locais, LANs.

 

Topologia de barramento

            Uma arquitetura de rede na qual todos os computadores se ligam a um meio compartilhado, em geral, um único cabo. A arquitetura em barramento é usada geralmente em redes locais, LANs.

 

Topologia estrela

            Uma arquitetura de rede na qual as conexões das máquinas são dirigidas a um equipamento central, hub ou switch. Esta topologia geralmente é usada em redes locais.

 

TP Ethernet (Twisted Pair Ethernet) – Ethernet com par trançado

            Veja 10Base-T.

 

Transceptor

            Um dispositivo eletrônico que liga a placa de rede (NIC) de um computador ao meio físico. Os transceptores são usados na ethernet de cabo grosso. Em eletrônica, um transceptor é qualquer equipamento transmissor e receptor, simultaneamente.

 

Transmissão full-duplex

            Uma comunicação entre dois computadores na qual os dados fluem em ambas as direções ao mesmo tempo. Transmissão full-duplex necessita de 2 canais independentes, um para cada direção. Veja Transmissão half-duplex.

 

Transmissão half-duplex

            Comunicação entre dois computadores na qual os dados fluem numa única direção de cada vez. A transmissão half-duplex necessita de menos hardware do que a transmissão full-duplex já que um único meio de comunicação pode ser compartilhado para o envio e a recepção dos dados. Veja Transmissão full-duplex.

 

UDP (User Datagram Protocol)

            O protocolo do TCP/IP que fornece aos programas aplicativos um serviço de comunicação sem conexão. Veja TCP.

 

Unicast

            Uma forma de endereçamento na qual o destinatário do pacote é um único computador. Quando um pacote é enviado a um endereço de unicast, uma única cópia do pacote é entregue no endereço correspondente. Unicast é o tipo mais comum de comunicação entre computadores. Veja Broadcast, Cluster e Multicast.

 

URL (Uniform Resource Locator)

            Uma forma sintática usada para identificar uma página de informações na teia mundial, WWW. Ela consiste de um início com a especificação do protocolo a ser usado para puxar o recurso, seguido de :// (dois pontos, barra, barra) o nome de domínio da máquina servidora do serviço especificado,  seguido opcionalmente de / (barra), o caminho do recurso no servidor e outros parâmetros para obter o recurso desejado.

 

VC (Virtual Circuit)

            Uma conexão de um computador a outro através de uma rede de comutação de pacotes usando um protocolo de comunicação orientado a conexão. O termo virtual se deve ao circuito ser obtido com tabelas de rotas e protocolos e não através de conexão elétrica por fios. Também é chamado de canal virtual.

 

Vetor distância

            Um algoritmo usado pelos roteadores para calcular rotas ótimas para chegar a cada rede de destino. Periodicamente, cada roteador recebe informações de rotas dos roteadores vizinhos. Um roteador substitui uma rota caso uma rota de custo mais baixo se torne disponível. Veja estado de enlace e SPF.

 

Vírus

            Programa de computador que ao ser acionado procura contaminar outros programas ou arquivos do computador além de provocar algum efeito nocivo ao sistema como apagar arquivos, etc. Na contaminação, ele pode se copiar para os outros arquivos completa ou parcialmente.

 

VPN (Virtual Private Network)

            Rede privada virtual, é uma tecnologia que permite o uso de uma rede pública para a conexão de redes privativas com um alto grau de privacidade para os dados. Geralmente, a tecnologia envolve o uso de criptografia para interligar as redes privadas através da rede pública.

 

WAN (Wide Area Network)

            Uma rede que usa tecnologia projetada para se estender por uma grande área geográfica. Por exemplo, uma rede de satélites é uma rede de longa distância, WAN, pois um satélite pode permitir a comunicação entre continentes. WANs têm um tempo de propagação muito maior do que LANs. Veja LAN.

 

Web (teia)

            Um sinônimo para WWW.

 

Window – Janela

            Além do famoso sistema quase operacional da Microsoft, quando o termo é usado em redes de comutação de pacotes, ele representa a quantidade de dados que um receptor está disposto a receber num dado momento. O tamanho da janela pode ser dado em bytes ou em número de pacotes. Veja Janela deslizante.

 

WINS

            Um serviço de resolução de nomes usado em redes da Microsoft, NetBEUI. A Microsoft está migrando para os protocolos TCP/IP e nas versões mais novas do seu sistema operacional o WINS está sendo substituído pelo DNS e Active Directory.

 

Worms (vermes)

            Semelhante aos vírus, apenas o modo de disseminação não depende de uma participação voluntária do usuário de um computador. Ele, o verme, se espalha pelos computadores graças à presença de uma falha de programação de algum programa que esteja executando num computador vítima.

 

WWW (World Wide Web)

            A teia mundial, o sistema de hipermídia usado na internet no qual uma página de informação pode conter texto, imagem, som ou vídeo e pode fazer referência a outros documentos. Essencialmente, é a internet com o protocolo de transferência HTTP, os navegadores, a linguagem HTML e os documentos de hipermídia. Veja Documento ativo, Documento dinâmico, Documento estático, URL e Browser.

 

xDSL (-Digital Subscriber Line)

            Um anacronismo genérico usado para se referir a tecnologias de malha local tais como ADSL, HDSL, etc.